"Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade" George Orwell

sábado, 9 de maio de 2020

Maringá 73 anos: Cidade encanta até mesmo os parisienses

09/05/2020_

Ao longo de 73 anos, completados neste domingo (10), Maringá cresceu e se desenvolveu num ritmo invejável, a ponto de se tornar uma das melhores grandes cidades do Brasil para viver, empreender e criar os filhos. A elevada qualidade de vida – atestada por sucessivos rankings, de várias instituições – tem atraído migrantes de todo o país e de vários cantos do mundo, inclusive de Paris.

Eva Poumailloux: a mais maringaense entre os parisienses –Foto: Arquivo pessoal
Pode soar estranho para um maringaense nato, mas há parisienses que vieram conhecer a Cidade Canção e que, encantados com o que viram, trocaram os 324 metros de altura da Torre Eiffel pelos 124 metros da Catedral de Maringá, a Champs-Élysées pela Avenida Brasil, a Ópera Garnier pelo Teatro Calil Haddad, o charme e a sofisticação da Cidade Luz pelas avenidas planejadas e arborizadas da terceira maior cidade do Paraná.


Foi o que aconteceu com a blogueira Eva Geneviève Poumailloux, que trabalha com coaching para mulheres solteiras que buscam uma vida afetiva de qualidade. Há quase quatro anos na cidade, volta e meia ela ainda precisa saciar a curiosidade de seus conterrâneos e também dos maringaenses sobre sua inusitada escolha. 

"Foi a vida que me dirigiu até aqui. Conhecer outras culturas abre a mente da gente. É bom descobrir que há outras formas de pensar, e sou grata pela escolha que fiz por Maringá. Foi o maior presente que tive na vida", diz Eva.
Flávio Mantovani - Maringá 73 anos
A blogueira conta que seu interesse pela cidade começou há mais de 15 anos, quando, ainda em Paris, conheceu a maringaense Luciane Teixeira, hoje sua sócia e "amiga quase irmã", como ela gosta de dizer. A propaganda feita por Luciane foi tamanha que, em 2016, Eva dediciu passar um mês em Maringá. E aquele tempo foi o suficiente para ela saber que não queria mais voltar à França.


A avenidas largas, a ampla arborização, o calor, os dias ensolarados, o trânsito (tranquilo, se comparado ao de Paris) e, sobretudo, o calor humano são as qualidades de Maringá que mais agradam Eva, que foi acolhida na cidade pela família de Luciane (hoje vivendo em São Paulo). "Hoje, considero eles como minha família de coração", diz a mais maringaense entre os parisienses que, agora, tem um novo motivo para ficar. Na cidade, ela conheceu o baiano Jorge Campelo, de quem está noiva.

Ulisses Maia - Maringá 73 anos

Alex Chaves - Maringá 73 anos


Outro parisiense

Entre os 2,2 milhões de habitantes de Paris, Eva não foi a única a se encantar com Maringá e seus 423 mil habitantes. O professor de francês e youtuber Paul Cabannes, que se mudou para Maringá em 2015, com alguma frequência fala bem da cidade em seu canal, o "Francês com Paul". Atualmente, ele reside em São Paulo.

Há um ano, Cabannes recebeu a visita de outro francês, o youtuber Alexis, que também ficou admirado com a cidade. A visita resultou no vídeo "Gringos visitando Maringá". "Acho que é o mercadão mais chique eu já vi, mais que o da minha cidade na França, Niort", analisou Alexis, ao visitar uma das principais atrações da cidade. "Aqui é Maringá, você está numa cidade diferenciada", comentou Cabannes. 

Rogério Calazans - Maringá 73 anos


Migrantes

A migração de pessoas qualificadas para a Cidade Canção revela que os maringaenses fizeram bem o dever de casa na construção de uma das melhores cidades para se viver no país. Para quem vem de outras regiões do Brasil, a segurança e o bom nível dos serviços públicos costumam ser os principais atrativos. 


"No Espírito Santo, matricular um filho em uma escola pública era sentenciá-lo ao analfabetismo funcional. Felizmente, a realidade de Maringá é outra, e isso é algo encantador", disse o advogado Leonado Serra de Almeida Pacheco em entrevista a este jornalista, publicada em maio de 2017 no jornal O Diário.  

Coordenador do curso de Direito na Unifamma, Pacheco veio conhecer a Maringá do baixo custo (na comparação com as capitais) e da alta qualidade de vida. A propaganda da cidade – divulgada pela mídia nacional – não era enganosa. Em março de 2005, o advogado trocou a capital Vitória (ES) pela Cidade Canção. Outro que veio para ficar.  




