"Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade" George Orwell

quarta-feira, 3 de junho de 2020

Com 32.548 mortes por covid-19, Brasil se aproxima da Itália em óbitos na pandemia

03/06/2020_

O boletim do Ministério da Saúde, divulgado apenas no fim da noite desta quarta-feira (3), contabiliza 1.349 novas mortes no país nas últimas 24 horas, totalizando 32.548 vítimas fatais pelo novo coronavírus (covid-19). São ainda 555.383 infectados, dos quais 238.617 já estão recuperados.

Boletim da Covid-19. Café com Jornalista
Mortes e casos da covid-19 por Estado – Infográfico: Agência Brasil
Nesse triste ritmo de mortes por dia, o Brasil superará entre esta quinta e sexta-feira a Itália, que tem 33.601 óbitos, ficando atrás apenas dos Estados Unidos (107.099 mortes) e Reino Unido (39.811). Para piorar o cenário, segundo dados oficias, o Brasil ainda tem 4.115 óbitos suspeitos de covid-19 sendo analisados. 




>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.

Cafeinado: Suécia admite erro no combate à covid-19... mas, e Bolsonaro?

03/06/2020_

Guiado muito mais pelo achismo que pela ciência, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) segue colecionando erros no enfrentamento ao novo coronavírus (covid-19). Nesta quarta (3), tivemos mais duas bolas fora do presidente: a aposta equivocada na Suécia, que agora admite ter errado no combate à pandemia, e o veto presidencial a recursos que seriam utilizados contra a doença.

Bolsonaro no Palácio da Alvorada. Café com Jornalista
Bolsonaro no cercadinho do Palácio da Alvorada, onde costuma falar com seus apoiadores – Foto: Marcello Casal/Agência Brasil
Ontem (2), o país já havia assistido a mais uma frase execrável do excelentíssimo senhor presidente da República. Na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que lamentava pelas mortes (mais de 30 mil pela covid-19, no Brasil), mas que esse "é o destino de todo mundo". Será que o presidente não tem a humanidade necessária para apenas lamentar, sem ter de (toda vez) minimizar as mortes?

Suécia

Citada por Bolsonaro como exemplo mundial no combate à covid-19, a Suécia fez uma autocrítica sobre seus erros no combate à doença, reconhecendo que deveria ter adotado medidas mais rigorosas de isolamento social para conter o avanço do vírus, assim como fizeram os demais países escandinavos. A fatura desse erro veio em mortes que não precisariam ter ocorrido. Agora, uma espécie de CPI vai apurar as responsabilidades.

Comparação

Com 10,2 milhões de habitantes, a Suécia teve até o momento 4.542 mortes pela covid-19. Parece pouco perto dos números de países como Brasil e Estados Unidos, mas é muito para a realidade escandinava nesta pandemia. Vejamos: Noruega (237 mortes pela covid-19 / 5,4 milhões de habitantes), Dinamarca (580 mortes / 5,8 milhões), Finlândia (321 mortes / 5,5 milhões) e Islândia (10 mortes / 364 mil). Os dados de óbitos são da Universidade Johns Hopkins.

Veto 1

Para surpresa de deputados e senadores, Bolsonaro vetou o repasse de R$ 8,6 bilhões para o combate ao novo coronavírus. Com a decisão, o dinheiro de um fundo extinto só poderá ser usado para o pagamento da dívida pública, como constava do texto original da Medida Provisória 909, editada em dezembro e aprovada em maio pela Câmara e pelo Senado.

Veto 2

R$ 8,6 bilhões é muito dinheiro, então, não é difícil imaginar quantas vidas poderiam ser salvas com a aplicação desses recursos, por Estados e municípios, em ações ligadas à pandemia. É uma tremenda falta de sensibilidade priorizar a dívida pública em detrimento da vida. As crises podem ser superadas várias vezes, e o Brasil é um especialista nisso, mas para a morte não há segunda chance.

Veto 3

Ao justificar o veto, Bolsonaro alegou que a mudança de destinação dos recursos (que iriam para Estados e municípios no enfrentamento à covid-19) violaria a Constituição, porém, essa interpretação não está pacificada. Atos pedindo intervenção militar e fechamento do Congresso e do Supremo, isso isso, está pacificado. Esse ataque à democracia é crime, não cabendo a alegação de "liberdade de expressão". 

Charge


Erros

O presidente precisa reconhecer seus erros e trabalhar pelo Brasil no combate à pandemia. Sei que o gado adestrado vai atacar nas redes sociais, xingar, rebater argumentos com fake news, chamar os críticos de comunistas – já que o mito deles é um ser infalível –, mas Bolsonaro precisa ter essa humildade. Se não for pelas vidas dos brasileiros, que seja pelo seu mandato, porque o impeachment está a surgir no horizonte.

Livro Orfeu & Violeta. Amazon. Luiz Fernando Cardoso. Café com Jornalista

Maringá

Algumas cidades deram o exemplo no início da pandemia, ao adotarem medidas de isolamento social para conter rápido avanço do vírus. Maringá está entre esses bons exemplos. A cidade tem leitos disponíveis para tratar dos doentes e, pelo boletim oficial, registrou nove óbitos pela covid-19 até esta quarta (3). Seria bem mais que isso, seguramente, não fosse o isolamento adotado lá atrás.

Casos

No entanto, os números mostram que estamos longe de ter controlado a doença. Isso, de verdade, só vai ocorrer com a vacina (prevista para setembro). Nesta quarta, além de uma uma nova morte, Maringá registrou 34 casos positivos de covid-19 em 24 horas, um recorde. Veja aqui o boletim completo

Preocupação

Os decretos municipais mais recentes deixam claro que, caso haja um súbito aumento na taxa de ocupação dos leitos de UTI, o lockdown (confinamento) para conter a covid-19 não está descartado. Para que isso não ocorra, todos precisam fazer a sua parte. Não dá para sair de casa sem máscara e, muito menos, fazer churrasquinho no fim de semana com a família. Isso é coisa de irresponsável.

