terça-feira, 15 de dezembro de 2020

Artigo: Servidor público do Estado não recebe salário indevidamente

15/12/2020_

Por Paulo Vicari* – Como servidor público do Estado do Paraná, pago 14% dos meus vencimentos para, ao me aposentar, ter a integralidade do meu salário. Após a aposentadoria, continuarei pagando 16% dos meus vencimentos para ajudar na aposentadoria da próxima geração.

Obra "Operários, da artista Tarsila do Amaral. Café com Jornalista
Obra "Operários, da artista Tarsila do Amaral – Divulgação
Ah, e eu pago 27,5% de Imposto de Renda (IR). Não tenho FGTS e, sim, acreditem, já fiz muita hora extra sem nada receber – ou seja, trabalhei de graça para toda a sociedade. Servidor público concursado não recebe salário indevidamente.


Se o governo está em crise, a culpa não é minha. E lembrando: sou servidor público. Nenhum político me deu esta vaga, não teve conchavo e nem trapaça! Estudei muito para poder concorrer a esta vaga e, mais ainda, para ser aprovado no concurso público que prestei.

Recebo por aquilo que trabalhei, e, muitas vezes, trabalhei bem mais do que recebi. Trabalhei pela melhor gestão dos recursos públicos sempre, e sempre com o máximo de eficiência, eficácia, ética e moral. Meu salário é fruto de dedicação, suor e de muito investimento (muito) em estudos – sem falsidade ideológica no meu Lattes.

Apesar de existir uma minoria privilegiada (deputados, governadores, vereadores, prefeitos, senadores, assessores e muitos comissionados etc), sim, como em qualquer área, é injusto ver campanha na mídia desmoralizando o servidor público.


Não são os salários dos servidores públicos, que têm o IR descontado na fonte, que quebram a Previdência, nem é o servidor público que quebra as finanças do Estado.

A quebra da Previdência e das finanças públicas é resultado de renúncias fiscais, da não cobrança dos grandes devedores, da não tributação das grandes fortunas, da corrupção, dos muitos assessores e penduricalhos dos cargos eletivos, do uso dos recursos com desvio de finalidade, da má administração e, ainda, da falta de gestão dos recursos públicos há décadas!

Colegas servidores: copiem e publiquem em suas páginas. "Afinal, existe muita gente opinando sem conhecer os fatos".

* Servidor público do Estado do Paraná, Paulo Vicari reside em Pato Branco.


Livro Orfeu & Violeta. Amazon. Luiz Fernando Cardoso. Café com Jornalista


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Os artigos não refletem, necessariamente, a opinião do Café com Jornalista, que os reproduz em exercício da atividade jornalística e amparado pela liberdade de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 

0 comentário(s):

Postar um comentário

Editor

Minha foto
Graduado em Jornalismo e pós-graduado em Jornalismo Digital, o editor do Café com Jornalista tem 20 anos de experiência na profissão. Especialista na cobertura de política, o jornalista trabalhou nos jornais Diário do Sudoeste, Jornal de Beltrão, Diário do Norte, O Diário de Maringá e Notícias do Dia, onde foi editor-chefe. Foi estagiário na Deutsche Welle (DW), em Bonn (Alemanha), e colaborador da Folha de S.Paulo e Gazeta do Povo. É escritor autor de três e-books: Orfeu e Violeta, Quero Café! e Nas Curvas de Maringá (pesquise na Amazon). Siga no Twitter: @LF_jornalista