terça-feira, 19 de janeiro de 2021

Técnica de enfermagem do Hospital Municipal é a primeira pessoa vacinada contra covid-19 em Maringá

19/01/2021_

Café com Jornalista – A campanha de imunização contra o novo coronavírus (covid-19) começou em Maringá, nesta terça (19),  por volta das 16 horas, com a vacinação de profissionais do Hospital Municipal (HMM). A primeira pessoa imunizada na cidade foi a técnica de enfermagem Ana Paula de Oliveira Machado, 37 anos. 

A técnica de enfermagem Ana Paula de Oliveira Machado ao ser vacinada
A técnica de enfermagem Ana Paula de Oliveira Machado – Foto: Phill Natal/Sismmar
Ana Paula atua na linha de frente no combate à covid-19, atuando na unidade de terapia intensiva (UTI) do HMM. Seu pai foi uma das 348 vítimas fatais da doença em Maringá. Outras quatro profissionais da saúde foram vacinadas na cerimônia – ocorrida na Capela do HMM – que contou com diversas autoridades, entre elas vereadores e o arcebispo dom Frei Severino.

A técnica de enfermagem foi a primeira pessoa vacinada em Maringá, mas não a primeira maringaense vacinada. Até onde se tem conhecimento, o primeiro maringaense imunizado contra a covid-19 foi Gabriel Bertoli Ramos, 25 anos, médico residente do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP). Ele recebeu a primeira dose da Coronavac na manhã desta terça.

De acordo com o Blog do Rigon, Ramos é formado em Medicina pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Ele é filho de Ana Lúcia Bortoli Ramos e de Ronaldo Ramos, ex-secretário municipal de Planejamento.


Cerimônia

No ato, o prefeito Ulisses Maia (PSD) destacou a importância dos servidores e do Sistema Único de Saúde (SUS). "Os servidores municipais provaram para Maringá a importância do servidor público e do SUS para a cidade", disse Ulisses. "Nosso sistema público de saúde não perdeu para nenhum hospital e para nenhum plano de saúde na pandemia", acrescentou.

Ulisses Maia acompanhou a imunização
Ulisses Maia acompanhou a imunização – Reprodução

O prefeito de Maringá também anunciou o pagamento de gratificação para os servidores da Saúde, criticou a morosidade do Ministério da Saúde nas questões da pandemia e o "negacionismo que tirou e continua tirando a vida de muita gente". Ulisses disse, ainda, que espera que o governo federal permita aos municípios que têm condições a importação de vacinas contra a covid-19.

"O projeto já está pronto e será encaminhado para a Câmara de Maringá, que retorna no início de fevereiro [do recesso]. Não foi possível conceder a gratificação em 2020 [por ser ano eleitoral], mas ela será retroativa", comentou Ulisses.
A cerimônia ocorreu cerca de três horas após a chegada das vacinas no Aeroporto Silvio Name Junior. O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, que havia chegado minutos antes de helicóptero, participou no aeroporto da comitiva que aguardou a chegada do avião com o imunizante Coronavac, desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sinovac e produzida no Brasil pelo Instituto Butantan.


Logística

De acordo com o governo do Estado, três aeronaves partiram para o interior, na manhã desta terça, com aproximadamente 80 mil doses da Coronavac. O roteiro previa ao menos 15 viagens entre Curitiba e os principais municípios das regionais de saúde. 


Segundo a AEN, o avião PP-MMS Gran Caravan fez roteiro Londrina, Pato Branco e Cascavel. O PP-EUS Seneca III percorreu Telêmaco Borba, Manoel Ribas, Umuarama e Guarapuava. O PR-PRX King Air 350 carregou as vacinas de Maringá e Apucarana.

Helicópteros da Polícia Militar foram destacados para ajudar nas entregas em Adrianópolis, Doutor Ulysses, Cerro Azul e Tunas do Paraná, no Vale da Ribeira, São Mateus do Sul e União da Vitória. Onde as condições atmosféricas impediram o pouso e decolagem, o transporte acabou sendo terrestre.


Meta

O Paraná recebeu 265,6 mil doses da Coronavac. A vacina do Butantan, também chamada pelo presidente Jair Bolsonaro de "vacina do Doria", é tudo o que o Brasil tem no momento. A vacina Oxford/Astrazeneca, que o governo federal importou da Índia, ainda não chegou. São esperadas dois milhões de doses daquele imunizante. 

Nesta primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a covid-19, o Paraná reservou 22.720 doses para a população indígena e 242.880 para profissionais da saúde. Segundo Beto Preto, o objetivo do governo Ratinho Junior (PSD) é imunizar 4 milhões de paranaenses até maio, soma que corresponderia a 36% da população do Estado.


 Articulação na Câmara deixa de fora das comissões vereador do Pros apoiado por Marchese


>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 


0 comentário(s):

Postar um comentário

Editor

Minha foto
Graduado em Jornalismo e pós-graduado em Jornalismo Digital, o editor do Café com Jornalista tem 20 anos de experiência na profissão. Especialista na cobertura de política, o jornalista trabalhou nos jornais Diário do Sudoeste, Jornal de Beltrão, Diário do Norte, O Diário de Maringá e Notícias do Dia, onde foi editor-chefe. Foi estagiário na Deutsche Welle (DW), em Bonn (Alemanha), e colaborador da Folha de S.Paulo e Gazeta do Povo. É escritor autor de três e-books: Orfeu e Violeta, Quero Café! e Nas Curvas de Maringá (pesquise na Amazon). Siga no Twitter: @LF_jornalista