"Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade" George Orwell

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Artigo: "Perdas", talvez deva ser o título

30/11/2020_

Por Tania Tait* – Lembro da sensação da primeira vez que perdi um amigo. Eu tinha 15 anos, ele 16. Quando minha prima me disse que ele tinha morrido num acidente, a minha resposta foi: "Não, você está enganada, a gente estava jogando bola ontem à tarde". Como se o fato de ter estado com ele na tarde anterior não significasse que ele poderia partir a qualquer momento.

Imagem: Revista Bras.il
Houve uma comoção muito grande no colégio. Éramos adolescentes diante de um acidente que tirou um de nós do convívio diário. Também tínhamos perdido uma professora, anos antes, que morrera no parto. Aí, foram se seguindo outras perdas: avós queridos, tios e a vida seguindo.


Quando morreu a primeira mãe da minha turma de amigos, eu, entristecida, comentei com meu pai. A resposta dele foi curta: "As gerações vão se acabando, a vida é um ciclo, daqui a pouco seremos nós". E, depois foram se seguindo outras perdas, coisa da vida, cada qual no seu tempo. Ele, meu pai, companheiro e amigo, também se foi.

De repente, com a idade, a presença nos velórios foi se tornando mais constante. Coisas da vida. 

E chegamos a 2020, diante de uma pandemia que ceifa vidas, implacavelmente. Não se trata mais de "gerações que vão se acabando" no ritmo normal da vida, mas de pessoas que estão morrendo contaminadas por um vírus avassalador.


Dia 27 de novembro foi um dia tristemente dolorido. Perdemos dois companheiros de militância de movimento social e do Partido dos Trabalhadores (PT), Jadilsso e Seu Arlindo – um por Covid e o outro, por câncer. Me vieram à mente outra perda recente, do Zumbi, e perdas mais distantes no tempo, como do Zé Cláudio e da Rose Zanardo. Militantes de décadas de atuação conjunta tanto no movimento social como partidário, na alegria das vitórias e nas tristezas.

Sem perceber, nos tornamos uma família que luta por uma sociedade justa, igualitária e fraterna. Muitos de nós começaram sua vida política por meio da participação nas pastorais e nas comunidades eclesiais de base da Igreja Católica, no movimento feminista, no movimento estudantil, no movimento popular ou sindical.

Alguns muito próximos, outros mais distantes, vimos os filhos crescerem, casamentos se desfizeram, outros se fizeram. Muitos se diplomaram na universidade, outros na vida, alguns foram pioneiros em suas áreas, alguns conquistaram mandatos políticos, outros não. Vibramos juntos, sofremos juntos.


O elo que nos une não é o sangue, é o elo da busca por uma sociedade em que as pessoas tenham direitos e sejam felizes.

Quando penso nesses companheiros que se foram, me vêm à mente muitos momentos compartilhados que nem as fotos existentes conseguem captar. Foram risos, lágrimas, brincadeiras e assuntos sérios que nos moveram e mantiveram unidos.

Livro Orfeu & Violeta. Amazon. Luiz Fernando Cardoso. Café com Jornalista

Sabemos que eles fizeram história e colocaram suas vidas para o bem comum. Nos resta reverenciá-los com todo respeito.

#TodosetodasPresente
#JadilssoPresente
#SeuArlindoPresente
#ZumbiPresente
#RoseZanardoPresemte
#ZéClaúdioPresente

* Coordenadora da ONG Maria do Ingá Direitos da Mulher, Tania Tait é escritora e professora aposentada da UEM, com doutorado em Engenharia de Produção pela UFSC e pós-doutorado em História pela UEM. Seu mais recente livro é "As Mulheres na Luta Política" (2020).

 As melhores matérias do Café na cobertura das Eleições 2020
☕ Abraçar ou não abraçar Suzy: o que faria Jesus?


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Os artigos não refletem, necessariamente, a opinião do Café com Jornalista, que os reproduz em exercício da atividade jornalística e amparado pela liberdade de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 

Decreto mantém toque de recolher e estabelece 'lei seca' em Maringá

30/11/2020_

Café com Jornalista, com PMM – A Prefeitura de Maringá publicou no Órgão Oficial do Município (OOM), nesta segunda (30), um novo decreto com ações de enfrentamento ao novo coronavírus (covid-19). Entre as principais medidas adotadas estão restrições ao funcionamento do comércio e uma espécie de "lei seca".

