"Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade" George Orwell

domingo, 29 de novembro de 2020

Eleições 2020: Esquerda consolida novos nomes com Boulos e Manuela

29/11/2020_

Café com Jornalista – Em uma eleição marcada pela desidratação do PT – que, pela primeira vez desde a redemocratização, não venceu em nenhuma capital – a esquerda consolidou novas lideranças políticas nas figuras de Guilherme Boulos (PSOL) e Manuela D'Ávila (PCdoB). Ambos saíram fortalecidos das urnas, apesar de terem perdido as eleições.

Guilherme Boulos (PSOL) e Manuela D'Ávila (PCdoB). Café com Jornalista
Guilherme Boulos (PSOL) e Manuela D'Ávila (PCdoB)
Em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, Boulos surpreendeu ao avançar ao segundo turno, eliminando da disputa do bolsonarista Celso Russomanno (Republicanos), que havia largado na frente nas primeiras pesquisas de intenção de voto. O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) superou ainda, com folga, o petista Jilmar Tatto.


No segundo turno, Bruno Covas (PSDB) foi reeleito com 59,38% dos votos válidos. Na disputa, o prefeito contou com o apoio do governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Presidenciável em 2018, Boulos anotou 40,62%.

O candidato do PSOL saiu fortalecido principalmente junto à juventude e à população mais carente. Boulos venceu as eleições nas zonas eleitorais da Zona Sul e em parte da Zona Leste, que são regiões menos favorecidas da capital paulista.

"Não é o fim. Está apenas começando...", escreveu Boulos no Twitter, após cumprimentar Covas pela vitória. Assista aqui ao pronunciamento do líder do MTST após o resultado final das eleições. 

POA

Na capital gaúcha, Manuela deixou para trás no primeiro turno o atual prefeito, Nelson Marchezan Júnior (PSDB). Mais uma vez, os gaúchos mostraram seu baixo entusiamo com candidatos que tentam a reeleição.


No segundo turno, Manuela chegou a figurar na ponta (em empate técnico na margem de erro) nas últimas pesquisas antes da eleição. No entanto, ela obteve nas urnas 45,37% dos votos válidos, sendo derrotada por Sebastião Melo (MDB), que somou 54,63%.

Vice de Fernando Haddad (PT) na disputa presidencial de 2018, Manuela passou parte da campanha ou lidando com a rejeição atual ao PT ou tendo de se defender das fake news de adversários. Durante o pleito, a candidata do PCdoB precisou ingressar várias vezes na Justiça contra as notícias falsas, conseguindo retirar 91 boatos do ar.

As fake news foram lembradas em seu pronunciamento após a apuração dos votos. "Agradeço a todo o apoio que recebi nessa caminhada, a quem votou em mim e a cada olhar de ternura que recebi. Enfrentamos muita baixaria e notícias falsas. Mas a democracia é soberana. Desejo sorte ao Sebastião Melo e seguiremos na luta, ao lado de quem quer uma cidade mais justa", tuitou Manuela.


Em todo o país, os prefeitos e prefeitas eleitos tomarão posse em 1º de janeiro. O mandato, como é de conhecimento geral, é de quatro anos.



Cobertura da apuração



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 

Professora Elizabeth é eleita primeira prefeita da história de Ponta Grossa

29/11/2020_

Café com Jornalista – Na única cidade do país com segundo turno disputado apenas por mulheres, Professora Elizabeth (PSD) foi eleita prefeita de Ponta Grossa (PR). Na apuração deste domingo (29), em disputa acirrada, a atual vice-prefeita superou nas urnas a deputada estadual Mabel Canto (PSC).

Com 52,38% dos votos válidos, Elizabeth venceu o pleito com apenas 8.003 votos de vantagem para Mabel, que obteve 47,62%.

