sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Artigo: 250 mil mortes pela covid-19, posso fazer alguma coisa?

26/02/2021_

Por Paulo Vidigal* – Ao atingir 250 mil mortes causadas pela covid-19, o momento não poderia ser outro senão de sofrimento e medo. Mas também um momento de reflexão, atitude e indignação, pois essa marca não pode ser vista como um número frio nas telas dos celulares. São 250 mil pessoas que perderam suas vidas!

Paulo Vidigal e uma das recomendações das autoridades sanitárias
Paulo Vidigal e uma das recomendações das autoridades sanitárias
Pergunte a si mesmo se você conhece alguém que morreu por complicações da covid-19. Se você não conhece, certamente, alguém próximo a você conhece. A ciência aponta dois fatores importantíssimos capazes de mudar essa realidade: vacinação em massa da população e mudança do comportamento social (evitar aglomerações, uso de máscaras etc). 


Quanto à vacinação em massa, esta é de responsabilidade do governo federal, que tem o dever constitucional de implementar um programa nacional que vacine toda população rapidamente. Ocorre que governo federal, negacionista que é, está desgovernado desde o início da pandemia. 

Dados oficiais demonstram que, quase dois meses após o início da vacinação, pouco mais de seis milhões de pessoas (2,92% da população) receberam a primeira dose da vacina contra covid-19. Ou seja, nesse ritmo, seria necessário cerca de quatro anos para vacinar toda população! Ainda, o negacionismo, a inércia e o desgoverno são tão grandes que após várias ações judiciais o STF decidiu por permitir que Estados e municípios adquiram suas vacinas.

Sobre o segundo fator, o comportamento social, não se trata de um problema menor, porque estamos falando da necessidade de uma mudança de comportamento. As pessoas têm de se conscientizar que aglomerações aumentam a difusão do vírus e, consequentemente, o número de mortes. Mas o que esperar de uma sociedade que vê o próprio presidente negacionista causando aglomerações? 

"Se governo federal não cumpre a parte dele, vacinando rapidamente a população, o que eu posso fazer?" A resposta é: faça o que depende de você. Cumpra as medidas de distanciamento social, evitando aglomerações, tomando medidas de higiene e usando máscara. Agindo assim, você estará praticando um ato de amor à vida – à sua e à vida das pessoas que você ama. Fiquem bem, cuidem-se.

Orfeu & Violeta: E outras histórias lá de Pato Branco. Autor: Luiz Fernando Cardoso
Orfeu & Violeta: E outras histórias lá de Pato Branco – clique para ler! 
* Paulo Vidigal é advogado. Por 17 anos, foi servidor municipal de Maringá.



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Os artigos não refletem, necessariamente, a opinião do Café com Jornalista, que os reproduz em exercício da atividade jornalística e amparado pela liberdade de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 

0 comentário(s):

Postar um comentário

Editor

Minha foto
Graduado em Jornalismo e pós-graduado em Jornalismo Digital, o editor do Café com Jornalista tem 20 anos de experiência na profissão. Especialista na cobertura de política, o jornalista trabalhou nos jornais Diário do Sudoeste, Jornal de Beltrão, Diário do Norte, O Diário de Maringá e Notícias do Dia, onde foi editor-chefe. Foi estagiário na Deutsche Welle (DW), em Bonn (Alemanha), e colaborador da Folha de S.Paulo e Gazeta do Povo. É escritor autor de três e-books: Orfeu e Violeta, Quero Café! e Nas Curvas de Maringá (pesquise na Amazon). Siga no Twitter: @LF_jornalista