>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)


A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.

Brasil registra 751 mortes por covid-19 em 24h e cidades passam a aderir ao lockdown

09/05/2020


Com Agência Brasil – Enquanto em abril a palavra do momento em relação à pandemia do novo coronavírus (covid-19) era o distanciamento social, na última semana, um outro termo ganhou visibilidade: o lockdown. Isso ocorre por conta do avanço da doença, que causou 751 mortes no Brasil entre esta quinta e sexta. De acordo com o último boletim oficial do Ministério da Saúde, são 9.897 óbitos no total, mas extraoficialmente esse número já passou de 10 mil.


Boletim de 8 de maio do Ministério da Saúde
Boletim de 8 de maio do Ministério da Saúde

Com a adoção do lockdown em alguns Estados, é importante compreender o que isso significa. Em breve, essa pode ser também a realidade da sua cidade. A palavra é o correspondente em inglês a confinamento, passando a ser adotada no Brasil pelo seu uso corrente nas discussões internacionais acerca de formas de evitar a circulação de pessoas e a disseminação do vírus.


☕ CPF não pode valer menos que CNPJ no combate à covid-19


Um estudo lançado nesta sexta (8) por mais de 60 pesquisadores do Imperial College de Londres, um importante centro de estudos e pesquisas sobre saúde, apontou o lockdown obrigatório como uma "medida que se provou efetiva na contenção da difusão do vírus".


Ao analisar o caso brasileiro, a partir de medidas adotadas em 16 Estados no país, os investigadores concluíram: "Na falta de intervenções mais fortes, um crescimento substancial futuro da epidemia é esperado nos 16 Estados considerados, levando a uma piora da crise de saúde da covid-19."


Outro estudo do Imperial College, publicado em 30 de março, conduzido pela equipe de resposta à covid-19, mapeou práticas de lockdown em diversos países, como Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Itália, Noruega, Espanha, Suíça e Reino Unido. Os pesquisadores identificaram diferentes manifestações desse tipo de medida em cada país. 


☕ Ver autores de fake news presos seria a realização de um sonho


A Áustria proibiu acesso a locais públicos e reuniões com mais de cinco pessoas, além de recomendar pelo menos um metro de distância. A Dinamarca vetou reuniões com mais de dez pessoas. Na Alemanha, esse limite era de até duas pessoas. A França exigiu autorização para pessoas saíram de casa, com multa para violações. Na Itália também foi ordenada a permanência em casa, a não ser em caso de viagens essenciais. Na Noruega, somente pessoas que vivem no mesmo lugar podiam sair à rua juntas. No Reino Unido, encontros com mais de duas pessoas que não eram da mesma casa também eram impossibilitados, sob pena de sanções policiais.


Chanceler da Alemanha, Angela Merkel fala da importância do isolamento

Brasil

No Brasil, o termo é previsto na diretriz até o momento vigente do Ministério da Saúde (MS). O Boletim Epidemiológico nº 8, publicado em 9 de abril, define o lockdown como uma das medidas de distanciamento social. O bloqueio total (como o termo foi traduzido) consiste em cercar um determinado perímetro (Estado, cidade ou região), interrompendo toda atividade por um breve período de tempo.


De acordo com o MS, esse modelo tem como vantagem ser "eficaz para redução da curva de casos e dar tempo para reorganização do sistema em situação de aceleração descontrolada de casos e óbitos". A desvantagem é o alto custo econômico. Além dele, são modalidades menos rígidas o isolamento seletivo e o ampliado.


☕ Fotos de Fátima Bernardes nua aos 20 anos? É fake news antiga


O primeiro seria aquele focado apenas em pessoas acima de 60 anos ou com doenças crônicas, os grupos de risco, além daquelas que apresentam sintomas da doença. Também conhecido como "isolamento vertical",  teria como finalidade viabilizar o retorno às atividade laborais, já que não impossibilita a circulação de pessoas em estado aparentemente saudável ou que já passaram pela doença e são consideradas imunizadas.


Já o isolamento ampliado (ou amplo), que vem sendo adotado na maior parte dos Estados e cidades, prevê que todos os setores fiquem em casa, à exceção dos essenciais, desde que nesses seja garantida higienização e evitada a aglomeração. De acordo com o ministério, o objeto é "reduzir a velocidade de propagação, visando a ganhar tempo para equipar os serviços com os condicionantes mínimos de funcionamento: leitos, respiradores, EPI, testes laboratoriais e recursos humanos."


Após a mudança no comando do MS, o novo titular, Nelson Teich, vem defendendo o que chamou de abordagem "não linear", com medidas diferentes para locais distintos de acordo com o avanço da doença e a capacidade do sistema de saúde daquele local de tratar os pacientes, incluindo recursos humanos, leitos, equipamentos e suprimentos.


Teich afirmou já ter finalizado a atualização da diretriz divulgada no Boletim Epidemiológico 8, formulada pela equipe de seu antecessor, Luiz Henrique Mandetta. Mas declarou, nesta semana, que ainda não havia divulgado as novas orientações por receio de o tema ser transformado em disputa política. Ele reconheceu que, em locais com situação mais grave, o confinamento pode ser uma estratégia necessária.


Estados e municípios

A definição concreta das medidas de distanciamento social cabe aos Estados. Assim como nas iniciativas de isolamento social amplo, há diferentes abordagens no confinamento. Cada governo estadual ou prefeitura está determinando os limites e eventuais formas de sanção.


☕ Conheça sete sites para verificar se a informação é fato ou fake


O governo do Maranhão foi um dos primeiros a empregar o termo lockdown, que traduziu como "bloqueio", em medida que passou a valer na terça-feira (5) na Ilha de São Luís. Foi proibida a circulação, mantidos alguns serviços como mercados, farmácias e circulação de caminhões de carga. O estado registrou na sexta-feira 330 mortes e 5.909 casos confirmados.


O número de usuários de transporte público caiu de 641 mil para 96 mil com a o início do bloqueio. Em entrevista coletiva na sexta-feira, o governador Flávio Dino anunciou para a próxima semana o rodízio de carros na capital, com aqueles de placa com número final par e ímpar podendo circular em determinados dias alternadamente. "A polícia está  autorizada a adotar medidas coercitivas. Porém, como último caminho. O que estamos visando é o reforço da prevenção", declarou Dino. 


Pará

No Pará, o confinamento (lockdown) passou a valer na capital Belém e em outras nove cidades na quarta-feira (6), e durará até 17 de maio. A população foi orientada a somente sair de casa para serviços essenciais. Os municípios foram selecionados pela alta taxa de incidência da pandemia e pela sobrecarga no sistema de saúde. O Pará registrava na sexta-feira 5.524 casos confirmados e 410 mortes.


☕ Sindicato divulga aos motoristas medidas de prevenção contra a covid-19


Supermercados, farmácias, bancos e consultas médicas continuam funcionando, assim como feiras, lojas de construção e serviços de entrega de alimentos. Uma pessoa de cada família poderá ir a esses locais.  O transporte intermunicipal só é permitido para atividade essencial ou tratamento de saúde, o que deve ser comprovado. O uso de máscaras é obrigatório.


Forças de segurança foram escaladas para fazer a fiscalização nas vias públicas. Quem sair às ruas precisa levar documento com foto e comprovante profissional, caso de se trate de um trabalhador de atividade essencial. As pessoas estão sujeitas a sanções que vão de advertência a R$ 150 para pessoas físicas e até R$ 50 mil para empresas.


Ceará

No Ceará, o governo decretou o "isolamento social rígido" na capital Fortaleza, que teve início na sexta-feira e irá até 20 de maio. Foram montados bloqueios para restringir a circulação em vias da cidade. As forças de segurança atuam para evitar aglomerações. Em vídeo difundido nas redes sociais na quinta-feira (7), o prefeito Roberto Cláudio disse que os serviços de saúde estão no limite da sua capacidade.


☕ Ulisses é o 4º mais bem avaliado em ranking liderado por Paranavaí


Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, a Câmara de Vereadores de Niterói aprovou o lockdown a partir de segunda-feira (11). Quem estiver nas ruas, praias e praças públicas poderá ser multado. Manterão o direito de sair às ruas os profissionais de atividades essenciais ou quem for adquirir produtos ou serviços relacionados à elas, como compras em supermercados ou farmácias.


Na capital, o prefeito Marcelo Crivella promoveu bloqueios em bairros com maior incidência, como Campo Grande e Bangu. O Ministério Público estadual pediu aos governos estadual e municipal estudos para adoção do lockdown no estado. O órgão se amparou em estudo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) cuja conclusão recomenda o bloqueio diante do avanço de casos na região metropolitana do estado.




>>> Sobre o Café

>>> Sobre o Jornalista

>>> Cafeinado

>>> Maringá

>>> Política

>>> Economia

>>> Geral

>>> Entrevistas

>>> Artigos

>>> Imprensa


* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.



Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.