sexta-feira, 27 de março de 2020

Cafeinado: Terraplanistas da carreata pela abertura do comércio não percebem a gravidade da pandemia

27/03/2020

É inacreditável a overdose de alienação. Como era esperado, aquele inconsequente pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), feito em cadeia nacional na terça (24), encorajou seguidores a irem às ruas protestar contra as medidas de isolamento social adotadas por praticamente todos os governadores e inúmeros prefeitos. Em Maringá, a carreata de quinta-feira (26) pediu a reabertura do comércio.

Carreata em Maringá, na quinta (26), pediu a reabertura do comércio
Para animar ainda mais a tropa – que já planeja um novo buzinaço –, Bolsonaro fez uma live citando a "carreata em Maringá, São Paulo", minimizando a pandemia e as medidas restritivas, chamadas por ele de "neurose". Nesse caso, não dá para esperar que um presidente, que não consegue compreender a gravidade da pandemia, saiba em qual Estado fica Maringá. Assista à live no Blog do Rigon.

Protestos como esse, realizado na terceira maior cidade do Paraná, ocorreram em outras cidades. Os organizadores pedem pelo isolamento vertical – no qual idosos ficam isolados e jovens voltam ao trabalho –, medida que não foi adotada em nenhum país e que é desaconselhada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Neste momento delicado, os terraplanistas e olavistas organizadores de carreatas medievais (a ciência não tinha espaço na Idade Média) deviam refletir sobre o que tem ocorrido no mundo.

Estados Unidos
Depois de os EUA superar a China e a Itália em número de casos e se tornar o novo epicentro da pandemia do coronavírus (Covid-19), o presidente Donald Trump mudou o discurso e, em carta aberta aos norte-americanos, pediu que as pessoas fiquem em casa. Segundo dados da agência Reuters, os EUA chegaram, nesta sexta (27), a 81.378 casos confirmados da doença e 1.178 mortos. A China tem 81.340 casos e a Itália, 80.539.

Itália I
Após 4.400 mortes na cidade pela Covid-19, o prefeito de Milão, Giuseppe Sala, pediu desculpas aos italianos por ter minimizado a gravidade do novo coronavírus. No fim de fevereiro, a prefeitura milanesa lançou uma campanha inconsequente (mais grave que a de Bolsonaro, que foi ignorado pelos governadores) para que as pessoas voltassem às ruas e retomassem suas vidas. Veja o vídeo da campanha "Milano non si ferma" (Milão não para).


Itália II
A campanha de Milão dizia que os italianos não tinham medo. Nesta sexta (27), a Itália registrou 969 mortes em 24 horas, um recorde diário. Agora, todos estão com medo. Já são 9.134 óbitos pela Covid-19 no país, que tem recebido socorro da Alemanha no atendimento aos pacientes mais graves. Faz alguns dias que faltam leitos de UTIs e respiradores nos hospitais italianos. Entrevista aqui no Café, com uma maringaense que vive na Sicília, abordou essa situação dramática.

Terão de retratar
Os irresponsáveis de hoje – que no Brasil pedem o mesmo que o prefeito Giuseppe Sala pedia há um mês – terão de se desculpar publicamente, em breve. Não dá para relativizar algo tão grave, colocando argumentos econômicos acima da vida. Alguns, em especial figuras públicas, provavelmente serão indiciados por crimes contra a saúde pública. Bolsonaro, aliás, deve enfrentar processo de impeachment por esse motivo.

Na Justiça
Ao Blog do Rigon, o advogado Mario Henrique Alberton explicou que, do ponto de vista legal, quem participou da carreata/buzinaço de quinta-feira (26) pode ser processado criminalmente. Pode e deve ser. Segundo o advogado, a manifestação contras as ações tomadas para impedir a propagação da doença "é crime previsto no artigo 268 do Código Penal". Autoridades locais devem noticiar o Ministério Público para que os organizadores da carreata, ao menos eles, sejam indiciados.

