"Jornalismo é publicar aquilo que alguém não quer que se publique. Todo o resto é publicidade" George Orwell

sábado, 23 de janeiro de 2021

Fiocruz libera neste sábado distribuição da vacina Oxford/Astrazeneca aos Estados

23/01/2021_

Café com Jornalista, com Agência Brasil – Os 2 milhões de doses importadas da vacina Oxford-Astrazeneca começam a seguir para os Estados ainda neste sábado (23). O imunizante, que chegou da Índia em um voo da Emirates, na sexta (22), precisou antes passar pela rotulagem na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que fabricará essa vacina no país.

A vacina da Oxford/Astrazeneca já em solo brasileiro – Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
A vacina da Oxford/Astrazeneca já em solo brasileiro – Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
O avião foi recebido no Aeroporto de Guarulhos com um batismo simbólico, com jatos de água lançados em forma de arco pelos bombeiros do Aeroporto Rio-Galeão. Em seguinda, a carga foi transportada pela companhia Azul até a Base Aérea do Galeão, onde chegou às 22 horas de sexta.


As vacinas importadas foram fabricadas pelo instituto indiano Serum, na Índia, e chegaram com quase uma semana de atraso. O segundo imunizante se junta à Coronavac (Sinovac/Butantan), aplicada desde domingo (17), na campanha nacional de vacinação contra a covid-19. 

"A encomenda tecnológica prevê 100 milhões de doses para o primeiro semestre. Essas 2 milhões de doses são apenas o início. É o começo do processo. O objetivo do Ministério da Saúde é a vacinação em massa do povo brasileiro", disse Eduardo Pazuello, ministro da Saúde.
No recebimento da vacina, o embaixador indiano Suresh Reddy classificou o momento como um dia histórico na relação entre os dois países. "A Índia assegurará vacinas para todos os países e todos os povos", comentou o embaixador. O país asiático é o maior fabricante de vacinas do mundo.


Presidente da Fiocruz, Nísia Trindade destacou o momenot como uma vitória da ciência, lembrando que o imunizante da Oxford/Astrazeneca tem 70% de eficácia, devendo ser aplicado em duas doses, com intervalo de 12 semanas. "Isso será muito importante para o nosso sistema de saúde", ressaltou Nísia.

Fiocruz

No Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz), as vacinas passaram por checagem de qualidade e segurança, além de rotulagem, com etiquetagem das caixas com informações em português. O processo foi feito entre a madrugada de sexta e manhã de sábado.


Toda a logística de distribuição ficará sob a responsabilidade do Ministério da Saúde, por meio do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19.

No Twitter, o presidente Jair Bolsonaro comentou sobre a chegada das 2 milhões de doses da vacina Oxford/Astrazeneca. Apesar de todas as vacinas aprovadas salvarem vidas, o presidente não fez o mesmo quando da chegada das 6 milhões doses importadas da Coronavac, que vieram da China.


 Fessmuc pede vacinação dos profissionais da Educação antes da volta às aulas na rede municipal

>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 


Crônica: Tecnologia alienígena em casa

23/01/2021_

Por Luiz Fernando Cardoso* – Desde meados de 2019, tenho motivos para crer, com convicção, na queda de naves alienígenas, como aquela do Caso Roswell, no Novo México (EUA), em 1947. Pode parecer insano, mas os teóricos dos antigos astronautas – aqueles, do programa "Alienígenas do Passado" – têm razão.

Representação artística da queda de um ovni
Representação artística da queda de um ovni
Reflita comigo. Uma nave extremamente avançada cai, vinda de outro mundo. Alguns acontecimentos óbvios se sucedem: 1) Autoridades se apropriam do espólio, sem deixar vestígios; 2) O fato é negado a todo custo. É como o adolescente que, na escola, abre seu Halls sem qualquer ruído para não precisar compartilhar com mais ninguém; 3) Aplica-se a engenharia reversa; 4) A tecnologia alienígena é incorporada à humana, a conta-gotas.

Num primeiro momento, os proventos da engenharia reversa são todos para fins militares. Depois, saltos tecnológicos, obtidos num curto intervado de tempo, mudam radicalmente a vida das pessoas, como no caso dos microchips. Décadas mais tarde, os avanços decorrentes daquela nave que caiu acabam sendo notados nas coisas mais elementares, como numa panela radicalmente mais avançada que as demais disponíveis no mercado.

Creio não ser o único, mas eu gastava um bom tempo vendo aquele comercial das panelas Polishop, sempre incrédulo. "Deve ser propaganda enganosa", pensava. Aos novinhos, um spoiler: quando a idade vai chegando, você fica mesmo mais desconfiado com as facilidades que lhe são apresentadas, você se torna mais seletivo nas amizades, suas costas doem quando você dorme no sofá e, claro, você passa a se interessar por utensílios de cozinha. Nessa altura do campeonato, a pessoa já sabe que não vai mais mudar o mundo.


Mil propagandas depois, decidi comprar a dita panela vermelha. Foi em 2019, seduzido pela promessa de que nada gruda, devido a uma tecnologia com seis camadas, três delas para reter e distribuir o calor, cozinhando melhor os alimentos. Todo mundo lembra daquela cena do ovo sendo preparado sem óleo, não é mesmo? Impossível não querer um treco daqueles. 

Esclareço aqui que não conheço ninguém do marketing da Polishop e que, portanto, este texto não é merchandising. O produto não é um "recebido", como costumam dizer os influenciadores "sei lá do que" digitais. Trata-se tão somente do relato de uma experiência nada científica.