O Decreto 1.840/2020 mantém o toque de recolher entre 23h e 5h e a proibição de visitação dos parques municipais e áreas públicas de lazer em geral. Essas medidas haviam sido impostas pelo Decreto 1.817/2020, publicado na quarta (25). 

As novas regras entram em vigor nesta terça (1º), com vigência prevista até 13 de dezembro.

Decreto impõe lei seca em Maringá. Café com Jornalista
Clique aqui para ler o Decreto 1.840/2020 na íntegra
As medidas adotadas neste novo decreto foram discutidas, no sábado (28), com representantes da sociedade civil organizada. Na reunião, o prefeito Ulisses Maia (PSD) classificou o acordo selado como um "pacto pela vida". 

"Não estamos falando apenas de números. São pessoas. Famílias que estão perdendo seus entes queridos todos os dias. Vamos pensar no coletivo e nos colocar no lugar do outro. Ninguém está imune", disse Ulisses.
Coincidência ou não, críticos do atual governo já previam que novos decretos seriam publicados após as eleições. Assim como em várias outras cidades do Estado, Maringá vive um novo pico da covid-19 que, em parte, foi gerado por aglomerações causadas durante a campanha eleitoral – segundo constatação do próprio secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, em entrevista concedida em 20 de novembro.


Lei Seca

Um dos principais catalisadores das aglomerações – tão nocivas em tempos de pandemia –, o consumo de álcool é um dos alvos principais do novo decreto. A chamada "lei seca" proíbe a venda e o consumo de bebidas alcoólicas aos sábados e domingos. De segunda a sexta, a proibição vale após as 17 horas.

De acordo com a publicação no OOM, a medida se aplica a "estabelecimentos comerciais, clubes sociais, associações recreativas, áreas comuns e/ou de lazer de condomínios residenciais e quaisquer locais públicos do município".

A multa para quem descumprir a determinação é salgada: R$ 10 mil para pessoas jurídicas e R$ 1.500 para pessoas físicas. Os valores dobram em caso de reincidência, e o estabelecimento infrator ainda fica sujeito à interdição e cassação do alvará.


Comércio

O decreto prevê funcionamento do comércio de rua das 10h às 19h, de segunda a sexta. Nos mesmos dias, os shoppings ficam liberados para funcionar das 11h às 22h. Atividades comerciais ficam proibidas no sábado e domingo.

Supermercados funcionarão de segunda a sábado, das 8h às 22h. Ao contrário dos primeiros decretos, agora o horário de atendimento é mais amplo, fato que deve contribuir para evitar aglomerações. Nas filas, deve-se respeitar distanciamento mínimo de dois metros, e os caixas devem funcionar de forma intercalada.

Nos supermercados, mercados e mercearias fica proibida ainda a entrada de crianças menores de 12 anos, com recomendação para que pessoas acima de 60 anos não frequentem esses estabelecimentos. A ocupação máxima deverá ser de uma pessoa por 25 metros quadrados de área de venda. 

Nesse caso, flagrantes de desrespeito ao decreto podem sem punidos com multa de R$ 5.000. Multa dobrada e cassação de alvará, em caso de reincidência, também são medidas previstas.


Bares e similares

Bares, restaurantes, lanchonetes, carrinhos de cachorro quente, food trucks e similares poderão funcionar todos os dias da semana, das 6h às 22h. Isso inclui a modalidade de atendimento de buffets no sistema selfservice, respeitada a proibição da venda e o consumo de bebidas alcoólicas.

Serviços de delivery de alimentos poderão funcionar até as 22h.

Também ficam livres para operar todos os dias da semana as feiras livres e a Feira do Produtor. O horário de expediente permitido vai das 6h às 22h, com proibição de consumo de alimentos no local. 


Outros

Cerimônias agendas até 27 de novembro, em cartórios e igrejas, podem ser realizadas até as 22 horas, com no máximo 150 pessoas. Contudo, a fé deverá ser exercida remotamente. Ficam suspensas as missas e cultos religiosos de forma presencial.

No entanto, as igrejas e secretarias poderão permanecer abertas para atendimento individualizado. Em caso de descumprimento dos decretos, a fiscalização está autorizada a interditar o local infrator por até 72 horas.

