quinta-feira, 2 de abril de 2020

Pingado: Foz decreta calamidade pública por causa da covid-19; mas, e a dengue?

02/04/2020

A Secretaria Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu confirmou, nesta quarta (1º), mais dois casos positivos para covid-19. Agora, são 13 casos confirmados no município, além de 77 suspeitos. Nesta semana, também, o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, decretou Estado de Calamidade Pública na cidade. Desta forma, o poder público dispõe de maior agilidade nas ações e processos administrativos contra a crise.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, não dá para se esquecer da epidemia de dengue!
Em paralelo aos desafios de combate ao coronavírus, um velho dilema: a dengue. Uma mulher de 88 anos morreu, terça-feira (31), em decorrência da enfermidade. Agora, Foz do Iguaçu amarga a triste estatística de três mortes e 4.334 casos confirmados. Vale lembrar: o isolamento social, propiciado pelo coronavírus, não justifica a negligência de ações básicas de combate ao Aedes aegypti, como limpeza e não deixar água parada.

Ceasa
A Ceasa de Foz do Iguaçu registrou uma queda de 71% no volume de comercialização de alimentos, após o fechamento do comércio do município e da Ponte Internacional da Amizade, entre Brasil e Paraguai. Em uma situação comum, o fluxo de venda é de aproximadamente 350 toneladas ao dia. A venda, atualmente, recuou para cerca de 100 toneladas de alimento.

Enfermeiros
A Prefeitura de Maringá abre, nesta sexta (3), os envelopes de licitação que têm como foco pessoas físicas na área da saúde (enfermagem e técnicos em enfermagem) que estão interessados em prestar plantões ao município no período de pandemia. O contrato tem duração de seis meses, prorrogáveis por mais três. O valor total da licitação é de R$ 3.058.560 e pretende pagar pelo plantão de 12 horas, R$ 270 e R$ 137,40 para enfermeiros e técnicos em enfermagem, respectivamente.

Hospital da Criança
Quando lançado, a expectativa era de rápida construção ao melhor estilo China ou Japão. Dois anos após o lançamento da obra, já dá para lamentar a forma como conduziu-se a construção do Hospital da Criança. A obra, com participação quadripartite (Município, Estado, União e Organização Mundial da Família), seria de grande ajuda em momentos de pandemia, como o que vivemos, ainda mais com notícias frequentes de crianças infectadas. A notícia mais recente em relação à obra foi em fevereiro, quando o governador prometeu mais R$ 24 milhões. A unidade funcionando, entretanto, beira a ficção.

Universidades
As instituições estaduais de Ensino Superior do Paraná começaram esta semana o processo de credenciamento junto ao Sislab (Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública) para realização de exames de identificação do coronavírus. Juntas, as instituições terão capacidade para avaliar até 700 amostras por dia: um aumento de 120% na condição de processamento no Paraná. Hoje, o Lacen (Laboratório Central do Estado) tem capacidade de 600 exames/dia.

Legislativo
A Alep (Assembleia Legislativa do Estado do Paraná) aprovou, terça-feira (31), o projeto de lei 167/2020, que busca garantir direitos básicos durante o enfrentamento de pandemias, como a que vivemos. A proposta apresenta medidas de saúde, interveniência imediata em situações de emergência, bem como mecanismo de amparo social. Destaque do projeto é a proibição de concessionárias de serviços de energia elétrica, gás e esgoto de fazerem o corte do fornecimento dos serviços em períodos de emergência e calamidade. O projeto foi anexado a outra duas propostas de mesmo teor: a 170 e 180/2020.

E agora, José?
Em meio a um mundaréu de bobagens, o presidente Jair Bolsonaro perece em meio ao protagonismo de outros poderes da União e de sua própria equipe. Enquanto ele tenta “jogar para a galera”, em frases desconexas e irresponsáveis, o ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde) contradiz o próprio chefe e se baseia na ciência. “E agora, José?” O novo pronunciamento do presidente, mais sóbrio, mostra que não adianta golpe de frase feita. Não tem Trump, não tem lunático da Virgínia, não tem gabinete do ódio. Tem apenas um pseudo-estadista que não suporta sua própria ignorância.

Victor com a esposa na Muralha da China #TBT
#TBT
Nesta quinta, embarcamos em direção a um dos países mais fantásticos que já conheci. Povo hospitaleiro, que não se importa em ajudar, muito embora as amarras do idioma dificultem. Cultura rica e arquitetura que passeio entre o “velho e o novo”. Visitar a China foi uma experiência ímpar. Para o #TBT de hoje: Beijing (Pequim). Uma cidade que exala os velhos tempos, por onde quer que você vá. A Muralha da China (foto), uma das sete maravilhas do mundo, tem uma curiosidade que pouca gente sabe: é possível subir de teleférico (ok) e descer de tobogã (sim, é verdade!).




>>> Saiba mais sobre o colunista
>>> Veja os destaques dos demais colunistas

* As informações publicadas pelos colunistas não refletem, necessariamente, a opinião do Café com Jornalista, que as reproduz em exercício da atividade jornalística e amparado pela liberdade de expressão. (Do editor)


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

Merece:

0 comentário(s):

Postar um comentário