sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

Celular clonado do prefeito Ulisses chama atenção para dicas de segurança na internet

19/02/2021_

Café com Jornalista – Modalidade de golpe cada vez mais frequente, a clonagem de celular tem entre as vítimas até mesmo as pessoas mais esclarecidas. Esta semana, quem passou por esse transtorno foi o prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PSD), que é um advogado de renome na área do Direito Eleitoral.

Mensagem do prefeito Ulisses Maia sobre a clonagem de celular
Mensagem de Ulisses sobre a clonagem de celular
"Clonaram o número de celular da minha esposa e, possivelmente, o meu celular também", escreveu Ulisses. Na mensagem, publicada em sua página no Facebook, o prefeito pede para que seus contatos ignorem "pedidos de dinheiro ou algo parecido". 

Quando um notório é vítima de golpes, o caso acaba atraindo a atenção especial da mídia para os riscos envolvendo o roubo de danos na internet. Por isso, o Café republica dicas dadas em junho de 2020, mês em que o fotojornalista João Cláudio Fragoso e o ex-diretor do Procon, o advogado Rogério Calazans, foram vítimas do mesmo golpe.


Dicas

O principal alerta dos especialistas para evitar esse tipo de golpe é não clicar em links suspeitos que, muitas vezes, surgem imitando matérias. Confira sempre a URL (se o endereço é conhecido ou não) antes de clicar. Outra dica é jamais atender a telefonemas do seu próprio número de telefone.

Algo indispensável é ativar no WhatsApp a verificação em duas etapas. Esse elemento de segurança exige uma senha pessoal de seis dígitos sempre que o aplicativo de mensagens for acessado de outro smartphone. Para ativar essa segurança basta acessar: Configurações / Conta / Confirmação em duas etapas (veja mais aqui). Não se esqueça da senha.


A clonagem, às vezes, pode ser ainda mais sofisticada, com os golpistas aproveitando anúncios em aplicativos de venda para roubar dados do anunciante. Foi o que aconteceu com Calazans, que, mesmo sendo advogado, não percebeu se tratar de um golpe. 

"Fiz dois anúncios pagos no OLX. Terminei de receber o e-mail, comprovando que o pagamento no cartão tinha dado certo, recebi uma mensagem de um suposto interessado pedindo meu número de telefone. Cinco minutos depois que eu respondi, recebi uma ligação dizendo que era da central da OLX, dizendo que precisavam fazer uma confirmação de segurança", disse Calazans.
Sem desligar o telefone, Calazans recebeu um SMS para confirmar o código de segurança. O clique nesse código permitiu aos gospistas clonarem o WhatsApp do advogado. "A dica é: crie imediatamente a validação em duas etapas; e não passe nenhuma informação sem fazer uma checagem completa [do link recebido] primeiro", explica.

Para recuperar a senha, é necessário escrever para o suporte do WhatsApp, no endereço support@whatsapp.com. No caso do ex-diretor do Procon, esse processo levou 15 dias. O site Mundo Conectado também alerta sobre os riscos de anúncios em sites como OLX e Mercado Livre. Leia aqui e fique esperto.




>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 


0 comentário(s):

Postar um comentário

Editor

Minha foto
Graduado em Jornalismo e pós-graduado em Jornalismo Digital, o editor do Café com Jornalista tem 20 anos de experiência na profissão. Especialista na cobertura de política, o jornalista trabalhou nos jornais Diário do Sudoeste, Jornal de Beltrão, Diário do Norte, O Diário de Maringá e Notícias do Dia, onde foi editor-chefe. Foi estagiário na Deutsche Welle (DW), em Bonn (Alemanha), e colaborador da Folha de S.Paulo e Gazeta do Povo. É escritor autor de três e-books: Orfeu e Violeta, Quero Café! e Nas Curvas de Maringá (pesquise na Amazon). Siga no Twitter: @LF_jornalista