"Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade" George Orwell

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Brasil supera 25 mil mortes por covid-19, mas pode chegar a 125 mil sem isolamento social

27/05/2020_

Com Agência Brasil – No mesmo dia em que os Estados Unidos superou a marca de 100 mil mortes por covid-19, o Brasil chegou a 25.598 vítimas fatais pela doença causada pelo novo coronavírus – 1.086 nas últimas 24 horas. 

Ainda de acordo com o boletim do Ministério da Saúde, divulgado na tarde desta quarta (27), o Brasil registrou 20.559 novas pessoas infectadas com o coronavírus em 24 horas, totalizando 411.821. Desse total, 219.576 estão em acompanhamento e 166.647 foram recuperados. Há ainda 4.108 óbitos sendo analisados. 

Boletim divulgado pelo Ministério da Saúde nesta quarta (27)
A letalidade (número de mortes pelo total de casos) ficou em 6,2%. Já a mortalidade (a quantidade de óbitos pelo total da população) foi de 12,2. São Paulo segue sendo o epicentro da doença, conforme mostra o infográfico acima.


De acordo com o mapa global da Universidade Johns Hopkins, o Brasil é o segundo colocado em número de casos, atrás apenas dos Estados Unidos (1,69 milhão). O país é o sexto no ranking de mortes em decorrência da covid-19, atrás de Espanha (27.117), França (28.599), Itália (33.072), Reino Unido (37.542) e Estados Unidos (100.047).

Vai piorar

Como a doença ainda não atingiu o pico de contágio no Brasil, a situação ainda vai piorar, segundo especialistas. Como boa parte do país não adotou um isolamento social amplo – ou adotou a medida tardiamente –, o quadro pode ser pior do que as projeções mais pessimistas do início da pandemia.

Na terça (26), um dos principais modelos utilizados pela Casa Branca para monitorar o contágio pelo novo coronavírus no mundo (o IHME) revisou para pior as previsões para o Brasil. Agora, a projeção é de que o país possa chegar a 125 mil mortes pela covid-19 até agosto (quando ainda não existirá vacina).

Instituto de métrica ligado à Universidade de Washington, o IHME havia projetado anteriormente 88.305 mortes por covid-19 no Brasil, até 4 de agosto. A realidade do país no combate à doença – ineficiente em muitos aspectos, como na baixa adesão ao isolamento social – e os números atuais de casos confirmados e de óbitos resultaram numa piora na avaliação.


Em nota, o IHME disse que o Brasil precisa adotar medidas para tentar controlar a escalada da doença. Se isso não ocorrer, o instituto prevê uma escassez ainda maior de recursos médicos num futuro próximo. Veja os detalhes em matéria da Folha de S.Paulo.
 


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.

Cafeinado: A indignação seletiva nas operações da Polícia Federal, ontem e hoje

27/05/2020_

O intervalo foi apenas 24 horas entre duas operações de repercussão nacional realizadas pela Polícia Federal (PF), que cumpriu decisões do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF). A reação dos apoiadores mais assíduos do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mudou completamente da noite para o dia, num comportamento que pode ser classificado como "indignação seletiva".

Imagem: Assessoria/PF
Ontem (26), autorizada pelo STJ, a Operação Placebo baixou em endereços oficiais e particulares do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), adversário político de Bolsonaro. A PF cumpriu 12 mandados de busca e apreensão em investigação de desvios na Saúde do RJ. Os bolsonaristas vibraram como se fosse um gol do Brasil em final de Copa do Mundo, e foram dormir satisfeitos.

Na manhã de hoje (27), sob ordens do STF, a PF realizou     , entre eles o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB), o empresário Luciano Hang e os blogueiros Allan dos Santos e Winston Lima (veja aqui a lista completa). A ação investiga a produção de fake news e ameaças ao STF. Os bolsonaristas vão dormir irritados.

Witzel

Na primeira das duas operações, o ministro Benedito Gonçalves (STJ) autorizou a PF a apreender celulares do governador do Rio e de sua esposa. Eles são suspeitos na investigação que apura irregularidades na construção e administração de sete hospitais de campanha, no valor de R$ 835 milhões. Witzel negou participar de qualquer esquema, acusando Bolsonaro de usar a PF para persegui-lo.


Deputados

A operação desta terça foi autorizada por Alexandre de Moraes (STF), relator do inquérito das fake news. O ministro determinou que os seguintes deputados federais deverão ser ouvidos no inquérito em até dez dias: Bia Kicis (PSL-DF), Carla Zambelli (PSL-SP), Daniel Silveira (PSL-RJ), Filipe Barros (PSL-PR), Luiz Phillipe Orleans e Bragança (PSL-SP) e Cabo Junio Amaral (PSL-MG) – além de dois deputados estaduais de SP: Douglas Garcia (PSL) e Gidelvanio Santos Diniz, o "Carteiro Reaça" (PSL). Veja o que dizem os deputados.

