quinta-feira, 26 de março de 2020

Pingado: Gripezinha do 'atleta' Bolsonaro causa pânico nos brasileiros

26/03/2020

É público e notório os perigos do novo coronavírus (Covid-19). Em Foz do Iguaçu, já  são quatro casos confirmados da doença, além de outros cem suspeitos. A “gripezinha” do atleta (e nas horas vagas, presidente) Jair Bolsonaro (sem partido), causa pânico em diversos lugares do Brasil e do mundo. O “alarde” – segundo o chefe de Estado –, da imprensa, governadores e prefeitos, é uma grande “histeria”. Como pode?!

Presidente da República, Jair Bolsonaro – Foto: Agência Brasil
O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC) terá uma nova ala e deve abrir 27 novos leitos, dos quais 15 serão dedicados a UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A reforma, bancada pela Itaipu Binacional, terá o custo de US$ 3 milhões (hoje, algo em torno de R$ 15 milhões). Prevenção e ação de combate ao Covid-19, como ocorre em Foz do Iguaçu, Maringá, São Paulo e outras tantas cidades é sempre a melhor opção. Claro, se o gestor público for sério e são.

Desembarque
A Câmara de Foz do Iguaçu encaminhou ao Executivo municipal um pedido para que passageiros que desembarcarem no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu passem a ter um monitoramento sanitário mais rígido e por quarentena. Vale ressaltar que o aeroporto é administrado pela Infraero, cuja administração é do governo federal (pátria amada, Brasil?)

Atrasos I
Em meio a uma série de ações do poder público, como o fechamento do comércio e o toque de recolher, um laboratório de Maringá atrasa os resultados do coronavírus em quase uma semana. Um leitor, que encaminhou mensagem, desespera-se não somente para saber se está com a saúde em ordem, mas, também, para saber se expôs a família a algum risco.

Atrasos II
Se há fiscalização da Prefeitura quanto à população nas ruas e do comércio que insiste em abrir, não seria o caso de a Secretaria Municipal de Saúde monitorar, também, os laboratórios para acompanhar as demandas e prestar os auxílios necessários? Enquanto isso, que siga o isolamento domiciliar e a aflição de ter exposto ou não a família.

Pacote social
O governo do Estado anunciou, no início da semana, um pacote social na ordem de R$ 400 milhões para assistir famílias paranaenses em situação de vulnerabilidade social. A ação prestará auxílio a aproximadamente 300 mil famílias durante cinco meses. Isso equivale, em média, a R$ 266 por família a cada mês. Outras ações como mudanças nos limites de consumo em programas sociais da Copel e da Sanepar e adiamento de parcelas de programas de habitação também estão contempladas.

Criminalidade
Dados divulgados pela Secretaria de Estado da Segurança Pública apontam uma redução de 35% na criminalidade no Paraná, na semana passada (compreendida no período de quarentena), em relação à semana do dia 9 a 15 de março. São 2.094 ocorrências a menos, comparando a semana passada e a retrasada. O levantamento toma como base os crimes de furtos e roubos, furtos e roubos de veículos, e violência doméstica.

Deus Mercado
Jair Bolsonaro segue como fiel interlocutor do "Deus Mercado". Tal como um sacerdote do apocalipse, tenta suavizar o que é o Covid-19. Não importa a saúde das pessoas, desde que a economia vibre. Acusa e aponta o dedo para os governadores e prefeitos, bradando que se abstém de qualquer culpa em uma futura crise financeira. Não tem postura de estadista e recorre à tentativa de um jogo sujo de possível polarização. O estrago está feito. A economia já chora e ele nada pode fazer. A pergunta que não cala: “Quem de sua família pode morrer para a economia não parar?”, diz um post em uma mídia social.

#TBT Victor a família Faria em frente à casa de Luther King – Foto: Arquivo pessoal 
#TBT
O TBT desta quinta é sobre Atlanta (EUA). Uma cidade encantadora, que já sediou os jogos Olímpicos (que, inclusive, foram adiados em Tóquio, deste ano para 2021) e é a casa da CNN e da Coca-Cola. O que mais me emocionou e chamou a atenção na cidade, entretanto, foram os monumentos que referenciam Martin Luther King. No retrato, eu, Prof. Max Faria e o C.D. Flávio Faria, em frente à residência dele que é foi um dos principais líderes do povo afro-americano contra a segregação racial. Em tempos obscuros, como os que vivemos, em que algumas igrejas (inclusive) se recusam a cessar os cultos, falta-nos o discernimento do reverendo Luther King.

Leia também a coluna anterior



>>> Saiba mais sobre o colunista
>>> Veja os destaques dos demais colunistas

* As informações publicadas pelos colunistas não refletem, necessariamente, a opinião do Café com Jornalista, que as reproduz em exercício da atividade jornalística e amparado pela liberdade de expressão. (Do editor)


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

Merece:

0 comentário(s):

Postar um comentário