"Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade" George Orwell

quarta-feira, 4 de março de 2020

Oito oportunidades de jornalismo para concorrer em março

04/03/2020

O portal da Rede de Jornalistas Internacionais (ijnet) elencou oito oportunidades para jornalistas no mês de março, sendo que seis delas ainda estão com inscrições abertas. São bolsas, subsídios e competições para profissionais da área em todo o mundo.


Uma das oportunidades é a do Prêmio Investigativo do Public Eye, com fundo para projetos investigativos em países em desenvolvimento. Outra é de uma bolsa para jornalistas que cobrem a área de viagem e turismo.

Confira no site da ijnet!



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa



Cafeinado: Câmara aprova compartilhamento de bikes e patinetes

04/03/2020

Baseado em ampla pesquisa da realidade de outras cidades, o Programa Bike Ingá, de compartilhamento de bicicletas e patinetes em Maringá, deu um importante passo rumo à sua implementação. Na sessão desta terça-feira (3), a Câmara Municipal aprovou o projeto de lei 14.753/2018, que dá diretrizes para esse modal na cidade.

O programa prevê o favorecimento da chamada micromobilidade urbana que, integrada ao transporte público, pode contribuir para o descongestionamento do trânsito. "Estamos pensando Maringá para daqui dez, 20 anos. O trânsito vai travar, por isso precisamos de outros modais", comentou Onivaldo Barris (sem partido), co-autor do projeto de lei.

Coube ao outro signatário do projeto, Sidnei Telles (PSD), fazer a defesa do Bike Ingá na tribuna. Telles explicou que o programa prevê dois sistemas, um deles baseado em estações físicas para a retirada e devolução das bikes e patinetes. O outro, sem estações, permitirá que os equipamentos sejam devolvidos em áreas virtuais pré-definidas. Aplicativos poderão ser adotados para ajudar os usuários, bem como totens de identificação do serviço.

A crescente malha cicloviária de Maringá favorece o transporte individual por bicicletas e patinetes. Na foto, a bela ciclovia da Avenida Cerro Azul, na Zona 2 – Foto: Divulgação/PMM
Integração
A nova lei preconiza que o serviço seja integrado ao transporte coletivo da cidade. Segundo Telles, isso facilitará o deslocamento no trajeto final do passageiro, entre o ponto de ônibus e o trabalho da pessoa, por exemplo. As bicicletas e os patinetes, portanto, serviram especialmente para pequenos trechos, por isso a definição de "micromobilidade".

Voto contra 
O projeto foi aprovado em primeira discussão por 12 votos a 1. O voto contrário foi de Jean Marques (PV), que questionou as intervenções do estado previstas pela lei, entre elas o acesso a dados dos percursos feitos pelos usuários do sistema. "Como a cobrança de ISS é por valor, não faz sentido algum o poder público ter acesso às viagens que a pessoa fez de forma privada", disse Marques.

Emendas
Marques, que já foi visto pelas ciclovias da cidade de terno e gravata em seu patinete, defendeu a regulamentação do serviço, mas criticou a previsão de definição do valor da tarifa por meio de decreto de lei do Executivo. "Pelo amor de Deus, o poder público não tem de se meter em fixar valor em contratos privados", comentou o vereador do PV. São esperadas emendas para ajustes no projeto antes da apreciação da matéria em segunda discussão, na sessão de quinta (5).

Medelín
Uma das cidades que inspirou o projeto de lei de Telles e Barris foi Medelín, metrópole colombiana com cerca de 2,5 milhões de habitantes. Telles fez parte de uma comitiva maringaense que esteve em Medelín para conhecer iniciativas públicas, entre elas o transporte, que conta com linhas rápidas de ônibus, VLTs, teleféricos e – segundo o vereador – um serviço gratuito de bicicletas e patinetes.

Teleférico de Medelín, na Colômbia

Band Entrevista
O prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PDT), concedeu entrevista, esta semana, ao jornalista Milton Ravagnani. Assuntos do momento, como a inauguração do Terminal Intermodal e a campanha salarial dos servidores municipais, foram abordados. A entrevista será exibida pela TV Maringá (Band) no sábado (7) às 18h50.


Servidores
Por falar em campanha salarial, esse foi um dos assuntos da entrevista de Ravagnani com a presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar), Priscila Guedes, nesta terça (3), na Band News FM. Foi a estreia do jornalista naquela emissora de rádio, que já tem no time o experiente Amaro de Oliveira.

Reajuste
Os servidores municipais pedem 14,11% de reajuste salarial, mais aumento no vale-alimentação de R$ 337,50 para R$ 500, entre outras reivindicações. Na primeira reunião da mesa de negociação, segunda (2), a administração solicitou um prazo para apresentar contraproposta. Nova reunião foi marcada para terça-feira (10), às 10 horas, no Gabinete do prefeito. O Sismmar convocou nova assembleia da categoria para a mesma data, às 18h30, no Auditório Luzamor.



