sábado, 26 de setembro de 2020

Dirceu Herrero e Donizete Oliveira lançam hoje livro sobre Américo Dias Ferraz

26/09/2020_

Café com Jornalista, com assessorias – Muito mais que uma biografria, uma pesquisa sobre a história de Maringá. Assim é apresentada a obra "Américo Dias Ferraz – A saga do Caboclo Violeiro" (Sinergia Casa Editorial, 224 páginas), livro dos jornalistas Dirceu Herrero e Donizete Oliveira sobre o segundo prefeito de Maringá. 

O livro será lançado neste sábado (26), às 9h15, na sede da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim), na Rua Basílio Sautchuk, 388. A manhã de autógrafos com os autores se estenderá até o meio-dia. 

Américo Dias Ferraz e Dom Jaime, que se tornaram amigos
Na obra, os autores revelam fatos que fizeram a história do município. Na primeira de cinco partes, o livro aborda um tema que repercute até hoje na história política de Maringá, envolvendo Américo e o fazendeiro Aníbal Goulart. 


Na véspera de natal de 1956, Goulart, adversário político de Américo, e que dispunha de dezenas de jagunços, mandou seu capanga Santo Ribeiro dar uma surra de guaiaca no prefeito. O crime aconteceu num salão de barbeiro ao lado da então Praça da Rodoviária, que, mais tarde, se chamaria Napoleão Moreira da Silva.

O prefeito fazia a barba quando foi surpreendido por Santo Ribeiro. O episódio é conhecido e narrado até hoje quando se lembram da administração de Américo Dias Ferraz. Os autores se aprofundaram na pesquisa e trouxeram fatos inéditos, como o toque de recolher que tal confronto gerou na cidade. Reforços policiais de Apucarana e Curitiba vieram a Maringá para acalmar os ânimos dos moradores, que, revoltados queimaram a casa de Aníbal Goulart. 

Na sequência, o livro aborda a colonização da região para o leitor se situar no ambiente que acolhera Américo. A terceira parte retrata a vida do ex-prefeito, que chegou a Maringá sem nada, literalmente. Nascido no interior mineiro, ele morava em Presidente Bernardes (SP) e, como muitos, veio tentar a sorte naquela boca de sertão. Ficou milionário, comprando e vendendo café e cereais. 


Com a nova condição financeira, lançou-se candidato a prefeito em 1956. Disputou com quatro fortes adversários e venceu. Na Prefeitura de Maringá, teve vários problemas, inclusive com a Câmara Municipal, que tentou cassá-lo.

Livro retrata a história de Américo Dias Ferraz, segundo prefeito de Maringá
Livro retrata a história de Américo Dias Ferraz, segundo prefeito de Maringá
Por fim, sua derrocada, ao ir à falência e cometer um assassinato. Um livro para quem quer saber mais sobre a história de Maringá e até do Paraná e do Brasil, pois o café, que transformou a vida de Américo Dias Ferraz, na época, era a força motriz da economia brasileira. 

A publicação do livro foi possível graçar ao apoio do Ministério da Cidadania, da Nipponflex e da Coopercard. 





>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 
Merece:

0 comentário(s):

Postar um comentário