sexta-feira, 24 de abril de 2020

Cafeinado: Acusações de Moro podem realizar profecia do haitiano para Bolsonaro

24/04/2020

O governo Bolsonaro teve nesta sexta-feira (24), seguramente, seu pior dia desde a posse. O terremoto causado no Planalto pelo pedido de demissão do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, teve repercussão em todo o país. Ainda é difícil calcular o tamanho dos danos, mas não é exagerado dizer que esse episódio pode ter confirmado a profecia feita pelo haitiano de Brasília: "Acabou [Bolsonaro], você não é presidente mais". 

Na coletiva de imprensa, pela manhã, Moro explicou o contexto de seu desembarque do governo, motivado principalmente pela interferência política na autonomia da Polícia Federal (PF), e fez graves acusações contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) – que parece não entender que a PF é um órgão de Estado, e não de governo. Ao longo do dia, as reações de lideranças políticas e entidades revelaram o tamanho do impacto das acusações.

O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de um inquérito para apurar as acusações feitas por Moro, solicitando o depoimento do ex-ministro da Justiça. De acordo com o procurador, os fatos evidenciam supostos crimes de falsidade ideológica, obstrução de Justiça, corrupção passiva privilegiada, coação no curso do processo ou denunciação caluniosa e crime contra a honra. Parlamentares, por sua vez, cogitam a abertura de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para apurar as acusações.

Bolsonaro em pronunciamento, na companhia de ministros e deputados – Foto: Marcello Casal/Agência Brasil
Bolsonaro em pronunciamento, na companhia de ministros e deputados – Foto: Marcello Casal/Agência Brasil

Pronunciamento

Em pronunciamento no Palácio do Planalto, no fim da tarde, acompanhado de ministros e apoiadores, Bolsonaro disse que não houve intervenção de sua parte na PF. Numa miscelânea de informações, citou Marielle Franco, o filho "pegador" do condomínio, o amigo Queiroz, a facada sofrida, o interesse de Moro por vaga no Supremo e falou em abrir o coração. Uma bagunça de ideias (veja aqui). Poderia ter se empenhado em rebater, uma a uma, as acusações de Moro.

Impeachment I

Vários pedidos de impeachment já haviam sido protocolados na Câmara dos Deputados, na tentativa de afastar Bolsonaro do cargo por crimes de responsabilidade e, durante a pandemia, crimes contra a saúde pública. Se existia a dúvida de que algum daqueles pedidos poderia vingar, agora, após as acusações de Moro (e por conta da projeção do ex-ministro), não existe mais. Algum deles vai acabar vingando. 

Impeachement II

As acusações de Moro levaram a ex-líder do atual governo na Câmara, a deputada federal Joice Hasselmann (PSL), a protocolar um dos pedidos de afastamento do presidente. Os partidos Rede e PSB fizeram o mesmo, cada qual com seu pedido. A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) confirmou, nesta sexta, que também irá ingressar com pedido de impeachment, por "ataques aos valores democráticos". O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso defendeu o afastamento.

Rodrigo Maia

O pedido da ABI – caso se confirme – será o 25º na mesa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), que tem a prerrogativa de aceitar ou não os processos. Na quinta (23), o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que Maia se posicione, no prazo de dez dias, sobre um pedido de impeachment protocolado por um grupo de advogados, no fim de março. Talvez agora, com a deixa dada por Moro, Maia agilize os trabalhos.

Moro e Messi

Aos que não curtem futebol, peço perdão, mas preciso fazer uma analogia sobre imbróglio envolvendo Moro e Bolsonaro. Moro era muito mais importante para o atual governo do que o craque Messi é para o Barcelona. Sem Messi, talvez o time catalão não ganhe o título, mas dificilmente será rebaixado. Sem Moro, Bolsonaro não ganhará o título (Eleições 2022) e talvez seja eliminado da competição (impeachment). A necessidade do presidente em mexer no comando da PF deve ser, realmente, muito importante para compensar tamanho prejuízo.

Charge  


Haitiano

O corajoso haitiano de Brasília entende mesmo de terremoto. Em 2010, ele sobreviveu a um terremoto que matou 300 mil pessoas no Haiti, afundando o país numa crise humanitária (a pior das Américas). Agora, lembramos dele por ter cravado – muito antes dos especialistas de plantão – que o governo Bolsonaro havia acabado. A fala do haitiano ocorreu em 17 de março. Relembre no vídeo.


Covid-19

De acordo com boletim do Ministério da Saúde, divulgado nesta sexta (24), o Brasil chegou a 52.995 casos confirmados do novo coronavírus (covid-19). Nas últimas 24 horas foram adicionadas às estatísticas mais 3.503 pessoas infectadas. O número de recuperados é de 27.655, o que equivale a 52% do total, e outros 21.670 estão em acompanhamento, o equivalente a 41%.

Mortes

O número de mortes subiu para 3.670, com 357 óbitos nas últimas 24 horas (um aumento de 10,8%). Os Estados com mais vítimas fatais são: São Paulo (1.512 mortes por covid-19), Rio de Janeiro (570), Pernambuco (352), Ceará (284) e Amazonas (255) – este último com o sistema de saúde já em colapso.

Paraná

O boletim da Secretaria de Estado da Saúde confirmou, nesta sexta, 38 novos casos e mais cinco óbitos pela covid-19. O Paraná soma 1.119 casos confirmados e 65 mortes pelo novo coronavírus. Há 620 pacientes recuperados. São pessoas que tiveram o diagnóstico laboratorialmente, se curaram e estão liberadas de isolamento com segurança.

Maringá

Na terceira maior cidade do Estado, foram registrados três novos casos confirmados, totalizando 64. Ao todo, são 17 pessoas internadas, incluindo casos suspeitos. Permanece o número de cinco óbitos. Segundo a Prefeitura, a taxa de ocupação hospitalar geral na cidade é de 58,81% para leitos de enfermaria e de 60,19% para leitos de UTI adulta e 60% para UTI neonatal/pediátrica. 

Live

Excelente bate-papo da jornalista Mariana Becker com o tricampeão de Fórmula 1 Nelson Piquet. Uma lenda do automobilismo mundial! Não sei a opinião de vocês, mas para mim é bem melhor que live de sertanejo.




>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.



Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.
Merece:

0 comentário(s):

Postar um comentário