sábado, 28 de março de 2020

Cafeinado: Conheça sete sites para verificar se a informação é fato ou fake

28/03/2020

Com o avanço da pandemia do novo coronavírus, é importante redobrar a atenção com os boatos que circulam na rede, em especial no WhatsApp. As fake news não são brincadeira. Informações falsas podem ser extremamente nocivas, agravando o triste cenário de aumento global no número de mortes pela Covid-19. As duas principais dica são: 1) Nunca compartilhe nada sem checar; 2) Desminta sem dó, publicamente (nas redes), o irresponsável que compartilhou o boato.

Cuidado: as notícias falsas sempre parecem mais atraentes que a verdade
O problema é que muitas pessoas ainda não sabem checar se aquela "notícia" apetitosa do grupo da família é fato ou é fake. Por isso, o Café com Jornalista elencou sete ótimos sites de fact-cheking (verificação de fatos) especializados em desmentir fake news. Antes da lista, uma recomendação.

Quando você se deparar com uma notícia suspeita, compartilhada sem qualquer fonte ou de um site duvidoso, com erros de português, com apelos do tipo "compartilhe ao máximo" ou "clique aqui", com ofertas inacreditáveis, duvide! Pesquise no Google sobre o assunto compartilhado, usando a palavra "boato". Feito isso, note que o Google listará matérias de alguns (ou até de todos) os sites a seguir. Por fim, use a matéria para desmentir a pessoa que espalhou o boato.

Sete sites para não cair nas fakes

Boatos.org
É o site especializado em demitir fake news preferido do editor deste Café. Criado em 2013 pelo jornalista Edgard Matsuki, conta hoje com uma equipe de jornalistas dedicados a garimpar os boatos disseminados nas redes sociais. Um dos mais recentes foi: "Ricardo Amorim grava áudio pedindo o fim da quarentena e apoiando Bolsonaro". Óbvio, é boato.

Fato ou Fake
Por reunir esforços de jornalistas do G1, O Globo, Extra, Época, Valor, CBN, GloboNews e TV Globo, é talvez o maior site de fact-checking do Brasil em volume de informações. O projeto foi criado em julho de 2018, dando importante contribuição durante as eleições daquele ano. Num dos desmentidos mais recentes, o site classificou como fake que "Pesquisa do MIT concluiu que o coronavírus não é transmitido em locais com temperaturas acima de 20ºC".

E-Farsas
É o avô dos sites que se dedicam a desmascarar as fake news. Criado em 2002 pelo analista de sistemas Gilmar Henrique Lopes, é o mais antigo site de fact-checking do país – em iniciativa que inspirou os principais veículos de comunicação do Brasil a fazerem o mesmo. Num dos últimos textos, E-Farsas desmente que "A gripe suína (H1N1, de 2009) foi muito mais fatal que o novo coronavírus".

Agência Lupa
É membro da International Fact-Checking Network (IFCN), grupo composto por plataformas de checagem que se encontra anualmente para debater os rumos e os desafios do jornalismo. A Agência Lupa é ligada ao site do jornal Folha de S.Paulo. Em recente verificação, escreveu que "É falso que Israel teve 'melhor situação do mundo' contra Covid-19 isolando apenas idosos".

Truco
É o projeto de fact-checking mantido pela Agência Pública desde 2014. No Truco, um dos objetivos é verificar frases supostamente de políticos e personalidades. Nas Eleições de 2018, o site fez checagens de boatos também nos principais Estados, incluindo o Paraná. Em reportagem publicada na segunda-feira (23), a agência informou que uma "Epidemia de Fake News" tomou conta das redes sociais neste período de quarentena.

Comprova
Projeto colaborativo contra a desinformação, é destinado a investigar informações enganosas. Reúne jornalistas de 24 veículos de comunicação brasileiros, entre eles o jornal O Estado de S.Paulo e a rádio Band News FM. Em recente verificação, informou que "É falso que Itália tenha registrado 232 mortes de crianças pela Covid-19".