PTinder
A deputada federal e presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, e o ex-senador Lindbergh Farias (PT) estão namorando. A informação é da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo.

Lula
O ex-presidente Lula segue seu giro internacional. Na segunda (2), acompanhado da ex-presidente Dilma Rousseff e do ex-ministro da Educação Fernando Haddad, o líder supremo dos petistas recebeu o título de cidadão honorário de Paris, em cerimônia realizada na capital francesa. A honraria foi concedida pela prefeita Anne Hidalgo, em outubro de 2019, quando Lula ainda estava preso.

Direitos humanos
Segundo informações da Deutsche Welle (DW), a honraria recebida por Lula é concedida a personalidades internacionais que tenham se destacado na defesa dos direitos humanos. O ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, também recebeu esse título. Para os franceses, Lula teve papel importante na luta pela igualdade social – que o digam as domésticas, que até iam pra Disney.

Pra Dois
Foi matéria aqui no Café o canal no YouTube Pra Dois, de um casal mineiro apaixonado por Maringá que se dedica a relatar suas experiências na cidade. O canal, que estava sem novos vídeos há três semanas, está de volta. Os autores estavam com dengue.





>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa



Avanço da dengue gera debate sobre a crotalaria na Câmara Municipal

04/03/2020

O avanço da epidemia de dengue no Paraná tem levantado todo tipo de discussão sobre o problema, seus possíveis culpados e soluções. Na Câmara Municipal, o debate mais recente envolveu a crotalaria, com comentários pró e contra o uso dessa planta no combate ao mosquito da dengue.

Crotalaria já teve mudas distribuídas em Maringá
Com potencial para atrair libélulas – predador natural do mosquito Aedes aegypti –, a crotalaria foi apontada pelo vereador Chico Caiana (PTB) como alternativa no combate à dengue. "A dengue foi praticamente eliminada desse município por um simples fato, essa planta benéfica", disse Caiana, sem mencionar o nome "desse" município.

 Combate à dengue precisa de mais multas

A alternativa proposta por Caiana foi contestada por Flávio Mantovani (PPS), vereador ligado às causas animal e ambiental. Segundo ele, o uso da crotalaria não tem eficácia comprovada. "Nas mais de 36 cidades onde foram entregues mudas dessa planta não houve melhora no combate à dengue", afirmou.

Apesar de a crotalaria não ser uma planta exótica, Mantovani apontou o risco de a distribuição desmedida de mudas causar danos ambientais. "Não temos estudo científico para garantir que isso não vá se tornar uma praga a médio e longo prazo", acrescentou.

Debate sobre a crotalaria foi levantado por Chico Caiana (PTB) – Foto: CMM
O debate envolveu outros dois edis. Sidnei Telles (PSD) disse que em algumas cidades onde a medida foi implantada houve piora no quadro de dengue. Isso teria ocorrido, segundo o vereador, porque muitas pessoas se descuidaram na limpeza de seus quintais, deixando a responsabilidade do combate à dengue para as plantas (citronela e crotalaria).

Carlos Mariucci (PT) lembrou que o uso da planta como medida auxiliar no combate à dengue foi a principal bandeira do ex-vereador Tenente Edson. Por conta da aprovação de uma lei assinada por ele (Edson), em 2013, o combate à dengue incluiu a distribuição de mudas de crotalaria e citronela na cidade. Várias entidades se envolveram, apoiando a causa. "Não vingou. Não basta a planta, tem de manter o quintal limpo", disse o petista.

O contexto e os fatos
Em 2013, Maringá também atravessava uma epidemia de dengue, levando as autoridades locais a buscar medidas suplementares – além das campanhas educativas, dos mutirões contra a água parada e do tradicional fumacê – para tentar frear a doença. A crotalaria, àquela altura, soava como uma opção válida até mesmo para profissionais da saúde. A planta era avaliada como "uma ferramenta importante".

Com o passar dos anos, estudos sérios foram desmistificando a questão da crotalaria e também da citronela. Ainda que possa espantar o mosquito (citronela) ou atrair a libélula (crotalaria), isso não comprova a eficácia dessas plantas no combate à dengue. A libélula, por exemplo, não costuma ser um inseto urbano e não tem o Aedes aegypti como alimento preferido.

A informação é do biólogo e professor de microbiologia Almir Braga, do Centro Universitário Una, de Minas Gerais. O pesquisador alerta que o uso dessas plantas como alternativa pode ser perigoso, uma vez que passa à população uma falsa sensação de segurança e de dever cumprido. O método comprovado e mais eficaz de prevenção e combate ao mosquito, afirma Braga, segue sendo o mesmo de sempre: não deixar água parada e evitar acúmulo de lixo e entulhos.




>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa