"Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade" George Orwell

sábado, 28 de março de 2020

Sindicato consegue medida cautelar para obrigar TCCC e Cidade Verde a fornecerem EPIs

28/03/2020

Frente à escalada dos casos do novo coronavírus, com Maringá tendo registrado as primeiras mortes pela doença, a Justiça do Trabalho determinou, em caráter de urgência, que as empresas TCCC (transporte urbano) e Cidade Verde (metropolitano) forneçam equipamentos de proteção individual (EPIs) aos trabalhadores da categoria. A decisão atende a uma ação do Sindicato dos Motoristas Rodoviários de Maringá (Sinttromar).

Medida cautelar prevê multa de R$ 10 mil por trabalhador em caso de descumprimento
A medida cautelar foi assinada, nesta sexta (27), pela juíza do Trabalho Lecir Maria Scalassara Alencar. Em sua decisão, a juíza destaca que o transporte público integra o rol de atividades essenciais, não devendo ser paralisado, porém, deve-se observar as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) em rotinas de assepsia para desinfecção, o que inclui a disponibilização de EPIs como o álcool em gel.

Conheça sete sites para verificar se a informação é fato ou fake

A medida cautelar foi baseada em denúncias apresentadas pelo Sinttromar. Em verificações in loco, conforme conta da decisão da Justiça, “[o sindicato] tomou conhecimento que, até o momento, as rés [TCCC e Cidade Verde] não estão fornecendo máscaras, luvas, óculos de proteção, produtos sanitizantes, álcool 70% e outros equipamentos básicos indispensáveis para proporcionar uma mínima proteção aos trabalhadores que estão atuando nos ônibus e terminais de embarque e
desembarque de passageiros.”

Silvio Barros testa positivo para Covid-19 e deixa recado sobre vacina contra gripe

Para reduzir os riscos de contágio, dirigentes do Sinttromar entregaram no Terminal Intermodal, na terça-feira (24), álcool em gel, luvas e máscaras aos motoristas, que estão trabalhando com medo de contrair a Covid-19. “Fizemos o papel que a empresa deveria fazer”, diz o dirigente Emerson Viana Silva.

No pedido de liminar, além dos EPIs mencionados, o Sinttromar também cobra que as empresas deem orientações aos funcionários sobre a utilização dos produtos, bem como o modo correto de higienização das mãos, desinfecção de torneiras, maçanetas, banheiros, roletas de acesso etc.

Decisão
Ao conceder a tutela provisória de urgência, a juíza determinou às empresas: a) Fornecimento e fiscalização do uso de EPIs, inclusive máscaras e luvas; b) Fornecimento de álcool em gel no início e durante a jornada de trabalho, nos transportes coletivos e locais de embarque, desembarque ou simples permanência dos trabalhadores; c) Orientação regular dos empregados sobre medidas e recomendações do serviço público de saúde.

Vereadores de Maringá desistem de revogar reajuste de 4,3% dos subsídios

A Justiça fixou prazo de 48 horas para as empresas TCCC e Cidade Verde comprovarem a adoção das medidas impostas. O descumprimento da medida cautelar implicará em multa diária no valor de R$ 10 mil por trabalhador. Não é descartada a requisição de força policial para fazer cumprir a ordem judicial.



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



Cafeinado: Conheça sete sites para verificar se a informação é fato ou fake

28/03/2020

Com o avanço da pandemia do novo coronavírus, é importante redobrar a atenção com os boatos que circulam na rede, em especial no WhatsApp. As fake news não são brincadeira. Informações falsas podem ser extremamente nocivas, agravando o triste cenário de aumento global no número de mortes pela Covid-19. As duas principais dica são: 1) Nunca compartilhe nada sem checar; 2) Desminta sem dó, publicamente (nas redes), o irresponsável que compartilhou o boato.

Cuidado: as notícias falsas sempre parecem mais atraentes que a verdade
O problema é que muitas pessoas ainda não sabem checar se aquela "notícia" apetitosa do grupo da família é fato ou é fake. Por isso, o Café com Jornalista elencou sete ótimos sites de fact-cheking (verificação de fatos) especializados em desmentir fake news. Antes da lista, uma recomendação.

Quando você se deparar com uma notícia suspeita, compartilhada sem qualquer fonte ou de um site duvidoso, com erros de português, com apelos do tipo "compartilhe ao máximo" ou "clique aqui", com ofertas inacreditáveis, duvide! Pesquise no Google sobre o assunto compartilhado, usando a palavra "boato". Feito isso, note que o Google listará matérias de alguns (ou até de todos) os sites a seguir. Por fim, use a matéria para desmentir a pessoa que espalhou o boato.

Sete sites para não cair nas fakes

Boatos.org
É o site especializado em demitir fake news preferido do editor deste Café. Criado em 2013 pelo jornalista Edgard Matsuki, conta hoje com uma equipe de jornalistas dedicados a garimpar os boatos disseminados nas redes sociais. Um dos mais recentes foi: "Ricardo Amorim grava áudio pedindo o fim da quarentena e apoiando Bolsonaro". Óbvio, é boato.

Fato ou Fake
Por reunir esforços de jornalistas do G1, O Globo, Extra, Época, Valor, CBN, GloboNews e TV Globo, é talvez o maior site de fact-checking do Brasil em volume de informações. O projeto foi criado em julho de 2018, dando importante contribuição durante as eleições daquele ano. Num dos desmentidos mais recentes, o site classificou como fake que "Pesquisa do MIT concluiu que o coronavírus não é transmitido em locais com temperaturas acima de 20ºC".

E-Farsas
É o avô dos sites que se dedicam a desmascarar as fake news. Criado em 2002 pelo analista de sistemas Gilmar Henrique Lopes, é o mais antigo site de fact-checking do país – em iniciativa que inspirou os principais veículos de comunicação do Brasil a fazerem o mesmo. Num dos últimos textos, E-Farsas desmente que "A gripe suína (H1N1, de 2009) foi muito mais fatal que o novo coronavírus".

Agência Lupa
É membro da International Fact-Checking Network (IFCN), grupo composto por plataformas de checagem que se encontra anualmente para debater os rumos e os desafios do jornalismo. A Agência Lupa é ligada ao site do jornal Folha de S.Paulo. Em recente verificação, escreveu que "É falso que Israel teve 'melhor situação do mundo' contra Covid-19 isolando apenas idosos".

Truco
É o projeto de fact-checking mantido pela Agência Pública desde 2014. No Truco, um dos objetivos é verificar frases supostamente de políticos e personalidades. Nas Eleições de 2018, o site fez checagens de boatos também nos principais Estados, incluindo o Paraná. Em reportagem publicada na segunda-feira (23), a agência informou que uma "Epidemia de Fake News" tomou conta das redes sociais neste período de quarentena.

Comprova
Projeto colaborativo contra a desinformação, é destinado a investigar informações enganosas. Reúne jornalistas de 24 veículos de comunicação brasileiros, entre eles o jornal O Estado de S.Paulo e a rádio Band News FM. Em recente verificação, informou que "É falso que Itália tenha registrado 232 mortes de crianças pela Covid-19".

Aos Fatos
O site não se limita a dizer apenas se é verdadeiro ou falso, classificando as checagens como: verdadeiro, impreciso, exagerado, contraditório, insustentável, falso, entre outros. Entre as verificações recentes, Aos Fatos cravou: "É falso que filme chamado ‘Coronavírus’ foi lançado na China em 2013" e é falso que "Presidente chinês não disse que pandemia é início de nova era para o socialismo".

O que é fact-checking?
A Agência Publica produziu um bom vídeo para explicar o que é fact-checking. Assista:


Devia dar cana
Pessoas que, intencionalmente, espalham fake news sobre o novo coronavírus deveriam ser presas ou, pelo menos, multadas. Já mostramos, aqui no Café, que na África do Sul essa medida já foi adotada. Na terra de Mandela, quem espalhar notícias falsas sobre a Covid-19 pode ser preso ou multado – ou ambos. A pena pode chegar a seis meses de prisão.

