terça-feira, 7 de abril de 2020

Cafeinado: O burro, o inteligente e o sábio na pandemia da covid-19

07/04/2020

Há um provérbio chinês que diz: "O burro nunca aprende, o inteligente aprende com sua própria experiência e o sábio aprende com a experiência dos outros". Em tempos de pandemia, a frase é perfeitamente aplicada às reações dos brasileiros frente aos erros e acertos de outros povos no combate ao novo coronavírus (covid-19).

Não fale isso para não passar por burro
Dado à leitura (Whatsapp não conta) e à reflexão, o sábio é aquele que conseguiu perceber a gravidade da pandemia pela tragédia ocorrida na Itália e na Espanha, que já tiveram, respectivamente, 17.127 e 14.045 mortes pela covid-19. Ambos tardaram a tomar medidas de isolamento social, ao contrário da Coreia do Sul, que agiu cedo e teve apenas 192 mortes. Capaz de aprender com o erro dos outros, o sábio sabe – mesmo que não seja especialista em nada – que a quarentena é fundamental para salvar vidas.

O inteligente é aquele capaz de refletir e de mudar de opinião a partir de seus erros. Nesse perfil se enquadram aquelas pessoas que, inicialmente, duvidavam dos riscos. As mortes na Itália pareciam algo distante demais para tanta "histeria". Contudo, essas pessoas mudaram de opinião ao saber de amigos contaminados e também sobre o avanço da doença no Brasil. O inteligente, que agora entende o isolamento social, não precisa de mais mortes para saber que a situação vai piorar e muito, antes de melhorar.

O burro é aquele a quem bem se aplica um conhecido ditado popular: "Dar pérolas aos porcos". É o sujeito que acredita em teorias conspiratórias, que só "se informa" no zap, que acha que vacina mata e que a covid-19 é só "uma gripezinha". Nenhum argumento é capaz de fazê-lo mudar de ideia, nenhum especialista está certo, só Olavo de Carvalho, que diz não que o coronavírus "não matou ninguém". E se você insistir sobre a importância do isolamento social, baseado no que dizem os especialistas, o legítimo burro não tardará em usar argumentos como "esquerdistas", "petista", "Globo lixo", "vai pra Cuba" e "Bolsonaro tem razão".


Tarde demais
Os terraplanistas fazem parte desse grupo que o provérbio chinês chama de "burros", mas há dúvidas sobre qual deles tem maior capacidade intelectual: o burro adjetivo ou o burro animal. Não adianta o astronauta brasileiro assegurar, baseado em uma evidência empírica, que a Terra é redonda. Ele, o burro, precisa ver para crer. No caso da pandemia, infelizmente, o burro só vai entender o isolamento social quando um ente querido muito próximo entrar para as estatísticas de óbitos da covid-19.

"Rato oportunista"
A militância bolso-olavista – chamada pela deputada Joice Hasselmann (PSL) e por outros parlamentares de "gabinete do ódio" – tem cobrado a demissão do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, classificado por eles de "rato" e "oportunista". Mandetta ficou no cargo, por enquanto, mas há fortes indícios de que o favorito do presidente Bolsonaro, Osmar Terra, "já é ministro da Saúde na Austrália" (entenda a expressão aqui).

Balanço
O Brasil chegou a 667 mortes em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19), segundo atualização do Ministério da Saúde divulgada na tarde desta terça (7). O número representa um aumento de 20% em relação a segunda (6), quando foram registrados 553 óbitos. Já são 13.717 casos confirmados, porém, pela gigantesca fila de testes aguardando resultado, a situação no país é muito pior que a do balanço oficial.

SP e RJ
São Paulo segue como epicentro da pandemia, com 371 mortes, mais da metade dos óbitos de todo o país. O Estado é seguido por Rio de Janeiro, com 89; Pernambuco, com 34; Ceará, com 31, e Amazonas com 23 mortes. O Acre registrou a primeira morte e, com isso, apenas o Tocantins ainda não tem óbitos pela doença. Para quem fala em "alarmismo" da imprensa, a pergunta: quantos mais precisam morrer?

Outros Estados
Também já foram registradas mortes no Paraná (15), Distrito Federal (12), Bahia (12), Santa Catarina (11), Minas Gerais (11), Rio Grande do Norte (8), Rio Grande do Sul (8), Espírito Santo (6), Goiás (5), Pará (5), Paraíba (4), Sergipe (4), Piauí (4), Maranhão (4), Alagoas (2), Mato Grosso do Sul (2), Amapá (2), Rondônia (1), Roraima (1), e Mato Grosso (1).

Maringá
De acordo com o boletim divulgado nesta terça (7), Maringá tem 39 casos positivos da covid-19 e dois óbitos. Outros 377 pacientes são acompanhados como suspeitos, dos quais 34 estão internados. Apesar de os casos oficialmente não terem avançado muito, a pandemia pode estar sendo mascarada pela falta de uma testagem maciça na população. Não há testes suficientes nem em Maringá nem em qualquer outra cidade do Brasil.

Na UTI
Ex-secretário municipal de Serviços Públicos (antiga Saop) do governo Zé Cláudio, Eudes Januário segue internado na UTI do Hospital Municipal. Com a suspeita de covid-19 confirmada, o paciente passou a ser medicado com cloroquina, que tem sido usada no tratamento dos casos mais graves. O quadro de Eudes, felizmente, é estável e, segundo familiares, apresentando melhoras dia a dia.

Charge


Vacinação
Nesta quarta (8), Maringá terá nova rodada de vacinação contra a gripe, com a imunização de pessoas acima de 60 anos em 21 pontos decentralizados (para evitar aglomerações), das 8h às 17h. É necessário comparecer munido de documento com foto. As vacinas são fornecidas pelo Ministério da Saúde. Confira aqui os locais de vacinação.

Eleições
Não há previsão de que as eleições municipais deste ano possam ser adiadas, tanto é que que seguem valendo as datas do calendário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em 4 de abril, por exemplo, venceu o prazo para mudança de partido para pessoas que desejam disputar o pleito deste ano. Dos 15 vereadores de Maringá, nove aproveitaram a janela eleitoral para trocar de legenda.

Prefeituráveis
Encerrado o troca-troca partidário, ficou mais fácil apontar os possíveis candidatos a prefeito de Maringá, e o jornalista Diniz Neto fez isso muito bem no Jornal do Povo, na coluna desta terça (7). Os prefeituráveis (e seus respectivos partidos) mais cotados são, segundo Diniz: Ulisses Maia (PSD), Silvio Barros ou Coronel Audilene (Progressistas, mais conhecido por PP), Carlos Mariucci (PT), Roberto Pupin (Solidariedade), José Luiz Bovo (Podemos), Dr. Batista (DEM), Homero Marchese (Pros), Evandro de Freitas Oliveira (PSDB), Akemi Nishimori (PL), Rogério Calazans (Avante), Valdir Pignata (Cidadania), Elizeu Alves (Patriota) e José Carlos Xavier (PTC).

História
Para fechar, mais um bom vídeo de Miguel Fernando para o canal Maringá Histórica (com direito a uma animação de abertura). Sugiro que você se inscreva e ative o sininho para receber notificações de novos vídeos.






>>> Saiba mais sobre o colunista
>>> Veja os destaques dos demais colunistas


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)


Merece:

0 comentário(s):

Postar um comentário