quarta-feira, 10 de março de 2021

Série da APP-Sindicato conta rotina de profissionais da Educação no trabalho remoto

10/03/2021_

Das assessorias – O Paraná teve, nesta terça (9), o maior número de óbitos pela covid-19 desde o início da pandemia. Foram 5.349 novos casos, com 212 mortes decorrentes da infecção causada pelo novo coronavírus. Os números revelam que, neste momento, não há condições mínimas de segurança para a retomada das aulas presenciais.


Enquanto a vacina não chega para os profissionais da Educação, a única alternativa segura para a continuidade das aulas é o trabalho remoto. Nesta quarta (10), a APP-Sindicato Maringá inicia a publicação de uma série de matérias para contar como é a rotina dos educadores na atividade profissional, a partir de suas casas. 

"Muitas pessoas acham que o professor está sem trabalhar na pandemia. Além disso não ser verdade, é uma grande injustiça com os profissionais de Educação, que estão fazendo o que podem pelos alunos. Essa série vai mostrar à população como tem sido puxada a jornada de trabalho da categoria neste momento em que o isolamento social é fundamental para salvar vidas",  diz a professora Vilma Garcia, presidenta da APP-Sindicato em Maringá.
Intitulada "Trabalho remoto é TRABALHO", a série vai apresentar, a cada dia, a rotina de um profissional da Educação. O leitor vai se surpreender com uma realidade oculta para o grande público: no trabalho remoto, trabalha-se muito mais. Por conta do atendimento a pais, mães e alunos, o expediente costuma avançar para bem além do horário regular de trabalho. 


A série trará a história de pelo menos sete entrevistados, que contarão suas vivências desde a adaptação ao novo formato de trabalho até dificuldades comuns a todos, como a falta de condições mínimas de trabalho. “Computador, câmera e microfone? São coisas que tive de comprar, porque o governo não ajudou com nada”, diz um dos professores entrevistados.

Na série, os profissionais da Educação também falam da dificuldade dos alunos, em especial daqueles de famílias mais pobres. Cada qual dá, ainda, sua opinião sobre o retorno das aulas presenciais, que estão liberadas pelo Estado a partir desta quarta. Em Maringá, a atividade segue suspensa por força de decreto municipal.



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 

0 comentário(s):

Postar um comentário

Editor

Minha foto
Graduado em Jornalismo e pós-graduado em Jornalismo Digital, o editor do Café com Jornalista tem 20 anos de experiência na profissão. Especialista na cobertura de política, o jornalista trabalhou nos jornais Diário do Sudoeste, Jornal de Beltrão, Diário do Norte, O Diário de Maringá e Notícias do Dia, onde foi editor-chefe. Foi estagiário na Deutsche Welle (DW), em Bonn (Alemanha), e colaborador da Folha de S.Paulo e Gazeta do Povo. É escritor autor de três e-books: Orfeu e Violeta, Quero Café! e Nas Curvas de Maringá (pesquise na Amazon). Siga no Twitter: @LF_jornalista