"Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade" George Orwell

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Cafeinado: Brasil pode ultrapassar 100 mil mortes pela covid-19 em uma semana

29/07/2020_

O Brasil superou, nesta quarta (29), a marca de 90 mil mortes pela covid-19. Nunca é demais lembrar que, por inúmeras vezes, a doença causada pelo novo coronavírus foi tratada como uma simples "gripezinha" pelo presidente "com histórico de atleta" Jair Bolsonaro (sem partido).

São 90.134 óbitos, segundo o Ministério da Saúde, e 90.188 nas contas do consórcio da imprensa. Considerando que a média móvel (soma dos dados nos últimos sete dias, dividida por sete) de contágio vem se mantendo acima dos mil óbitos, levará menos de uma semana para o país superar as 100 mil vítimas fatais da covid-19.

Estados

As unidades da federação com mais mortes por covid-19 são: São Paulo (21.676), Rio de Janeiro (13.033), Ceará (7.643), Pernambuco (6.484) e Pará (5.694). Aquelas com menos falecimentos são: Mato Grosso do Sul (328), Tocantins (364), Roraima (493), Acre (510) e Amapá (449). Detalhes no infográfico abaixo.

Covid-19 nos Estados. Café com Jornalista
Covid-19 nos Estados – Infográfico: Ministério da Saúde

São Paulo I

Foram anotadas 1.595 e 1.554 mortes pelo ministério e pelo consórcio, respectivamente, nas últimas 24 horas. O número não condiz com a realidade porque São Paulo não havia divulgado seus dados na terça (28). Portanto, o número de óbitos desta quarta inclui as últimas 48 horas do Estados mais populoso do Brasil. 

São Paulo II

Só pra aproveitar a deixa do nome próprio, "que faaaaaaase"! O São Paulo foi eliminado pelo Mirassol, por 3 a 2, nas quartas de final do Paulistão. Um verdadeiro vexame no Morumbi. Por causa da pandemia, o time do interior perdeu 18 jogadores, precisando refazer o elenco às pressas. O são-paulino Milton Ravagnani não deve ter curtido.

Vacina

Assunto que não quer (e não pode) calar é a vacina contra a covid-19. Dela depende a volta à normalidade e o longo processo de retomada da economia. A novidade da vez vem da Rússia, que promete ter a vacina pronta para distribuição (para os russos) em duas semanas. A venda para outros países deve ocorrer só em setembro (leia aqui). O Paraná está de olho nessa vacina.

Charge


Caiana

Maringá lamenta a morte do vereador Chico Caiana, de 56 anos, por complicações após um AVC hemorrágico. Parlamentar de causas populares, foi dele o projeto de lei que criou o Restaurante Popular de Maringá. Caiana era figura importante na CPI da Pandemia, por ser o único vereador de oposição na comissão parlamentar de inquérito que investiga supostas irregularidades nos contratos da Saúde.

Despedida

O velório de Chico Caiana (PTB) está marcado para esta quinta (30), das 8h às 14h, na Câmara de Maringá. Serão respeitadas as regras de distanciamento social e o uso obrigatório de máscara. O prefeito Ulisses Maia (PSD), que foi colega de Caiana no Legislativo, decretou luto oficial por três dias.  

Crônica

Gostei muito do texto "Uma Crônica para Chico Caiana", publicada pelo jornalista Victor Simião, que conta três passagens suas com o vereador (leia aqui). Assim como Simião, cobri a Câmara de Maringá por vários anos. Sempre tive meu trabalho, como jornalista profissional, respeitado por Caiana. Essa virtude, que ele tinha, anda muito em falta em políticos mais jovens e até em servidores da Casa, infelizmente. 



Novos refeitórios

A Prefeitura de Maringá anuncia a implantação de três refeitórios populares no Conjunto Ney Braga, Tuiuti e Honorato Vechi. O investimento nas novas unidades deve dobrar a oferta no município de alimentação de alto valor nutritivo com um preço acessível. 

