"Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade" George Orwell

terça-feira, 5 de janeiro de 2021

Dos 399 municípios do Paraná, 16 já atingiram a marca de 100 mortes pela covid-19

05/01/2021_

Café com Jornalista – Com 96 novas mortes confirmadas pela covid-19, o Paraná soma agora 8.092 óbitos decorrentes da doença respiratória causada pelo novo coronavírus. A informação consta do informe epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), publicado às 14h30 desta terça-feira (5).

Informe Epidemiológico da Sesa, publicado às 14h30 de 05/01/2021
Informe Epidemiológico publicado às 14h30 de 05/01/2021
Entre as novas vítimas fatais confirmadas, são 42 mulheres e 54 homens, com idades que variam de 27 a 94 anos. Os óbitos ocorreram entre 19 de julho de 2020 e 5 de janeiro de 2021. O maior número de mortes foi registrado em Londrina (8), Curitiba (6) e Umuarama (5).

Curitiba concentra quase 25% do total de mortes registradas, com 1.990 óbitos confirmados desde o início da pandemia. Outros 15 municípios paranaenses (do total de 399) já atingiram a marca de cem mortes pela covid-19 (veja os detalhes no fim da matéria).


Casos e leitos

Ainda de acordo com o boletim, em 24 horas, foram registrados 4.702 novos casos de covid-19, que agora totaliza 424.541 diagnósticos positivos no Estado.

Levantamento da Sesa junto às regionais de saúde informa que são 1.531 os pacientes internados com diagnóstico confirmado de covid-19, dos quais 1.185 ocupam leitos SUS (608 UTI e 577 clínicos/enfermaria) e 346 da rede particular (137 UTI e 209 clínicos/enfermaria).

Há outros 1.033 pacientes internados, 422 em leitos UTI e 611 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.


Municípios com cem mortes ou mais

Curitiba                        1.990 óbitos
Londrina                        413
Maringá                         326
São José dos Pinhais  276
Foz do Iguaçu              275
Colombo                       255
Cascavel                       236
Ponta Grossa               205
Pinhais                         146
10º Arapongas                 144
11º Campo Largo             132
12º Paranaguá                  131
      Piraquara                    131
14º Araucária                   120
15º Fazenda Rio Grande  117
16º Toledo                        100
Fonte: Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) // Informe Epidemiológico publicado às 14h30 de 05/01/2021


Livro Orfeu & Violeta. Amazon. Luiz Fernando Cardoso. Café com Jornalista

>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 


Articulação na Câmara deixa de fora das comissões vereador do Pros apoiado por Marchese

05/01/2021_

Café com Jornalista – Dos cinco vereadores de primeiro mandato na Câmara de Maringá, o único que ficou de fora das comissões permanentes da Casa foi Rafael Roza (Pros). A escolha dos membros das comissões ocorreu na segunda (4), às 16 horas, em sessão especial.

O vereador Rafael Roza (à dir.), com o deputado Homero Marchese em segundo plano. Ambos são do Partido Republicano da Ordem Social (Pros)
O vereador Rafael Roza (à dir.), com o deputado Homero Marchese em segundo plano. Ambos são do Partido Republicano da Ordem Social (Pros)
Nos bastidores, o Café apurou que houve uma articulação para barrar Roza nas principais comissões, a de Constituição e Justiça (CCJ), por onde passam todos os projetos de lei antes de irem a plenário; e a de Finanças e Orçamento (CFO), também considerada estratégica. Esse foi o motivo pelo qual não houve acordo para a composição da CFO, sendo necessária votação aberta e nominal.

Na Câmara, não há qualquer rejeição à figura de Roza, que até o momento é bem avaliado entre seus pares. Contudo, na avaliação de parte dos edis, a presença do novato na CCJ ou na CFO abriria a possibilidade de interferência externa do deputado estadual e ex-vereador de Maringá Homero Marchese, que é uma das principais lideranças do Pros no Paraná. Entre os vereadores reeleitos, Marchese não deixou saudades.


Na eleição da CFO, Roza exerceu o direito de disputar uma das três cadeiras na comissão, concorrendo contra outros três candidatos: Mário Verri (PT), Onivaldo Barris (PSL) e Maninho (PDT). Os três foram eleitos. 

Mesmo com articulação contrária à sua eleição para a CFO, o vereador do Pros obteve sete votos, contra dez do terceiro colocado. Nas Eleições 2020, Roza somou 1.335 votos, sendo o 15º mais votado entre os eleitos e o 31º na classificação geral. Marchese, por sua vez, perdeu a eleição majoritária para o prefeito reeleito Ulisses Maia (PSD).

Composição

 Veja aqui como ficaram compostas as comissões da Câmara de Maringá. A primeira sessão ordinária de 2021 ocorrerá em 2 de fevereiro, às 9h30.


Livro Orfeu & Violeta. Amazon. Luiz Fernando Cardoso. Café com Jornalista

>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 

Inep divulga locais de prova do Enem 2020; estudantes reclamam

05/01/2021_

Café com Jornalista – O Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulga, nesta terça (5), os locais de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em decorrência da pandemia do novo coronavírus (covid-19), o Enem 2020 foi adiado para os dias 17 e 24 de janeiro. 

Os locais podem ser consultados pelos estudantes no Cartão de Confirmação de Inscrição, disponível na Página do Participante. Segundo o Inep, o número de pontos precisou ser ampliado para reduzir o número de alunos por sala de aula. Ao todo, mais de 5,7 milhões de pessoas confirmaram inscrição.