Aos Fatos
O site não se limita a dizer apenas se é verdadeiro ou falso, classificando as checagens como: verdadeiro, impreciso, exagerado, contraditório, insustentável, falso, entre outros. Entre as verificações recentes, Aos Fatos cravou: "É falso que filme chamado ‘Coronavírus’ foi lançado na China em 2013" e é falso que "Presidente chinês não disse que pandemia é início de nova era para o socialismo".

O que é fact-checking?
A Agência Publica produziu um bom vídeo para explicar o que é fact-checking. Assista:


Devia dar cana
Pessoas que, intencionalmente, espalham fake news sobre o novo coronavírus deveriam ser presas ou, pelo menos, multadas. Já mostramos, aqui no Café, que na África do Sul essa medida já foi adotada. Na terra de Mandela, quem espalhar notícias falsas sobre a Covid-19 pode ser preso ou multado – ou ambos. A pena pode chegar a seis meses de prisão.

Vacina contra gripe
Acabou rápido. Ao meio-dia deste sábado (28), em nota, a Prefeitura de Maringá já informava que as 15 mil doses da vacina contra a gripe, destinada à imunização de pessoas com mais de 60 anos, estava esgotada. A vacinação, que ocorreria também no domingo, se deu por meio de drive thru e em áreas abertas, evitando a aglomeração de pessoas.

Novas doses
A Prefeitura espera do Ministério da Saúde, para os próximos dias, a chegada de novos lotes da vacina. Nova estratégia de imunização será divulgada, nos próximos dias pelo secretário municipal de Saúde, Jair Biatto, e sua equipe. Maringá segue o calendário nacional de vacinação.

Vacine-se
Em quarentena, após testar positivo para a Covid-19, o ex-prefeito de Maringá Silvio Barros (PP) recomentou que as pessoas não deixem de tomar a vacina contra a gripe. Ela não protege contra a Covid-19, explica Silvio, mas pode evitar que muitas pessoas procurem atendimento médico por causa de uma simples gripe. Na pandemia do novo coronavírus, em breve, faltarão leitos hospitalares em todo o Brasil. O vírus é altamente contagioso.

Meme


Quarentena I
A maior discussão, de momento, é sobre o isolamento social – criticado pelo presidente Bolsonaro e adotado por governadores e por inúmeros prefeitos. No entanto, não há motivo para discussões sobre esse assunto. Como diz o professor Irineu Ferraz, meu mestre na língua portuguesa, "Tentem não brigar com amigos por pontos de vista diferentes. Nos próximos dias, todos os pontos tendem a convergir!"

Quarentena II
De acordo com a agência Reuters, em notícia amplamente divulgada (até mesmo por sites que apoiam Bolsonaro), o Planalto gastou quase R$ 5 milhões em uma campanha contra a quarentena, intitulada "O Brasil não pode parar". O material teria sido encomendado pela presidência sem passar pelo crivo do Ministério da Saúde. Apesar de o vídeo ter sido compartilhado por deputados da situação, o governo disse, neste sábado (28), que a campanha contra a quarentena não existe.

Difícil negar
O vídeo existe e lembra muito a campanha da Prefeitura de Milão que, no fim de fevereiro, pediu para os milaneses não pararem. Hoje, Milão tem mais de 4.400 mortos pela Covid-19, sendo uma das cidades mais afetadas da Itália. Esta semana, o prefeito da cidade, Giuseppe Sala, pediu desculpas aos italianos pelo grave erro. O governo Bolsonaro precisa mesmo de uma tragédia para aprender? Não dá para aprender com os erros dos outros?

E o vídeo?
Seria uma irresponsabilidade do blog compartilhá-lo.

Bom vídeo
Para fechar a coluna com um assunto positivo, recomendo o canal SmallAdvantages, de um gringo que aprendeu o português do Brasil e que, hoje, dá dicas de inglês para brasileiros. No vídeo, "três rotinas para melhorar seu inglês na quarentena".





>>> Saiba mais sobre o colunista
>>> Veja os destaques dos demais colunistas


>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)


Merece:

0 comentário(s):

Postar um comentário