quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Câmara vota semana que vem gratificação a servidores da linha de frente contra a covid-19

25/02/2021_

Café com Jornalista – Ficou para a semana que vem a votação do Projeto de Lei Complementar 2.038/2021, que institui gratificação temporária de 20% sobre os vencimentos aos servidores da saúde de Maringá que correm riscos ao lidar, diariamente, com pacientes infectados pela covid-19. O projeto foi entregue pelo prefeito Ulisses Maia (PSD) aos vereadores na sessão de 2 de fevereiro.

Presidente da Câmara, Mario Hossokawa recebeu os quatro projetos de lei do Executivo das mãos do prefeito Ulisses Maia – Foto: Marquinhos Oliveira/CMM
Presidente da Câmara, Mario Hossokawa recebeu o projeto da gratificação das mãos do prefeito Ulisses Maia, no início de fevereiro – Foto: Marquinhos Oliveira/Arquivo/CMM
A retirada do projeto da pauta foi aprovada pelo plenário, na sessão de terça (23), por 9 votos a 1. O requerimento partiu da vereadora Professora Ana Lucia (PDT), que atendeu solicitação da presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar), Priscila Guedes. A entidade quer mais tempo para discutir a gratificação, visando a ampliar o número de servidores beneficiados.


O único voto contra a retirada da pauta foi do vereador Sidnei Telles, que destacou a espera dos servidores da linha de frente pelo benefício. "Penso que esses trabalhadores já estão sofrendo muito, aguardando esse auxílio (...).  Acho que já era hora de ter votado [o projeto da gratificação]", comentou Telles.

A proposta do Executivo concede a gratificação durante a situação de emergência, sem retroatividade, e somente a servidores efetivos lotados em local de enfrentamento à pandemia. A gratificação não será paga a servidores que são da saúde, mas que não atuam na linha de frente contra a covid-19. 

De acordo com o projeto, a gratificação será considerada "na base de cálculo do servidor ou empregado, nos períodos de férias, na base de cálculo da gratificação natalina, bem como para o pagamento do 1/3 de férias". Contudo, o trabalhador só receberá o benefício se não tiver falta (ainda que justificada) durante o mês.

A primeira versão do projeto, prevendo a gratificação, chegou a ser enviada pelo prefeito à Câmara, o que se deu em abril de 2020. Contudo, não houve tempo hábil para o trâmite. Com a virada do ano, a proposta pôde ser novamente apresentada pelo Executivo.

 Na Câmara, Ulisses fala em respeito ao Legislativo e cita vetos


>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 


0 comentário(s):

Postar um comentário

Editor

Minha foto
Graduado em Jornalismo e pós-graduado em Jornalismo Digital, o editor do Café com Jornalista tem 20 anos de experiência na profissão. Especialista na cobertura de política, o jornalista trabalhou nos jornais Diário do Sudoeste, Jornal de Beltrão, Diário do Norte, O Diário de Maringá e Notícias do Dia, onde foi editor-chefe. Foi estagiário na Deutsche Welle (DW), em Bonn (Alemanha), e colaborador da Folha de S.Paulo e Gazeta do Povo. É escritor autor de três e-books: Orfeu e Violeta, Quero Café! e Nas Curvas de Maringá (pesquise na Amazon). Siga no Twitter: @LF_jornalista