Vacina contra gripe
Acabou rápido. Ao meio-dia deste sábado (28), em nota, a Prefeitura de Maringá já informava que as 15 mil doses da vacina contra a gripe, destinada à imunização de pessoas com mais de 60 anos, estava esgotada. A vacinação, que ocorreria também no domingo, se deu por meio de drive thru e em áreas abertas, evitando a aglomeração de pessoas.

Novas doses
A Prefeitura espera do Ministério da Saúde, para os próximos dias, a chegada de novos lotes da vacina. Nova estratégia de imunização será divulgada, nos próximos dias pelo secretário municipal de Saúde, Jair Biatto, e sua equipe. Maringá segue o calendário nacional de vacinação.

Vacine-se
Em quarentena, após testar positivo para a Covid-19, o ex-prefeito de Maringá Silvio Barros (PP) recomentou que as pessoas não deixem de tomar a vacina contra a gripe. Ela não protege contra a Covid-19, explica Silvio, mas pode evitar que muitas pessoas procurem atendimento médico por causa de uma simples gripe. Na pandemia do novo coronavírus, em breve, faltarão leitos hospitalares em todo o Brasil. O vírus é altamente contagioso.

Meme


Quarentena I
A maior discussão, de momento, é sobre o isolamento social – criticado pelo presidente Bolsonaro e adotado por governadores e por inúmeros prefeitos. No entanto, não há motivo para discussões sobre esse assunto. Como diz o professor Irineu Ferraz, meu mestre na língua portuguesa, "Tentem não brigar com amigos por pontos de vista diferentes. Nos próximos dias, todos os pontos tendem a convergir!"

Quarentena II
De acordo com a agência Reuters, em notícia amplamente divulgada (até mesmo por sites que apoiam Bolsonaro), o Planalto gastou quase R$ 5 milhões em uma campanha contra a quarentena, intitulada "O Brasil não pode parar". O material teria sido encomendado pela presidência sem passar pelo crivo do Ministério da Saúde. Apesar de o vídeo ter sido compartilhado por deputados da situação, o governo disse, neste sábado (28), que a campanha contra a quarentena não existe.

Difícil negar
O vídeo existe e lembra muito a campanha da Prefeitura de Milão que, no fim de fevereiro, pediu para os milaneses não pararem. Hoje, Milão tem mais de 4.400 mortos pela Covid-19, sendo uma das cidades mais afetadas da Itália. Esta semana, o prefeito da cidade, Giuseppe Sala, pediu desculpas aos italianos pelo grave erro. O governo Bolsonaro precisa mesmo de uma tragédia para aprender? Não dá para aprender com os erros dos outros?

E o vídeo?
Seria uma irresponsabilidade do blog compartilhá-lo.

Bom vídeo
Para fechar a coluna com um assunto positivo, recomendo o canal SmallAdvantages, de um gringo que aprendeu o português do Brasil e que, hoje, dá dicas de inglês para brasileiros. No vídeo, "três rotinas para melhorar seu inglês na quarentena".





>>> Saiba mais sobre o colunista
>>> Veja os destaques dos demais colunistas


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



Veja as medidas que os Estados do Sul estão adotando para combater a Covid-19

28/03/2020

Da Agência Brasil – Na semana em que se completa um mês do anúncio do primeiro caso, em território nacional, da Covid-19 (doença respiratória causada pelo novo coronavírus), o Brasil segue em alerta para diminuir a propagação do vírus que, até o momento, já matou 92 pessoas no país.

Bares e restaurantes vazios na hora do almoço, no Rio de Janeiro – Tomaz Silva/Agência Brasil 
Com 3.417 casos espalhados por todas as unidades da federação, governos estaduais e municipais têm decretado estado de calamidade pública, na esteira da declaração de uma pandemia de coronavírus, pela Organização Mundial da Saúde (OMS)

Diante da emergência sanitária mundial, as autoridades brasileiras têm estabelecido diversas regras e normas para funcionamento de serviços de saúde e serviços não essenciais.

