sábado, 27 de fevereiro de 2021

Fiocruz recebe neste sábado IFA para produzir 12,2 milhões de doses da vacina contra covid-19

27/02/2021_

Café com Jornalista, com Agência Brasil – Chegou da China, neste sábado (27), uma remessa de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) suficiente para produzir 12,2 milhões de doses da vacina contra a covid-19. O carregamento é de extrema relevância para o Brasil, que, atualmente, se encontra apenas na 47ª entre os países que mais imunizaram contra o Sars-Cov-2 (novo coronavírus).

Fiocruz recebe neste sábado IFA para produzir 12,2 milhões de doses da vacina contra covid-19
Matéria-prima veio da China – Foto: Divulgação/Fiocruz
A remesa chegou ao Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Galeão/Tom Jobim), donde será encaminada, ainda neste sábado, para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Com esse lote de IFA, o Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz) produzirá mais de 12 milhões de doses de vacina AstraZeneca/Oxford.


Esse é o segundo lote de IFA que chega à Fiocruz. A primeira remessa, recebida em 6 de fevereiro, era suficiente para produzir 2,8 milhões de doses, que ainda estão sendo processados pela Fiocruz. Toda a produção será entregue ao Programa Nacional de Imunizações, que distribuirá o imunizante entre Estados e municípios.


Até junho, a Fiocruz estima receber lotes de IFA suficiente para produzir 100,4 milhões doses de vacina. Outra linha de produção é a do Instituto Butantan, que produz a Coronavac (vacina da farmacêutica chinesa Sinovac). Neste domingo (28), o Ministério da Saúde espera receber do Butantan mais 2,8 milhões de doses da Coronavac

A notícia da chegada do IFA para a produção das vacinas é um alento no pior momento da pandemia. No Paraná, por exemplo, o iminente risco de um colapso na saúde levou o governador Ratinho Júnior (PSD) a decretar lockdown por nove dias. Dependem da vacinação em massa a redução das mortes pela covid-19 e a volta à normalidade.

Ranking

O percentual de brasileiros vacinados até o momento, na comparação com outros países, mostra que o governo Bolsonaro – que mantém uma postura negacionista na pandemia – não fez o dever de casa. Com apenas 38,1 vacinas aplicadas a cada mil habitantes, o Brasil está apenas na 47ª posição do ranking mundial.

Para um país que já foi referência mundial em vacinação, é uma péssima posição. Na região, o melhor exemplo vem do Chile, que está na oitava posição com 175 vacinas por mil habitantes. O ranking é liderado por Israel, com 919,4/1.000. Os dados são da Folha de S.Paulo, veja aqui.


 Brasil chega a 250 mil mortes por covid-19


>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 

0 comentário(s):

Postar um comentário

Editor

Minha foto
Graduado em Jornalismo e pós-graduado em Jornalismo Digital, o editor do Café com Jornalista tem 20 anos de experiência na profissão. Especialista na cobertura de política, o jornalista trabalhou nos jornais Diário do Sudoeste, Jornal de Beltrão, Diário do Norte, O Diário de Maringá e Notícias do Dia, onde foi editor-chefe. Foi estagiário na Deutsche Welle (DW), em Bonn (Alemanha), e colaborador da Folha de S.Paulo e Gazeta do Povo. É escritor autor de três e-books: Orfeu e Violeta, Quero Café! e Nas Curvas de Maringá (pesquise na Amazon). Siga no Twitter: @LF_jornalista