sábado, 4 de abril de 2020

Cafeinado: O que se sabe da cloroquina no tratamento da covid-19

04/04/2020

A emergência causada pela pandemia do novo coronavírus, que já causou mais de 60 mil mortes em todo o mundo, tem gerado um esforço científico sem precedentes na busca por um medicamento eficaz, capaz de reduzir o número de óbitos, enquanto uma vacina não é desenvolvida. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há drogas comprovadas contra a covid-19 (doença causada pelo vírus Sars-Cov-2), mas há medicamentos que têm se mostrado promissores, entre eles a cloroquina.

Foto: Divulgação/Agência Brasil
No fim de março, a OMS lançou o estudo internacional Solidarity (solidaridade, em inglês), que elencou medicamentos a serem estudados no tratamento da covid-19. Além da cloroquina (medicamento antigo, usado contra a malária) e da hidroxicloroquina (ministrada em pacientes com doença autoimune, como artrite reumatoide e lúpus), estão na lista: remdesivir, lopinavir, ritonavir e interferon-beta.

No Brasil, a cloroquina ganhou fama após o presidente Jair Bolsonaro apresentá-la como uma opção eficaz no tratamento da covid-19. Não é tão simples assim. O próprio ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que é médico, tem tratado do assunto com mais cautela. Ele afirma que há indícios de eficácia do medicamento, porém, alerta que a cloroquina não deve ser ministrada – em hipótese alguma – fora dos hospitais.

Quando é usada
Em 29 de março, o Ministério da Saúde divulgou uma nota técnica sobre o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina em casos graves – como o do ex-secretário municipal Eudes Januário, internado na UTI do Hospital Municipal de Maringá. O protocolo prevê cinco dias de uso, em complemento a medidas como auxílio para respirar e medicação contra febre e mal-estar. Mandetta reforçou o alerta de que o uso doméstico é bastante arriscado.

Riscos I
O grande desafio das universidades, indústrias farmacêuticas, laboratórios e estudos como o Solidarity é descobrir uma droga eficaz e segura, como foi o Tamiflu na pandemia da gripe A, em 2009. Com efeitos colaterais, como lesões na retina, a cloroquina não é a salvação da lavoura, como prega Bolsonaro, mas pode ajudar enquanto o remédio ideal não existe. De momento, a melhor opção segue sendo o isolamento social.

Riscos II
O desespero, como o que levou pessoas a estocarem cloroquina sem recomendação médica, é o pior inimigo nessa hora. Nos Estados Unidos, após um discurso do presidente Donald Trump sobre a cloroquina, um homem no Arizona tomou um produto com cloroquina na composição, por conta própria. O que era para ser uma medida preventiva ao coronavírus, resultou na morte daquele homem. Leia aqui.



Mortes
Segundo dados do Ministério da Saúde, divulgados neste sábado (4), 73 brasileiros com covid-19 morreram nas últimas 24 horas. No total, a doença causou 432 óbitos, tendo 10.278 casos confirmados. O país é o 14º no mundo em óbitos e o 16º em casos confirmados da doença. Como há milhares de exames aguardando resultado, a situação é ainda pior que o balanço oficial.

Maringá
A cidade tem 31 casos positivos da covid-19 e duas mortes. Ainda de acordo com o boletim da Prefeitura, divulgado neste sábado, há 622 pacientes suspeitos acompanhados, dos quais 42 estão internados. O total de casos notificados como suspeitos somam 957 – número que inclui todos os pacientes que passaram por alguma unidade de saúde municipal (privada ou pública) e relataram sintomas respiratórios.

Sarandi
A cidade teve seu segundo caso confirmado de contágio pelo novo coronavírus. Trata-se de uma paciente do sexo feminino, 52 anos, com histórico de contato com caso positivo. Ela está internada em quarto isolado e se encontra estável clinicamente. Há ainda quatro casos suspeitos. A Prefeitura de Sarandi também tem divulgado balanços diários à imprensa.

Meme


Filiação
Termina na meia-noite deste dia 4 o prazo para filiação partidária de quem pretende disputar as eleições municipais. Muito político deixou para a última hora, aguardando por um possível adiamento do prazo final pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o que não ocorreu. Neste domingo (5), o Café trará matéria sobre as migrações de legenda em Maringá.

Mais lidas
Em matéria publicada neste sábado, divulgamos dados de março sobre a audiência do Café e as 12 postagens mais lidas do mês. Todo o trabalho tem valido a pena por conta da adesão do público e pelo carinho demonstrado pelos leitores, em especial pelos mais assíduos. Nessa fase, em que as pessoas estão conhecendo o blog, os compartilhamentos em redes sociais têm sido de suma importância. Obrigado a todos.

YouTube
Para os enxadristas de plantão, o canal Xadrez Brasil resgata a partida entre os mestres Kasparov e Topalov, considerada uma das melhores de todos os tempos. Aliás, jogos de tabuleiro são excelentes passatempos para o período da quarentena.


Piada para refletir
O Bolsonaro estava lá fazendo um discurso, dizendo: "Temos que voltar à normalidade e ao trabalho"; quando alguém da plateia grita: "Trabalharemos em dobro!"

O presidente continua: "Não podemos deixar que uma 'gripezinha' derrube nossa economia". E de novo se ouve: "Trabalharemos o triplo!"

Bolsonaro continua: "Não podemos ceder a uma histeria criada pela imprensa", quando é novamente  interrompido: "Trabalharemos dez vezes mais!"

O presidente, então, vira para o assessor e pergunta: "Quem é esse cara todo empolgado?" O assessor responde: "É o coveiro, senhor presidente".




>>> Saiba mais sobre o colunista
>>> Veja os destaques dos demais colunistas


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)


Merece:

0 comentário(s):

Postar um comentário