quinta-feira, 23 de abril de 2020

Pingado: Dicas de filmes, livros, música e série para o período da pandemia

23/04/2020

O Pingado desta quinta (23) será um pouco diferente. Após ler as sugestões de livros para se ler nesta quarentena, aqui no Café, trago algumas sugestões do que me animou neste período de isolamento social. Com a popularização das lives (que você goste ou não), a arte se mostrou um fator importante para saúde mental das pessoas. Aqueles que não acompanham as lives, provavelmente, recorreram a livros, shows históricos, filmes e séries.

Neste espaço trago algumas modestas sugestões para os leitores que queiram se distrair após a rotina de home office, ou que se sentem bem para praticar exercícios físicos reclusos no próprio lar. Quem sabe, ainda que com a abertura gradual do comércio, convenço alguém a se resguardar um pouco mais em casa, visto as orientações das principais entidades de saúde do mundo.

Cena do filme "Joias Brutas", estrelado por Adam Sandler
Cena do filme "Joias Brutas", estrelado por Adam Sandler – Reprodução

Cinema I

Assisti, recentemente, a dois filmes originais Netflix. O primeiro deles é o agoniante "Joias Brutas", estrelado por Adam Sandler. Em fevereiro, muitos arriscaram que ele receberia, inclusive, uma indicação ao Oscar pelo papel. O drama tira o ator da zona de conforto e mostra que Sandler pode interpretar muito mais do que um bobalhão que pratica corriqueiramente o self-bullying. O longa narra a história de um apostador compulsivo e joalheiro, em uma empreitada contra o próprio vício e que vê, na possibilidade de uma aposta certeira, a redenção financeira.

Cinema II

O segundo filme foi o polêmico "O Poço", longa espanhol que dividiu opiniões. Particularmente, eu gostei muito da premissa do filme. Em um espaço do "acaso", onde não há meritocracia, apenas sorte, surge a visão maquiavélica do ser humano: um ser egoísta por natureza. Apesar de conter cenas fortes, que trazem um grande mal-estar, a mensagem do filme, com final dúbio (quem sabe?), traz à tona reflexões valiosas sobre nossa forma de conduzir a vida e nossas tratativas sociais, em um cenário – tudo bem – completamente distópico. Apesar disso, o importante é, acredito, a mensagem.



Literatura I

O livro "Crocodilo", do escritor Javier A. Contreras, nos presenteia com a delicadeza do permanecer e, paradoxalmente, em um tema extremamente pesado. A obra narra, durante uma semana, a empreitada de um pai que quer desvendar os motivos do suicídio do próprio filho. Entre o desespero e o desalento, diálogos primorosos que reivindicam o descompasso de uma mente em busca de respostas que não existem. É um livro curto, rápido e certeiro que, inclusive, venceu o Prêmio APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte). Uma escrita sensível, para um tema polêmico. Um resultado formidável.

Literatura II

Saindo de livros contemporâneos e recorrendo aos clássicos, acabo de ler "O Sol Também Se Levanta", romance de estreia do Nobel Ernest Hemingway. A escrita de Hemingway não demanda apresentações. Frases rápidas e certeiras em conteúdos que contêm um alto grau de fidelidade com um pouco do que ele viveu na Europa, mais precisamente em Paris – onde se passa uma parcela razoável do livro (diria um quarto ou um terço da obra). A leitura não tem reviravoltas e segue em uma narrativa plana, quase jornalística, sobre um grupo de amigos boêmios, que sai de Paris e viaja a Pamplona, em um festival de touradas. Assim como "Paris é uma festa", a obra representa bem o que foi a "Geração Perdida" de Paris.

Música

Sempre fui muito eclético. Sempre procurei estudar um pouco sobre cada vertente musical, entender os conceitos históricos e apreciar a música como uma arte que representa um pouco de seu tempo. Tenho ouvido muito, até para o deleite de minha família, que é fã de samba, o disco "Os Afro-Sambas", de Baden Powell e Vinícius de Moraes. O disco, de 1966, traz a maestria instrumental de Baden Powell e letras bem referenciadas de Vinícius de Moraes. O disco tem oito canções e é uma ótima pedida de playlist, seja para quem está trabalhando, seja para quem optou em simplesmente sentar e desfrutar de uma boa refeição com a família.

Série

Por sugestão de meu irmão, comecei (e inclusive terminei) as duas temporadas disponíveis da série "You", disponível na Netflix. O thriller, apesar de soar piegas e vez ou outra romantizar temas que não deveriam ser romantizados, serve como um bom passatempo para aqueles que não querem pensar demais. Há diálogos muito bons e uma narrativa envolvente. Um psicopata e serial killer que se coloca de maneira romântica aos seus espectadores, a partir de sua própria visão (a série é em primeira pessoa). Particularmente, não é meu tipo de série favorita, mas confesso que me envolveu a ponto de terminá-la em menos de uma semana.



Alerta de dengue

Mudando de assunto, o Paraná segue com aumento vertiginoso no número de casos de dengue. Novo relatório da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), divulgado na quarta (22), aponta que no atual calendário epidemiológico já são 111 mortes e mais de 128 mil casos confirmados. Há um mês, em 24 de março, eram 76 mil casos confirmados e 57 óbitos: um aumento de 68% nos casos confirmados e de 94% nos óbitos pela doença. Reitero: o isolamento social, pela covid-19, é e continua sendo necessário. Isso, entretanto, não pode justificar a negligência popular na prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti.


Victor e esposa em Viena, na Áustria – Foto: Arquivo pessoal

#TBT Viena

Apesar de diferente, a coluna não pode deixar de ter o tradicional TBT. Hoje, vamos direto para Viena, uma cidade extremamente aconchegante, com transporte público de qualidade, além de uma série de belas atrações. No centro da cidade, à época, pude desfrutar de uma boa exposição de Claude Monet e Pablo Picasso, na Albertina. Logo ao lado, a ópera vienense, onde tive o privilégio de assistir a "Don Pasquale". Também ao lado o Sacher Hotel, onde degustei a famosa "Sacher Pie". Na foto (acima), um retrato em um espelho nos jardins de Belvedere, que pega, ao fundo, o lindo palácio de Belvedere. No museu de Arte Natural de Viena, onde há um complexo com três museus em uma praça no centro da cidade, os gêmeos e o de arte contemporânea; tive a oportunidade de ver de perto a "Vênus" de Willerndorf, primeira escultura humana que se tem registro (data de 28 mil a 25 mil a.C).

“TBT” II?

"Saudades de tudo aquilo que não vivemos". Esse é o sentimento que expressa o cancelamento da viagem que faria a Buenos Aires, neste feriado de Tiradentes. Estava tudo acertado: passagem aérea, hospedagem e, inclusive, as dicas de passeio dadas pelo meu amigo e ex-editor Milton Ravagnani. Por motivos de força maior, entretanto, houve cancelamento do passeios. Assim que se findar o isolamento social do coronavírus, houver a reabertura da fronteira entre Brasil e Argentina e for, de fato, seguro fazer a viagem, compartilharei, neste espaço, minhas experiências no país vizinho!




>>> Saiba mais sobre o colunista
>>> Veja os destaques dos demais colunistas

* As informações publicadas pelos colunistas não refletem, necessariamente, a opinião do Café com Jornalista, que as reproduz em exercício da atividade jornalística e amparado pela liberdade de expressão. (Do editor)


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa


A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.




Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.
Merece:

0 comentário(s):

Postar um comentário