Apoiada pelo governador Ratinho Junior (PSD) e pelo atual prefeito, Marcelo Rangel (PSDB), Elizabeth venceu o pleito de virada. No primeiro turno, Mabel, que é filha do ex-prefeito Jocelito Canto, foi a mais votada com 37% dos votos válidos. Elizabeth avançou ao segundo turno com 31% dos votos.


O terceiro colocado no primeiro turno foi Marcio Pauliki (SD), que recebeu quase 27% dos votos válidos. No segundo turno, Pauliki anunciou apoio a Mabel.

Pela primeira vez na história, Ponta Grossa – na região dos Campos Gerais – será governada por uma mulher. O município tem 239.611 eleitores aptos a votar. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), a eleição transcorreu tranquilamente na cidade, sem nenhum crime eleitoral ou pessoa presa. 

No Paraná, entre as cidades com mais de 200 mil eleitores, apenas Ponta Grossa teve segundo turno.



>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 



Cafeinado: Se Bolsonaro renunciar para tomar caldo de cana e comer pastel, quem assume?

29/11/2020_

Café com Jornalista – "A minha vida aqui é uma desgraça, é problema o tempo todo (...). Não posso mais tomar um caldo de cana na rua, comer um pastel". A frase de Jair Bolsonaro – dita alguns dias antes do primeiro turno das eleições –, além de ter virado meme, revela um desgaste emocional do presidente da República e põe em evidência a seguinte questão:

E se Bolsonaro renunciasse para tomar caldo de cana e comer seu pastel em paz, quem assumiria?

Ao levantar essa questão nas redes sociais, de pronto fui interpelado por um conhecido – do tipo cientista político de WhatsApp –, que surgiu falando de Lula, Haddad, comunismo etc. Inclusive na política, passa vergonha quem opina sem estudar. Vamos esclarecer essa dúvida para evitar nova vergonha alheia.

Um dos memes do pastel do Bolsonaro. Café com Jornalista
Um dos memes do episódio do pastel e do caldo de cana

Quem assume?

Se Bolsonaro renunciar ao cargo, a qualquer momento do mandato e por qualquer motivo, quem assume é o vice-presidente da República, Hamilton Mourão. E isso também vale para um processo de impeachment, segundo prevê a Constituição Federal em seu artigo 79. Não há nada de novas eleições ou de presidente da Câmara dos Deputados assumindo.

Exceção

Só não assume o vice no caso deste também ser impedido, o que ocorreria, por exemplo, numa eventual cassação da chapa presidencial pela Justiça – algo que é bem pouco provável. Fosse esse o caso, a linha sucessória seria: presidentes da Câmara dos Deputados, do Senado Federal e do Supremo Tribunal Federal, nessa ordem. Abaixo, o trecho da Constituição que trata do assunto.

Note que o presidente da Câmara assume apenas para convocar novas eleições, em prazo pré-estabelecido, sejam elas eleições diretas ou indiretas (pelo Congresso)

Simples assim

Num tuíte, em 2019, o ex-senador Roberto Requião esclareceu essa mesma dúvida em poucas palavras: "Se Bolso renuncia ou é afastado, Mourão assume. Diretas só se os dois renunciarem ou forem afastados. Mesmo no afastamento ou renúncia dos dois, eleição só nos primeiros dois anos. Depois de dois anos, [eleição] indireta pelo Congresso. Simples assim".

Pé frio

Nas eleições nas duas maiores cidades do País, o presidente não tem muito o que comemorar. No Rio, pesquisas apontam a derrota do atual prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), apoiado publicamente por Bolsonaro, para Eduardo Paes (DEM). Em São Paulo a situação é ainda mais desconfortável para o presidente: o vencedor sairá da disputa entre o prefeito Bruno Covas (PSDB), aliado do governador João Doria (PSDB), e o "comunista" Guilherme Boulos (PSOL). 