Refeições

As três unidades, juntamente com o Restaurante Popular, servirão em média 2 mil refeições diárias. O convênio entre a gestão Ulisses Maia (PSD) e a Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab) prevê investimento de R$ 3,28 milhões, sendo R$ 333,8 mil de contrapartida do município.

Em tempo

Meu Palmeiras bateu o Santo André por 2 x 0, no Allianz Parque, avançando no Paulistão. Os quatro grandes tipes do Estado estarão nas semifinais. 






>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.

Banco Central anuncia lançamento da nota de R$ 200

29/07/2020_

Com Agência Brasil – No fim de agosto, a moeda brasileira ganhará uma nova cédula, a de R$ 200. Aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), a nova nota foi anunciada, nesta quarta (29), pelo Banco Central (BC). A tiragem inicial, até o fim de 2020, será de 450 milhões de unidades, equivalentes a R$ 90 bilhões.

Banco Central anuncia lançamento da nota de R$ 200. Café com Jornalista
Lançamento da cécula de R$ 200 está prevista para o fim de agosto
 A cédula de R$ 200 terá como personagem o lobo-guará. A espécie da fauna brasileira havia ficado em terceiro lugar em uma pesquisa realizada pelo BC sobre quais animais em extinção deveriam ser representadas em novas cédulas. 


Diretora de administração do BC, Carolina de Assis Barros disse que o lançamento da nova nota é uma forma de a instituição agir preventivamente para a possibilidade de aumento da demanda da população por papel moeda. "Estamos vivendo, neste momento, um período de entesouramento, efeito derivado da pandemia", explicou Carolina.

Segundo o BC, entre março e julho deste ano, um dos efeitos econômicos da pandemia o novo coronavírus (covid-19) foi o aumento de R$ 61 bilhões no entesouramento de moeda. Em outras palavras, mais notas deixaram de circular porque a população deixou o dinheiro em casa. 


Em entrevista coletiva, Carolina explicou que a imagem da nota de R$ 200 – em fase final de testes de impressão – ainda não está disponível. O lançamento está previsto, segundo ela, para o fim de agosto deste ano.


O anúncio da nota de R$ 200 foi acompanhado de uma apresentação técnica do BC à imprensa (veja aqui). Uma das curiosidade apresentadas é o valor em dólar da maior cédula de algumas das principais moedas correntes. Atualmente, a nota de R$ 100 vale US$ 19, como mostra o infográfico do BC, abaixo.

Quanto valem as maiores notas de outras moedas em dólar. Café com Jornalista
Nota de R$ 200 valerá cerca de US$ 40

 Câmara propõe acordo de R$ 12 mil para indenizar servidora com licença-maternidade interrompida "sem base legal"




A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do

Morre o vereador Chico Caiana

29/07/2020_

Da CMM – A Câmara de Maringá comunica, com imenso pesar, o falecimento do vereador Chico Caiana, 56 anos, que estava internado no Hospital Universitário após ter sofrido um acidente vascular cerebral (AVC) na madrugada de segunda (27). Às 7h45 desta quarta (29), ele sofreu uma parada cardiorrespiratória e não resistiu.

Caiana deixa dois filhos, uma neta e a esposa, Edileuza Alves Bezerra. O velório deverá ocorrer na Câmara de Maringá, conforme informações do gabinete da Presidência. Em breve, serão divulgadas mais informações sobre horário do sepultamento.

Morre o vereador Chico Caiana. Café com Jornalista
Vereador de causas populares, Chico Caiana foi presidente da Câmara de Maringá no biênio 2015/2016 – Foto: Arquivo/CMM
Na segunda, um boato havia circulado nas redes sociais sobre a morte de Caiana, sendo desmentido pela assessoria do vereador. 

Requião e Guaiapó

O comerciante Francisco Gomes dos Santos, mais conhecido como Chico Caiana, estava em seu terceiro mandato como vereador de Maringá. Nascido em Ubiratã (PR), em 14 de maio de 1964, representava especialmente a população dos conjuntos Guaiapó e Requião, onde residia e mantinha o seu empreendimento do ramo alimentício.