Há ainda muitos pormenores envolvendo o novo decreto, então, o Café recomenda uma leitura do documento sem pressa e com atenção aos detalhes (inclusive as multas previstas). Leia o decreto aqui



>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


As melhores matérias do Café com Jornalista na cobertura das Eleições 2020

30/11/2020_

Café com Jornalista – O trabalho de cobertura deste blog nas Eleições 2020, em especial no dia da apuração dos votos no primeiro turno, foi bastante elogiado pela audiência. Foram inúmeras matérias sobre a votação e os eleitos, curiosidades do pleito e análises políticas interessantes, entre elas a queda de 11% do capital político dos vereadores de Maringá.

O leitor deu um "confirma" para o Café com Jornalista nas Eleições 2020
O leitor deu um "confirma" para o Café com Jornalista nas Eleições 2020
Em decorrência da cobertura deste blog no período eleitoral, a audiência verificada no Google Analytics mais que triplicou. Isso é resultado da seriedade com que o trabalho foi feito e da confiança dos leitores no conteúdo publicado. 

Agora, passadas as eleições, o Café faz um apanhado do que de melhor foi publicado no período eleitoral. Trata-se de um compilado das principais matérias para consulta rápida a posteriori. Então, vamos lá.


Após o 1º turno


Cobertura da apuração



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 

domingo, 29 de novembro de 2020

Eleições 2020: Esquerda consolida novos nomes com Boulos e Manuela

29/11/2020_

Café com Jornalista – Em uma eleição marcada pela desidratação do PT – que, pela primeira vez desde a redemocratização, não venceu em nenhuma capital – a esquerda consolidou novas lideranças políticas nas figuras de Guilherme Boulos (PSOL) e Manuela D'Ávila (PCdoB). Ambos saíram fortalecidos das urnas, apesar de terem perdido as eleições.

Guilherme Boulos (PSOL) e Manuela D'Ávila (PCdoB). Café com Jornalista
Guilherme Boulos (PSOL) e Manuela D'Ávila (PCdoB)
Em São Paulo, maior colégio eleitoral do país, Boulos surpreendeu ao avançar ao segundo turno, eliminando da disputa do bolsonarista Celso Russomanno (Republicanos), que havia largado na frente nas primeiras pesquisas de intenção de voto. O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) superou ainda, com folga, o petista Jilmar Tatto.


No segundo turno, Bruno Covas (PSDB) foi reeleito com 59,38% dos votos válidos. Na disputa, o prefeito contou com o apoio do governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Presidenciável em 2018, Boulos anotou 40,62%.

O candidato do PSOL saiu fortalecido principalmente junto à juventude e à população mais carente. Boulos venceu as eleições nas zonas eleitorais da Zona Sul e em parte da Zona Leste, que são regiões menos favorecidas da capital paulista.

"Não é o fim. Está apenas começando...", escreveu Boulos no Twitter, após cumprimentar Covas pela vitória. Assista aqui ao pronunciamento do líder do MTST após o resultado final das eleições. 

POA

Na capital gaúcha, Manuela deixou para trás no primeiro turno o atual prefeito, Nelson Marchezan Júnior (PSDB). Mais uma vez, os gaúchos mostraram seu baixo entusiamo com candidatos que tentam a reeleição.


No segundo turno, Manuela chegou a figurar na ponta (em empate técnico na margem de erro) nas últimas pesquisas antes da eleição. No entanto, ela obteve nas urnas 45,37% dos votos válidos, sendo derrotada por Sebastião Melo (MDB), que somou 54,63%.

Vice de Fernando Haddad (PT) na disputa presidencial de 2018, Manuela passou parte da campanha ou lidando com a rejeição atual ao PT ou tendo de se defender das fake news de adversários. Durante o pleito, a candidata do PCdoB precisou ingressar várias vezes na Justiça contra as notícias falsas, conseguindo retirar 91 boatos do ar.

As fake news foram lembradas em seu pronunciamento após a apuração dos votos. "Agradeço a todo o apoio que recebi nessa caminhada, a quem votou em mim e a cada olhar de ternura que recebi. Enfrentamos muita baixaria e notícias falsas. Mas a democracia é soberana. Desejo sorte ao Sebastião Melo e seguiremos na luta, ao lado de quem quer uma cidade mais justa", tuitou Manuela.


Em todo o país, os prefeitos e prefeitas eleitos tomarão posse em 1º de janeiro. O mandato, como é de conhecimento geral, é de quatro anos.



Cobertura da apuração



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.