Ponta Grossa

São 57 cidades do Brasil têm segundo turno neste domingo (29). No Paraná, apenas Ponta Grossa, que terá uma disputa histórica entre "Mabel Canto (PSC) e Professora Elizabeth (PSD)". Além de ser a única cidade brasileira com um segundo turno só com mulheres, será a primeira vez que Ponta Grossa será governada por uma prefeita.


Pandemia

As expectativas de que a covid-19 voltaria com tudo após as eleições vão se confirmando. Na reta final da campanha, ninguém quis implantar novas medidas restritivas para evitar grandes desgastes eleitorais. O cenário tende a mudar completamente a partir desta segunda (30), com novas ações contra a covid-19 sendo adotadas em várias capitais.

Decreto

Em Maringá, um novo decreto é aguardado para esta segunda, o qual trará novas medidas restritivas para combater o avanço da covid-19. A cidade passa por um novo pico da doença. No decreto mais recente, a Prefeitura retomou o toque de recolher das 23h às 5h (veja aqui).

Novo meme nas redes!

Fórmula 1

O GP do Bahrein, neste domingo (29), foi marcado por um gravíssimo acidente do piloto francês Roman Grosjean. Em colisão frontral com um guard rail, o carro da Hass explodiu e se partiu ao meio. Apesar das pesadas imagens (veja aqui), as informações oficiais são de que o Grosjean passa bem. O piloto ainda não tem sua permanência assegurada para a temporada 2021. 

Fórmula 2

Mesmo pilotando pela MP Motorsports, uma equipe intermediária, o maringaense Felipe Drugovich segue fazendo bonito na categoria de acesso à F1. No sábado, o brasileiro venceu a primeira das duas corridas no Bahrein, chegando à sua terceira vitória na temporada. Com isso, aumentam as expectativas de que Drugovich possa conquistar um lugar na F1 em 2022 – tendo a chance de disputar a temporada 2021 da F2 por uma grande equipe. 

Novo jornal

O Café soube que Maringá pode ganhar, em breve, um novo jornal impresso. A dúvida é se o empreendimento surgiria já neste fim de ano ou apenas após a pandemia. Vamos aguardar as cenas dos próximios capítulos. Atualmente, a cidade conta apenas com o tradicional Jornal do Povo, do Verde.


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 

Artigo: Meu filho vai estudar no Adaile

29/11/2020_

Por Leandro Fóz* – Muitos me dizem: "Mas Leandro, seu filho vai estudar no Colégio Adaile?" Eu digo: Sim! Eu estudei no Marchesini e minha mãe cobrava a escola; eu estudei no Adaile e minha mãe cobrava também.

Colégio Estadual Adaile Maria Leite. Café com Jornalista
Clique na imagem para ver a localização do Colégio Adaile
Meu filho estudou no Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Dona Guilhermina e eu estava lá, cobrando melhorias e participando. Meu filho estudou no Marchesini e eu estava lá, cobrando melhorias e excelência na educação.


Agora, com ele indo para o Adaile, o pai aqui vai junto para cobrar melhorias e lutar pela educação.
Acho tão "bonitinho" político falando de educação pública de qualidade e que estão fazendo e acontecendo, mas seus filhos estão nas particulares.

Eu acredito na educação pública, gratuita e de qualidade. Para isso, temos que estar lá dentro, participando desta construção. Adaile Maria Leite, me espere, pois vocês tiveram um aluno dedicado, um professor dedicado (fui professor lá, nos estágios de Educação Física e como técnico dos times de futsal) e agora terão um pai dedicado.

É assim que ajudamos a melhorar a educação.


Livro Orfeu & Violeta. Amazon. Luiz Fernando Cardoso. Café com Jornalista

* Ator e professor de teatro e TV, Leandro Fóz é formado em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), com pós-graduação em Docência do Ensino Superior.

☕ Artigo: Abraçar ou não abraçar Suzy: o que faria Jesus?


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Os artigos não refletem, necessariamente, a opinião do Café com Jornalista, que os reproduz em exercício da atividade jornalística e amparado pela liberdade de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.