Filiado ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), ele iniciou sua carreira política na 13ª Legislatura da Câmara Municipal, entre 01/01/2005 a 31/12/2008, eleito com 2.584 votos. Voltou ao Legislativo em 2013, com 1.673 votos, no mandato em que alcançou a presidência da Casa, de 01/01/2015 a 31/12/2016, como 42º chefe do Legislativo maringaense. 

Naquela época, foi reeleito vereador com 2.838 votos, em 10º lugar. Em 2018, ficou licenciado por 120 dias para trabalhar na campanha eleitoral, auxiliando seu partido. Foi substituído pelo sindicalista bancário Luiz Pereira. Este ano, era pré-candidato a vereador.


Causas populares

Caiana sempre esteve ligado às camadas populares e, consequentemente, seus projetos, requerimentos e indicações na Câmara Municipal buscavam soluções para este grupo. 

Foi autor, por exemplo, da lei que criou o Restaurante Popular de Maringá; e também da Lei 10.388, de 2017, batizada de Campanha do Busão sem Abuso no transporte coletivo de passageiros. Caiana foi autor da Lei 10.621, de 2018, que obrigou a administração municipal a afixar nos estabelecimentos públicos de saúde uma placa informando os médicos de plantão e suas especialidades.

Atualmente, Caiana era membro da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga contratos da saúde, a chamada CPI da Pandemia. O grupo analisa as compras da Secretaria Municipal da Saúde nos últimos 12 meses, após suspeita de pagamentos que extrapolam o valor de mercado pela pasta.


Último ato

A última atividade parlamentar de Chico Caiana se deu em 14 de julho, uma terça-feira, antes do recesso legislativo. Na Pauta da Ordem do Dia, dois itens do vereador entraram para votação. 

O Projeto de Lei n. 15.635/2020 foi aprovado por unanimidade, em primeira discussão, instituindo a Semana Educativa da Pipa Legal. Caiana também teve aprovado o Requerimento n. 681/2020, que pergunta ao Executivo se a Lei n. 11.067, que restringe o consumo do cachimbo do tipo narguilé, está sendo cumprida em Maringá.




>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.

As urnas eletrônicas usadas no Brasil são fabricadas na Venezuela?

29/07/2020_

Do TSE – Dizem por aí que as urnas usadas no Brasil são da Smartmatic, fabricadas na Venezuela, mas isso é lenda! As urnas (hardware) e os sistemas (softwares) utilizados nelas são desenvolvidos pelo próprio Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Urnas brasileiras não são fabricadas na Venezuela. Café com Jornalista
Vídeo da Justiça Eleitoral desmente o boato de que as urnas brasileiras são fabricadas por empresa venezuelana
As máquinas (urnas) são montadas por empresas contratadas para executar o projeto, mas sob a fiscalização de servidores da Justiça Eleitoral. Assista ao vídeo (clique na imagem acima) e ajude a acabar com esse mito eleitoral.


A seguir, veja outros esclarecimentos do TSE sobre as urnas eletrônicas.

A urna pode mostrar em quem o eleitor votou?

A urna eletrônica utiliza criptografia (linguagem codificada) e não está conectada à internet. Além disso, ela somente grava a indicação de que o eleitor já votou. Com o embaralhamento interno dos dados e outros mecanismos de segurança, não há nenhuma possibilidade de se verificar em quais candidatos o eleitor votou.



Por que outros países não usam urna eletrônica?

Cada país é independente para decidir qual sistema de votação é melhor para sua realidade legal, política, territorial, social etc. No Brasil, o voto é obrigatório para maiores de 18 e menores de 70 anos, o que significa um número bem grande de eleitores, espalhados em um país de dimensão continental.

O sistema eletrônico de votação é rápido e seguro e passa por melhorias a cada ano, para ficar cada vez mais veloz e protegido.

 As desculpas do desembargador que humilhou um guarda foram sinceras?



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.