Fake news


O professor Villa comentou em seu canal a operação da Polícia Federal que investiga a produção de fake news e ataques ao Supremo. Confira. 

Imprensa

Após sucessivas agressões da parte de bolsonaristas (estimuladas pelo próprio presidente), e sem a garantia de segurança, os grupos Globo, Folha e Band, o jornal Correio Brasiliense e o site Metrópoles, entre outros veículos, decidiram retirar seus repórteres da cobertura do Palácio do Alvorada – residência oficial do presidente da República. No Twitter, Bolsonaro ironizou: "Que pena!"

Centrão

A saída do ex-ministro da Justiça Sergio Moro do governo federal, em 24 de abril, causou uma ruptura na base ideológica de apoio do presidente Bolsonaro. Enfraquecido no Congresso e temendo a abertura de um processo de impeachment, o presidente recorre agora ao Centrão, entregando cargos em troca de apoio – a velha política do "toma lá dá cá" que ele tanto criticou na campanha eleitoral de 2018. De acordo com Malu Mões, do portal IG, sete cargos importantes já foram entregues.

Meme


Bolsonaro e o ex-deputado federal Roberto Jefferson

Arrecadação

Em prestação de contas da Prefeitura de Maringá na Câmara Municipal, na terça (26), o secretário Orlando Chiqueto (Fazenda) disse que a administração já trabalha com uma queda na arrecadação por conta da crise causada pela pandemia do novo coronavírus. No primeiro quadrimestre, a Prefeitura arrecadou R$ 658 milhões – ouça a entrevista na CBN

Covid-19

Maringá segue com seis óbitos pela doença, mas o contágio segue uma escalada diária. Já são 320 casos confirmados e 27 pacientes internados (incluindo os suspeitos). São três motivos principais para a disparada nos casos: o recente surto no hospital psiquiátrico, a reabertura da atividade econômica e o aumento das testagens. Todos esperamos que o vírus não fuja do controle.

Transparência

Maringá ocupa o terceiro lugar no ranking dos portais da transparência dos 399 municípios paranaenses, publicado pelo Tribunal de Contas do Estado. A listagem tem como base o Índice de Transparência da Administração Pública (ITP) de cada Prefeitura. A informação é do Portal do Rigon.

CPI da Pandemia

A comissão parlamentar de inquérito criada pela Câmara de Maringá para apurar supostas irregularidades nas licitações da Saúde definirá, nesta quinta (28), as funções de cada um dos seus membros. Se o acordo prévio entre os veereadores for mantido, Flávio Mantovani (Rede) será o presidente, Sidnei Telles (Avante) será o relator, e Mário Verri (PT), Alex Chaves (MDB) e Dr. Jamal (PSB) ficarão como membros.




>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)


A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.


Comissão do Congresso ouve Guedes sobre gastos com covid-19 e falas polêmicas

27/05/2020_

A comissão mista criada para acompanhar os gastos federais relacionados ao novo coronavírus (covid-19) volta a ouvir, nesta quinta-feira (28), o ministro da Economia, Paulo Guedes. Ele já compareceu a uma reunião da mesma comissão, por videoconferência, em 30 de abril.

Ministro Paulo Guedes
Ministro da Economia, Paulo Guedes – Foto: Fabio Pozzebom/Agência Brasil
A prestação de contas sobre os gastos de enfrentamento à pandemia está prevista para ocorrer a cada dois meses. No entanto, a comissão não vai se limitar à covid-19. Guedes deve ser questionados sobre declarações polêmicas recentes.

Em entrevista a Bruno Lourenço, da Rádio Senado, a senadora Zenaide Maia (Pros-RN) reclamou das declarações do ministro sobre os funcionários públicos na reunião ministerial do dia 22 de abril. O vídeo, divulgado com autorização do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello, revelou um verdadeiro show de horrores.


Na fatídica reunião, Guedes defendeu a venda do Banco do Brasil (BB), afirmando a instituição estaria pronta para ser privatizada. Contudo, sugeriu a venda apenas em 2023, após a eleição presidencial. "Tem que vender essa porra logo", comentou.  

Essa afirmação causou estranheza em Alvaro Dias (Podemos-PR), que questionará Guedes sobre a intenção de privatizar o Banco do Brasil. O senador disse que a privatização do BB e da Caixa só faria bem ao sistema financeiro privado.

"Pergunte aos agricultores do país como é importante o Banco do Brasil, no Plano Safra, para dinamizar a produção agrícola", comentou Alvaro Dias.


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.