sexta-feira, 17 de abril de 2020

Com uso obrigatório de máscaras, comércio de rua reabre em Maringá

17/04/2020

Um novo decreto municipal, aguardado para este sábado (18), permitirá a abertura do comércio de rua de Maringá, a partir de segunda (20). Gradativo, o afrouxamento no isolamento social será acompanhado de regras de prevenção ao novo coronavírus (covid-19), como o uso obrigatório de máscaras pela população.

Ulisses: "O uso de máscara é um ato de amor ao próximo" – Foto: reprodução
As medidas foram anunciadas pelo prefeito Ulisses Maia (PSD) em entrevista coletiva, na manhã desta sexta (17), aniversário de um mês do decreto que determinou o fechamento do comércio. A coletiva teve participação do secretário municipal de Saúde, Jair Biatto, e de vereadores.

☕ Cadastre-se para receber matérias do Café no seu WhatsApp

Segundo o prefeito, as decisões tomadas estão pautadas em critérios técnicos, entre eles o reforço da estrutura hospitalar e um novo estudo da Universidade Estadual de Maringá (UEM). "O estudo da UEM mostrou que Maringá é a cidade do Paraná, entre as grandes, em melhor situação de enfrentamento da covid-19", disse Ulisses. "Com muito sacrifício de todos nós, chegamos com uma rede de saúde preparada para a reabertura gradativa e segura do comércio e dos serviços", acrescentou.

☕ Isolamento achatou a curva de infecção pela covid-19 em Maringá, aponta estudo do Observatório das Metrópoles da UEM

Além do comércio de rua, o decreto deste sábado permitirá a retomada de serviços individuais, com agendamento. Isso abrange um sem-fim de profissionais, como pedreiros, pintores, eletricistas, encanadores, manicures etc.

Contudo, o primeiro decreto da próxima semana (um segundo deve ser publicado quarta, após o feriado) não inclui as academias, shoppings centers, cinemas, teatros e outros eventos que causem aglomerações, como shows. O consumo em lanchonetes e restaurantes segue proibido, mas esses estabelecimentos podem trabalhar no sistema delivery.

☕ Liminar obtida por vereador suspende toque de recolher em Maringá

As feiras livres ainda não serão liberadas. Em entrevista à RPC, Ulisses explicou ainda não foi encontrado um formato ideal para as feiras, permitindo que elas voltem ao funcionar com a garantia de segurança dos trabalhadores e consumidores. Para as feiras, também não há prazo definido.

Sobre a volta às aulas na rede municipal, o prefeito disse que essa será a última medida a ser adotada. Quanto à rede estadual, em entrevista à Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (Aerp), o governador Ratinho Junior (PSD) disse ser pouco provável o retorno presencial das aulas "neste primeiro semestre". O governo implantou um sistema de aulas a distância para que os estudantes não percam o ano letivo.

☕ Fundo Covid deve receber R$ 78 mil dos 4,3% de reajuste dos subsídios
 

Estrutura

A fase de preparação do município para a liberação do comércio e dos serviços incluiu a ampliação dos leitos de unidade terapia intensiva (UTI) do Hospital Municipal de Maringá (HUM); a aquisição de medicamentos que têm sido utilizados nos casos graves de covid-19; o aluguel de 108 leitos em hotéis e a adaptação de dois centros municipais de educação infantil (CMEIs) para acomodar profissionais da Saúde.

☕ Recuperado da covid-19, Silvio Barros defende medidas de isolamento

Outra medida, mais recente, foi a compra de 4.000 testes para a covid-19, o que permitirá acompanhar a evolução da doença mediante o afrouxamento do isolamento social. Com a falta de testes, Maringá pode ter centenas (talvez milhares) de casos subnotificados da doença, considerando o fato de que muitas pessoas (os mais jovens, especialmente) contraem o vírus e não apresentam qualquer sintoma.


A exigência de máscaras virá acompanhada da entrega de desse equipamento de proteção individual à população. Segundo Ulisses, o município está comprando "uma grande quantidade de máscaras de pano", reutilizáveis. Somam-se a esses esforços da Prefeitura a doação de máscaras por empresários e sindicatos.

Parceria

A coletiva de imprensa foi marcada, nesta sexta, pela assinatura de um termo de cooperação técnica entre o município e três instituições de ensino superior: UEM, Unicesumar e Uningá. Pesquisas ajudarão a mapear a disseminação do vírus em Maringá, Sarandi e Paiçandu, informando, por exemplo, qual é o percentual de infectados assintomáticos da covid-19. As referências científicas são consideradas fundamentais para manter o achatamento da curva de contágio.

De acordo com o boletim divulgado nesta sexta (17), Maringá tem 1.464 casos notificados, número que endossa a informação de que há subnotificação. A cidade tem cinco óbitos pela covid-19, 52 casos confirmados e 364 casos suspeitos em acompanhamento.

☕ APPs falsos são usados por golpistas para roubar auxílio de R$ 600


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.



Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.
Merece:

0 comentário(s):

Postar um comentário