☕ Vereadores desistem de revogar reajuste de 4,3% dos subsídios

Na maior cidade do país, São Paulo, foi decretada quarentena oficinal na última terça-feira (24), com o fechamento de todo o comércio, exceto serviços considerados essenciais como supermercados e farmácias. A mesma medida foi estendida aos 645 municípios do Estado.

Na maioria das unidades da federação, as aulas, tanto na rede pública quanto na privada, estão suspensas. Eventos com grande número de pessoas também estão proibidos. Também houve mudanças no transporte público, com redução de frota, e alterações nas regras de abertura de comércios, bares e restaurantes.

Veja, a seguir, o que cada Estado da região Sul tem estabelecido como norma e os esforços para ampliar as redes de atendimento em saúde.

Região Sul

Paraná

As aulas presenciais em escolas estaduais públicas e privadas, inclusive nas entidades conveniadas com o Estado, e em universidades públicas estão suspensas desde o dia 20 de março. Estão suspensos também os eventos públicos ou particulares com reunião acima de 50 pessoas, incluindo, por exemplo, cinemas, bibliotecas e museus. Academias e shopping centers devem ficar fechados por tempo indeterminado.

☕ Maringá amplia medidas de combate à doença

Podem funcionar, no entanto, consultórios médicos, unidades hospitalares, laboratoriais e farmacêuticas, supermercados, bancos, postos de combustíveis, revendedores de gás e estabelecimentos que fornecem alimentação exclusivamente para entrega em domicílio.

O governo do Paraná recomendou que bares e restaurantes fechem até a meia-noite e que esses estabelecimentos intensifiquem a higienização de áreas comuns, além de alertar para a separação de, no mínimo, um metro de distância entre um cliente e outro. Servidores com mais de 60 anos, com doenças crônicas, problemas respiratórios, gestantes e lactantes, estão em trabalho remoto obrigatório.

Rio Grande do Sul

O Estado restringiu a circulação e o ingresso de transporte interestadual público e privado no estado e determinou que transportes coletivos cirulem apenas com os passageiros sentados. O governo também proibiu a realização de eventos e reuniões com mais de 30 pessoas.

☕ Maringaense na Itália: "Não há lugar para todos nos hospitais"

O governo gaúcho fechou shoppings e centros comerciais, mas manteve abertas farmácias, clínicas de atendimento na área da saúde, supermercados, agências bancárias, restaurantes e locais de alimentação nesses locais. Bares, restaurantes e lanchonetes devem adotar uma série de medidas de higiene para evitar a contaminação pelo vírus. Devem também diminuir o número de mesas para evitar concentração de pessoas.

As praias foram interditadas. Templos religiosos podem funcionar respeitando o limite máximo de 25% da capacidade de assentos do local, além de tomar outros cuidados. As aulas na rede pública estão suspensas.

Santa Catarina

Na última quinta-feira (26), o governo anunciou o “Plano Estratégico para Retomada das Atividades Econômicas em Santa Catarina” que flexibiliza as regras de isolamento social do decreto publicado em 17 de março. Continua proibida, até 7 de abril, a circulação de transporte coletivo municipal e  intermunicipal, a circulação e entrada de veículos de outros estados ou países.

☕ Subsídio do prefeito sobe para R$ 26,3 mil e dos vereadores para R$ 9,6 mil

A partir da semana que vem, no entanto, será liberado o funcionamento de agências bancárias, academias, bares, shopping centers, bares, restaurante e comércio em geral, hotéis e pousadas, obras na construção civil, escritórios e depósitos. Os serviços de autônomos e profissionais liberais também ficam permitidos a partir de 1º de abril.

Foram estabelecidas diretrizes, como permitir somente a entrada de metade da capacidade de público e exigir respeito à distância de 1,5 metro de distância. Para os trabalhadores, a recomendação é afastamento sem corte de salário para grupos de risco (idosos e doenças crônicas) e adoção de medidas de prevenção nos locais de trabalho.

No Twitter, o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, informou que quarentena está mantida na capital do estado.

Outros Estados

Veja o que cada um dos demais Estados tem feito na prevenção ao novo coronavírus. Continue lendo...


