quarta-feira, 11 de março de 2020

Hossokawa explica projeto polêmico: 'Ninguém está proibindo a cervejinha'

11/03/2020

Um projeto de lei de autoria do vereador Mário Hossokawa (PP) tem dado o que falar antes mesmo de entrar na ordem do dia (pauta de votações). A proposta prevê restrições ao consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas de Maringá, mas foi entendido por populares como uma proibição geral de beber fora de casa.

Hossokawa nas redes sociais: "Está virando uma verdadeira badernas nas ruas da nossa cidade"
Nas redes sociais, talvez por interesses políticos em ano eleitoral, algumas pessoas ajudaram a criar a polêmica. Um dos boatos espalhados é de que comerciantes que vendem bebidas seriam afetados pela lei. As circunstâncias levaram o presidente da Câmara Municipal a ir às mídias sociais, o que é incomum. Hossokawa gravou um vídeo para explicar os objetivos do projeto. Ele também conversou com o Café a respeito.

Segundo Hossokawa, o projeto não visa a proibir o consumo de álcool nas calçadas de bares e restaurantes que estejam em conformidade com a legislação vigente. "Pode beber, ninguém está impedindo de beber não, mas não podemos deixar que isso continue dessa forma, no meio da rua", esclarece.

O vereador se refere, principalmente, a regiões da cidade onde ocorrem frequentes relatos de perturbação do sossego por som alto e impedimento do trânsito de veículos, como a Avenida Petrônio Portella. Hossokawa também cita os casos da região da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Avenida Paranaguá e entorno do Estádio Willie Davids.

"Queremos organizar e dar uma ferramenta para que as forças policiais possam agir. Queremos que Maringá continue sendo a melhor cidade para se viver, e para isso precisamos de respeito de todo munto. E para ter respeito, precisamos dessa lei", argumenta o vereador, que diz ter chegado à redação do projeto após consultas às forças de segurança da cidade.

Caso seja aprovada, a nova lei proibirá o consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas, entre as 22h e 8h, medida que já é realidade em vários países do mundo. Também ficaria proibido beber, em qualquer horário do dia – sem prejuízo aos estabelecimentos do ramo –, nos logradouros públicos situados num raio de 800 metros de estabelecimentos de ensino.


Além de ruas e avenidas, a restrição se estende a rodovias, passagens de pedestres, praças e largos, ciclovias, linha férrea, pontes e viadutos, entorno de áreas esportivas e repartições públicas. A multa prevista para quem for flagrado desrespeitando a lei é de R$ 500. A multa aumenta em R$ 500 a cada caso de reincidência (R$ 1.000 na segunda vez, R$ 1.500 na terceira e assim por diante). 

O projeto de lei que tramita nas comissões permanentes, já tendo sido aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça. Ainda não há data definida para votação em plenário.



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa


Merece:

Um comentário:

  1. Interessante .Em muitos países é proibido o consumo de bebidas alcoolicas nas ruas a partir das 22h. Nem o supermercado pode vender a partir desse horario. lógico que é permitido em bares e ambientes fechados. E todos são felizes.

    ResponderExcluir