Mesmo com a adoção de medidas de prevenção, o Ministério da Educação (MEC) tem sofrido pressão por um novo adiamento do Enem, por conta da segunda onda da covid-19. Na segunda (4), em tuitaço, estudantes cobraram novo adiamento da prova.

Nesta terça, a bronca foi outra. Nas redes sociais, inscritos subiram a hashtag #Inep para o assunto mais comentado do Twitter no Brasil. Muitos estudantes relatam problemas no sistema e dificuldades para acessar o local de prova, outros reclamaram do lugar onde terão de prestar o exame. Veja abaixo algumas queixas.




 Relembre os artigos publicados pelo Café em 2020; veja quem os escreveu

>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 

Artigo: 50 anos, muitos brindes para a UEM

05/01/2021_

Por Tania Tait* – A Universidade Estadual de Maringá (UEM) é, sem dúvida, um patrimônio da cidade. Foi construída e mantida graças aos esforços de seus professores, funcionários e estudantes. Em sua trajetória, a universidade teve colaboração de alguns governantes, no entanto, em sua maioria, infelizmente, os governos estaduais sempre buscaram minar a evolução das nossas universidades estaduais.

UEM 50 anos de história

A UEM faz parte da minha história e, como eu, muitos estudantes sonhavam em passar no vestibular. Sou da turma de 1979. Como eu, também, muitos atuaram no movimento estudantil, tornaram-se professores e funcionários, militantes sindicais e participaram de cada mobilização e de cada conquista. 

Antes de ser estudante da UEM, eu já a conhecia, pois visitava e ouvia os fatos narrados pela minha tia, professora Maria Apparecida Tait, que era secretária do antigo Centro de Ciências Biológicas e da Saúde. Ficava encantada com a possibilidade de me tornar estudante ali. Fiz Processamento de Dados e Administração de Empresas. Ainda hoje ando por lá. Aposentada, continuo como coralista no Coro Feminino da UEM.


Quando a minha turma de Processamento de Dados (PD) resolveu se reunir para comemorar os 35 anos do curso, confirmei o quanto eu era ligada à UEM. O curso de PD foi criado em 1976. Com a turma, com ex-alunos vindos de vários Estados do Brasil, fizemos um tour pela universidade e assim fomos passando pelos espaços que ocupávamos quando estudantes.

Fiquei emocionada, como maringaense, ex-estudante e professora, ao mostrar para eles as novas construções, os novos jardins, a mudança de PD para Ciência da Computação e Informática e ao mesmo tempo relembrando nossa trajetória de estudantes. 

A UEM também me possibilitou combinar a parte tecnológica com a parte humana, o que culminou num pós-doutorado em História das Mulheres, impulsionado por minha militância no movimento feminista e por discutir a presença da mulher na tecnologia.


Mas, a UEM não é somente emoção pessoal. Ela está inserida na comunidade. Ao atuar no tripé ensino, pesquisa e extensão, contribui tanto para a formação de novos profissionais como para o desenvolvimento da região em que está situada, na sede e nos campus regionais.

Pude participar, um pouco, de perto, dessa inserção ao representar a UEM no Arranjo Produtivo Local de Software, no Conselho da Mulher, ao representar o Centro de Tecnologia no Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos, com o Museu do Computador, como secretária de Administração na Prefeitura de Maringá e na apresentação de nossas pesquisas em eventos nacionais e internacionais.

Não é à toa que a UEM é detentora de pontos em estatísticas, tais como possuir o maior número de pesquisadoras, estar entre as melhores estaduais e entre as melhores do Brasil. Isso é resultado de trabalho sério e consistente, de esforço continuado com envolvimento de toda a comunidade universitária.

A pandemia mostrou, mais uma vez, o lado de integração da UEM com a comunidade, com a luta por atendimento adequado, aumento de leitos e de infraestrutura para atender pacientes de covid-19 no Hospital Universitário.


Mesmo com a tentativa de racionalizar, afinal, nem tudo são flores no mundo do trabalho, sou tomada por uma emoção muito grande. Emocionei-me ao cantar no aniversário dos 40 anos da UEM. É uma pena que, por causa da pandemia, não possamos fazer uma grande festa pra comemorar o aniversário dessa cinquentona, cuja vida se mistura com a vida da cidade. 

Livro Orfeu & Violeta. Amazon. Luiz Fernando Cardoso. Café com Jornalista

Hoje, quando passo em frente à universidade, falo para os netos com um baita orgulho: essa é a Universidade Estadual de Maringá, onde estudei e trabalhei a vida toda. Agora, compreendo o orgulho dos meus avós e pais, quando mostravam os pontos da cidade em que trabalharam ou conheceram no início da formação de Maringá. 

A gente se mistura aos locais, como se nossos corpos e mentes permanecessem neles ao longo das nossas vidas. Assim, sorrio ao pensar na UEM e ao caminhar por suas passarelas.


* Coordenadora da ONG Maria do Ingá Direitos da Mulher, Tania Tait é escritora e professora aposentada da UEM, com doutorado em Engenharia de Produção pela UFSC e pós-doutorado em História pela UEM. Seu mais recente livro é "As Mulheres na Luta Política" (2020). 



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Os artigos não refletem, necessariamente, a opinião do Café com Jornalista, que os reproduz em exercício da atividade jornalística e amparado pela liberdade de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.