☕ Maringá amplia medidas de combate à doença

Painel da Folha
Maringá foi destaque negativo na coluna Painel do jornal Folha de S.Paulo, nesta sexta (27), por dois motivos. O primeiro foi a insurgência de bolsonaristas contra o decreto do prefeito Ulisses Maia (PDT), que fechou o comércio na sexta (20). O segundo foi o reajuste de 4,3% concedido a servidores do Executivo e do Legislativo e a cargos eletivos e comissionados dos dois poderes. O Café tem acompanhado essa pauta.

Câmara I
Nos bastidores do Legislativo municipal, os vereadores estão preocupados com a repercussão negativa da reposição da inflação nos subsídios. Ao cumprirem um rito legal, acabaram causando grande indignação na população – que em sua maioria faz parte da iniciativa privada, duramente afetada pelo necessário isolamento social de prevenção à Covid-19. Se as eleições não forem adiadas, essa questão ainda estará fresca na cabeça dos eleitores indignados.

Câmara II
Apesar de (felizmente) ter sido amplamente ignorado por 26 governadores e por inúmeros prefeitos, que continuam seguindo as recomendações da OMS, o discurso do "isolamento vertical" de Bolsonaro teve eco em algumas casas legislativas. Na Câmara de Maringá, Chico Caiana (PTB) tem pedido a reabertura parcial do comércio e a liberação para que prestadores de serviço voltem à ativa. Lembra de Milão? Esse é um discurso perigoso.

Panificadores e açougues
Outros vereadores tratam da questão com mais comedimento. A maioria se limita a pedir pela reabertura, com restrições a aglomerações, de açougues e padarias. Isso ajudaria a reduzir, segundo os edis, a aglomeração de pessoas nos supermercados. O pedido já foi rejeitado pelo prefeito Ulisses, sob o argumento de que a abertura das cerca de 400 padarias da cidade aumentaria o fluxo de pessoas, favorecendo a proliferação do vírus.


Antes tarde...
...do que nunca. O governo federal anunciou que vai abrir uma linha de crédito de R$ 40 bilhões (valor quase integralmente do Tesouro Nacional) para ajudar pequenas e médias empresas, com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões por ano, que se comprometerem a não demitir. O dinheiro será destinado ao financiamento da folha de pagamento das empresas, no período de dois meses.

É pouco
Na avaliação do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), comparada a medidas adotadas por outros países, o pacote de apoio do governo Bolsonaro às pequenas e médias empresas "não é ruim", mas "é tímido" e "não vai resolver nada". O volume de recursos precisa ser maior.

Meme


Fique em casa
Em respeito aos profissionais da saúde, da segurança pública, da coleta de lixo e de outras atividades essenciais, fique em casa. Ouça a recomendação dos especialistas e leia sobre o que se passa na Itália, na Espanha e em outros países que tardaram a tomar medidas mais efetivas de prevenção ao novo coronavírus. Não se "informe" pelo WhatsApp. E nada de se unir aos doidos de plantão em passeatas e carreatas. Mantenha-se lúcido.

Aniversariante
O colega de profissão Amaro de Oliveira, da Band News FM Maringá, completou mais um ano de vida nesta quinta (26). Recomendei que ele não deixasse de comemorar com os seus, no isolamento domiciliar, mas que cancelasse aquela festa prevista para 50 pessoas (kkk). Brincadeira. Sucesso ao amigo, que segue informando a população nestes tristes dias de pandemia.

Série de TV
Seguindo a recomendação das autoridades para que fiquemos em casa, sugiro uma série espanhola para passar o tempo. "O Barco" se passa num cataclismo global que causa a morte de praticamente toda a humanidade. Alguns dos sobreviventes estão à deriva, num barco, em alto-mar. A primeira temporada foi ao ar em 2011. Vale a pena, garanto. Disponível no Now (NET/Claro) e Netflix.






>>> Saiba mais sobre o colunista
>>> Veja os destaques dos demais colunistas


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)


Merece:

0 comentário(s):

Postar um comentário