Meme


Meme eleitor do Amoêdo. Café com Jornalista


CPI da Pandemia

Acompanho há vários anos o Legislativo maringaense, e ainda não tinha visto os vereadores fugindo de uma CPI como o diabo corre da cruz. Antigamente, havia disputa para participar. Pela dificuldade de nomear o quinto membro, a comissão, que investigará supostas irregularidades nos contratos da Secretaria Municipal de Saúde, quase foi extinta. Chico Caiana (PTB) acabou aceitando o desafio

Membros

Além de Caiana, a CPI tem ainda como membros Alex Chaves (MDB) e Mário Verri (PT), Sidnei Telles (Avante) como relator e Flávio Mantovani (Rede) na presidência. O quinteto terá mais de 900 processos de compras da Saúde para avaliar, um trabalhão – motivo pelo qual, talvez, alguns edis tenham se esquivado da responsabilidade. A próxima reunião está marcada para 16 de junho. 



>>> Saiba mais sobre o colunista
>>> Veja os destaques dos demais colunistas


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.

Motorista da Cidade Verde testa positivo para covid-19 e sindicato cobra exames

03/06/2020_

Do Sinttromar – Um motorista da Cidade Verde, residente em Paiçandu, testou positivo para o novo coronavírus (covid-19). Ele trabalha numa linha da empresa contratada para levar trabalhadores para um abatedouro de Maringá.

Alerta Coronavírus. Café com Jornalista
Testagem preventiva pode evitar um surto da doença
Esse é o primeiro caso confirmado da doença na categoria. Como medida preventiva, o Sindicato dos Motoristas Rodoviários de Maringá (Sinttromar) cobra da Cidade Verde que todos os demais motoristas, que prestam o mesmo serviço, sejam testados.


O sindicato também pede que a empresa dê toda a assistência ao trabalhador com covid-19. Como a contaminação muito provavelmente ocorreu no exercício da função, isso é considerado como doença laboral.

O objetivo da testagem preventiva é evitar futuras contaminações, afastando temporariamente do serviço trabalhadores que, eventualmente, tenham sido infectados. No entanto, para espanto da diretoria do Sinttromar, a empresa se negou a receber uma notificação extrajudicial da entidade.

O Sinttromar lamenta a postura da empresa, que se omite de sua responsabilidade numa grave pandemia, que já tirou a vida de mais de 31 mil brasileiros. O sindicato tentará encaminhar novamente a notificação, na tarde desta quarta (3), agora via cartório.


O sindicato pede, ainda, que as autoridades locais fiquem atentas a essa situação, evitando que a omissão da empresa venha a causar um surto da doença entre os trabalhadores tanto da linha de ônibus como do abatedouro. A testagem, cobrada pelo Sinttromar na notificação, é necessária para evitar esse risco.    

☕ Sidnei Telles, relator da CPI da Pandemia: "Não há justificativa para que os preços pagos pelo município sejam mais altos que na rede privada"



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.

Produção industrial no Brasil tem em abril a maior queda em 18 anos

03/06/2020_

Por Vitor Abdala, Agência Brasil – A produção industrial brasileira teve uma queda de 18,8% na passagem de março para abril deste ano. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é a maior queda registrada pela Pesquisa Industrial Mensal (PIM) desde o início de sua série histórica, em 2002.

Produção industrial no Brasil. Café com Jornalista
Queda na indústria foi de 18,8% em relação a março de 2020 e de 27,2% na comparação com abril de 2019, segundo o IBGE – Foto: José Paulo Lacerda/CNI
Também foram observados recuos de 27,2% em relação a abril de 2019 (outro recorde da série histórica), de 8,2% no acumulado do ano e de 2,9% no acumulado de 12 meses. As retrações são decorrentes à crise causada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19). 


Somando-se ao resultado de março, quando começaram essas medidas quando também houve recuo, a produção industrial acumula perdas de 26,1% no bimestre.

“O resultado de abril decorre, claramente, do número maior de paralisações das várias unidades produtivas, em diversos segmentos industriais, por conta da pandemia. Março já tinha apresentado resultado negativo. Agora, em abril, vemos um espalhamento, com quedas de magnitudes históricas, de dois dígitos, em todas as categorias econômicas e em 22 das 26 atividades pesquisadas”, disse o gerente da pesquisa, André Macedo.
Entre as quatro grandes categorias econômicas da indústria, as maiores perdas de março para abril foram observadas nos bens de consumo duráveis (-79,6%). Os bens de capital, isto é, máquinas e equipamentos usados no setor produtivo, tiveram retração de 41,5%.


Os bens de consumo semi e não duráveis recuaram 12,4% e os bens intermediários, isto é, os insumos industrializados usados no setor produtivo, caíram 14,8%.

Veículos


O recuo de março para abril foi puxado por 22 das 26 atividades industriais pesquisadas, com destaque para veículos automotores, reboques e carrocerias (-88,5%). 

Outros setores com quedas relevantes foram de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-18,4%), de metalurgia (-28,8%), de máquinas e equipamentos (-30,8%), de bebidas (-37,6%), de produtos de borracha e de material plástico (-25,8%) e de produtos de minerais não-metálicos (-26,4%).


Três ramos ampliaram a produção nesse mês: produtos alimentícios (3,3%), produtos farmoquímicos e farmacêuticos (6,6%) e perfumaria, sabões e produtos de limpeza (1,3%). O setor extrativo manteve-se estável.




>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.