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



Primeira morte por Covid-19 no Piauí é de um prefeito; Estado tem 11 casos confirmados

28/03/2020

Pedro Peduzzi, Agência Brasil – A primeira morte por infecção do novo coronavírus no estado do Piauí foi de um prefeito: Antônio Nonato Lima Gomes, de 57 anos, prefeito do município de São José do Divino, eleito pelo PT. A informação foi confirmada pela Secretaria de Saúde do Piauí e pelo governador do estado, Wellington Dias.

Prefeito Antônio Felícia (PT) morreu nesta sexta (27) – Foto: Divulgação
Conhecido como Antônio Felícia, o prefeito faleceu na madrugada do dia 27. A confirmação da causa da morte veio após exame divulgado hoje (28) pelo Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) do Piauí.

“Tudo aconteceu muito rapidamente. Imediatamente após ter tido os sintomas, ele se dirigiu ao hospital e infelizmente veio a óbito logo em seguida. É com muita tristeza [que comunico isso]. Antônio é do meu partido e é um amigo pessoal”, disse o governador Wellington Dias, via redes sociais.

No Paraná, ex-prefeito de Maringá testou positivo para Covid-19, mas passa bem

Segundo Dias, uma equipe de vigilância epidemiológica já se dirigiu à região para fazer mapeamento de todas as pessoas que tiveram contato com o prefeito.

“Vamos seguir todo protocolo da OMS [Organização Mundial da Saúde], do Ministério da Saúde e do nosso comitê de organização emergencial”, acrescentou ao pedir que todas pessoas que tiveram contato com o prefeito já deem início ao isolamento social.

De acordo com o governador, o Piauí já tem 11 casos confirmados de Covid-19. E agora, uma morte.



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



Ex-prefeito Silvio Barros testa positivo para Covid-19 e deixa recado sobre vacina contra gripe

28/03/2020

Entre as figuras públicas mais conhecidas de Maringá, o ex-prefeito Silvio Barros foi a primeira a testar positivo para o novo coronavírus. Ele recebeu o resultado do teste, nesta sexta-feira (27), em telefonema do amigo e secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Silvio Barros, em vídeo no Facebook sobre o contágio pela Covid-19: "Estou bem" – Reprodução
Silvio gravou um vídeo, compartilhado nas redes sociais, no qual diz estar se sentindo bem. "Meu caso, aqui em casa, é de isolamento total. Mas estou bem. Espero que logo logo a gente supere tudo isso. Vamos agora colocar nossa cidade e nossa vida nas mãos de Deus", disse.

Após retornar de uma viagem, com tosse, Silvio conta que sua esposa, Bernardete, tomou os devidos cuidados, com higienização com álcool em gel, insistindo que o ex-prefeito fosse ao médico. Desde então, Silvio se encontra em quarentena. "É preciso muito cuidado mesmo [com a doença]", escreveu, em sua página no Facebook.

Veja abaixo o vídeo sobre o teste positivo para a Covid-19.



Vacina contra gripe
Num vídeo anterior, quando aguardava o resultado, acreditando não estar com o novo coronavírus, Silvio comentou sobre a importância de se vacinar contra a gripe. Essa vacina não tem efeito contra a Covid-19, porém, pode reduzir as internações nos hospitais e salvar vidas.

Maringá confirma duas mortes pela Covid-19 e MP cobra providências contra carreatas

"A médica perguntou se eu tinha tomado a vacina contra a gripe. Disse que não tinha o hábito, porque sou uma pessoa saudável. Ela me pediu, encarecidamente, para tomar", contou Silvio. "Como os sintomas são praticamente os mesmos da Covid-19, quem tiver os sintomas vai ter de passar por todo o procedimento que eu passei", acrescentou.

Segundo Silvio, essa demanda hospitalar por causa da gripe – que tem vacina – pode contribuir para o colapso do sistema de saúde em tempos de pandemia do novo coronavírus. "Algumas pessoas, que não precisam [de um leito], podem estar tirando o lugar de alguém até até morrerá por falta de atendimento", comentou.

No mesmo vídeo, publicado no dia 23, Silvio pede que as pessoas se conscientizem e tomem a vacina contra a gripe.


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)