sexta-feira, 10 de abril de 2020

Cafeinado: Mundo tem Sexta-feira Santa triste, com mais de 100 mil mortes pelo novo coronavírus

10/04/2020

A Sexta-feira Santa, data em que cristãos de todo o mundo lembram a crucificação de Jesus Cristo no Calvário, foi marcada por uma data triste e histórica. A pandemia do novo coronavírus (vírus Sars-Cov-2), que causa a doença respiratória covid-19, superou, neste dia 10, a marca de 100 mil mortes. Isso em menos de quatro meses (a primeira morte pela doença ocorreu na China, em 11 de janeiro) e antes mesmo de o vírus ter alcançado o pico de contágio na maioria dos países.

Segundo o Ministério da Saúde, a covid-19 já matou 1.056 brasileiros. São 19.638 casos confirmados no país
De acordo com o Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas (CSSE) da Universidade Johns Hopkins, Baltimore (EUA), a marca de 100 mil foi superada por volta as 15 horas. Quando essa coluna foi concluída, às 21h15, o número de mortes havia subido para 102.525. Os dados provam que o novo coronavírus não pode ser comparado à pandemia da gripe A (H1N1), que matou cerca de 18 mil pessoas num período bem maior, entre 2009 e 2010, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Aviso da Europa
Os países mais devastados pela doença – Itália e Espanha estão no topo desse ranking macabro, com 18.849 e 15.970 mortes, respectivamente – possuem excelente nível de educação, infraestrutura invejável e uma rede hospitalar de ponta. Isso não foi suficiente para evitar a tragédia que levou médicos a terem de escolher qual paciente ficaria com o leito de UTI, com direito ao respirador, e qual morreria. Ninguém quer passar por isso.

Tragédia
Já vimos na coluna que os sábios aprendem com as experiências e com os erros dos outros. Não precisamos aguardar o pior acontecer em nossas cidades antes de tomarmos medidas assertivas pelo isolamento social. Não temos nem sequer 50% da estrutura hospitalar da Espanha e Itália (na verdade, esse percentual deve ser bem menor), então, não dá para esperar algo melhor que uma tragédia no Brasil. Não precisa ser prêmio Nobel para entender a gravidade da situação.

Meme


Isolamento funciona
Não precisamos mais de exemplos importados para saber que o isolamento social funciona. Um estudo do Observatório das Metrópoles da Universidade Estadual de Maringá (UEM) revela que, sem a quarentena, a cidade teria atingido o pico de contágio no último dia 4. E, pior, Maringá teria tido nesse dia 82 mil pessoas infectadas pela covid-19. Se as medidas de isolamento forem mantidas, o pico deve ocorrer em 17 de maio, com 15.284 pessoas infectadas num único dia. Ou seja, a curva de contágio terá sido bem achatada. Veja detalhes do estudo do Observatório aqui.

Preocupação
A decisão tomada pelo prefeito Ulisses Maia (PSD), vereadores e lideranças do comércio e da indústria, naquela reunião na Acim que decidiu pela reabertura das indústrias e pela liberação das atividades da construção civil, foi recebida com preocupação pelos pesquisadores da UEM. O medo é que as autoridades subestimem o vírus e que, mais tarde, faltem leitos para todos os infectados pela covid-19 que precisarem de internação.


Paraná
A Secretaria de Estado da Saúde confirma mais dois óbitos e 34 novos casos de coronavírus no Paraná. De acordo com o boletim desta sexta-feira, o Paraná soma agora 26 óbitos e 655 casos confirmados. Os dois falecimentos são de um homem de 71 anos, que estava internado desde o dia 30 de março, em Londrina, e de um paciente de Iretama, Centro-Oeste do Estado, de 51 anos, que estava internado desde o dia 26 de março.

Maringá
A Prefeitura passa a computar a morte que não aparecia no boletim anterior. Maringá tem quatro óbitos e 45 casos confirmados da covid-19. No total, são 1.179 casos notificados de pessoas que apresentaram sintomas da doença, dos quais 329 estão em acompanhamento. A quem não toma as decisões, mas acompanha diariamente a evolução da doença no mundo (como é o caso dos jornalistas), resta torcer para que o afrouxamento da quarentena seja mesmo a decisão acertada – apesar de os especialistas alertarem que não é.

Milão x Maringá
Ficou conhecida a história do prefeito de Milão que, após 4.400 mortes pela covid-19, pediu desculpas públicas por ter apoiado a campanha "Milão não para". Em Maringá, um grupo intitulado "Maringá não pode parar" segue planejando manifestações pela reabertura do comércio – sendo que a última delas não vingou (veja no blog do Rigon). Amanhã, uma galera precisará pedir desculpas pela inconsequência de hoje.

Luto

Morreu nesta Sexta-feira Santa (10), de problemas vasculares, dona Alzira Schiante Barris, 90 anos, mãe do vereador de Maringá Onivaldo Barris (PSL). "Ela descansa nos braços do Deus Pai todo poderoso. A nós ficam seus ensinamentos e seu amor, que sempre teve por toda a família", escreveu o vereador, nas redes sociais. Local e horário ainda não estão definidos. Barris é representante do distrito de Iguatemi. Nossos sentimentos.

Dona Alzira com Onivaldo Barris: velório será na capela de Iguatemi, das 8h às 14h deste sábado (11)

Bela iniciativa
A Unicesumar produziu mais de 500 máscaras de acetato para doar aos profissionais da saúde do Hospital Municipal de Maringá que estão na linha de frente no combate à covid-19. Criada em formato de escudo para encobrir o rosto e servir como uma barreira de proteção, a máscara de acetato é indicada para médicos e enfermeiros no atendimento aos pacientes. Belíssima iniciativa. As máscaras, quando não estão em falta, estão muito caras.





>>> Saiba mais sobre o colunista
>>> Veja os destaques dos demais colunistas


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)


Merece:

0 comentário(s):

Postar um comentário