Passados dois anos, sigo utilizando o utensílio todo santo dia, às vezes duas ou três vezes por dia. A panela continua lá, igual, com o cabo firme, praticamente com a mesma aparência (exceto por alguns arranhões) e ainda sem grudar nada. Surreal, especialmente se comparada àquelas panelas que perdem o teflon em poucos meses. Já passou por isso? Então, saiba que você preparou suas refeições "temperadas" com politetrafluoretileno. Faz mal à saúde? Não sei, mas bem não faz.   

Certa vez, esqueci a panela vermelha com múltiplas camadas no fogo por mais de meia hora. Fosse uma panela normal, teria deformado, mas com aquela da Polishop não aconteceu nada. A comida segue deslizando numa boa, mesmo sem uma única gota de óleo. Só não é melhor porque não dá para preparar café na dita cuja.


Os amigos mais próximos sabem o quanto eu gosto de cozinhar. Cada qual precisa encontrar um hobby para aliviar as tensões da vida adulta e dos boletos – ou faz isso ou toma remédio. Para mim, aquele momento na cozinha, da escolha dos temperos, do salivar só de pensar no prato depois de pronto, da concentração para preparar um bom jantar à esposa, transporta-me para um lugar especial, onde não há má-fé nem salário atrasado nem carro na oficina nem qualquer outro motivo de queixa.

Numa das vezes, quando preparava um coração de frango amanteigado, salteado com legumes e abacaxi, fiquei pensando na lógica por trás de um produto bom e com tanta durabilidade. Sempre que alguém quebrava um copo ou prato, e ficava sem jeito por conta disso, lembro-me que meu falecido avô, Armando Cardoso, costumava dizer que era necessário que as coisas quebrassem para que as indústrias continuassem produzindo. De certa forma, era de empregos que ele estava falando. 

Ainda não sei quanto tempo a panela vermelha "comunista" vai durar, só sei que a tecnologia doutro mundo está aprovadíssima. Se até mesmo ovnis podem cair, sei que um dia a panela vai estragar. Quando isso acontecer, comprarei outra, em dez vezes sem juros. Para uma tecnologia que viajou das estrelas até aqui, vale o investimento.

Quero Café! Crônicas de uma saudosa redação de jornal. Autor: Luiz Fernando Cardoso
Quero Café! Crônicas de uma saudosa redação de jornal – Clique para ler!
Editor do Café com Jornalista, Luiz Fernando Cardoso é jornalista e escritor, autor dos e-books de crônicas "Orfeu & Violeta", "Quero Café!" e "Nas Curvas de Maringá", todos publicados na Amazon.

Destaques do blog de crônicas



>>> Sobre o Café
>>> Sobre o Jornalista
>>> Cafeinado
>>> Maringá
>>> Política
>>> Economia
>>> Geral
>>> Entrevistas
>>> Artigos
>>> Imprensa

* As crônicas não refletem, necessariamente, a opinião do Café com Jornalista, que os reproduz em exercício da atividade jornalística e amparado pela liberdade de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 

sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

Cafeinado: Em tempos de morte por falta de oxigênio, rejeição de Bolsonaro sobe para 40%

22/01/2021_

Café com Jornalista – Num cenário de agravamento da pandemia do novo coronavírus (covid-19) e sem o auxílio emergencial de antes, a popularidade do presidente Jair Bolsonaro caiu. É o que aponta o novo levantamento do instituto Datafolha, divulgado nesta sexta (22).

Em relação ao levantamento anterior (do início de dezembro), a avaliação de Bolsonaro como "ruim ou péssimo" pela população subiu de 32% para 40%; e a avaliação de "ótimo ou bom" caiu de 37% para 31%. Foram entrevistadas 2.030 pessoas – veja os detalhes aqui.

Presidente Jair Bolsonaro – Foto: Marcos Corrêa/Presidência da República

Motivos

Certamente, também contribuíram para a queda na avaliação a falta de oxigênio em Manaus (e as mortes de pacientes do SUS por esse motivo) e as trapalhadas do Ministério da Saúde no início (atrasado) da vacinação contra a covid-19. Foi um início de ano marcado por muito desgoverno.

Comparação

Entre os presidentes eleitos após a redemocratização, Bolsonaro só se sai melhor que Fernando Collor (PRN), que ao fim de seu segundo ano de governo tinha rejeição de 48%. Segundo levantamento da Folha de S.Paulo, no mesmo ponto do mandato, FHC (PSDB) tinha 12% de reprovação, Lula (PT) 13% e Dilma (PT) 7%.


Impeachment

Apesar de os fracassos na condução da pandemia terem retroalimentado o discurso do impeachment entre congressistas (de oposição em sua maioria, óbvio), essa ainda não é a vontade da maioria da população. Segundo o Datafolha, 53% dos brasileiros rejeita o impeachment do presidente Bolsonaro – veja os detalhes

Mais vacina

Ao menos uma boa notícia vinda do governo federal. Nesta sexta, com praticamente uma semana de atraso, chegaram da Índia as 2 milhões de doses da vacina Oxford/Astrazeneca. Agora, o país tem dois imunizantes contra a covid-19. A vacinação teve início em São Paulo, no domingo (17), com a Coronavac, a vacina do Butantan/Sinovac. 

Vacinas

É grande a vergonha alheia por esses dias, em especial quando vemos pessoas queridas replicando discursos antivacina. Ninguém é obrigado a se vacinar, e há um tipo de vacina para cada caso: a da covid-19 para jacarés e a da febre aftosa para o gado.

Meme




IPTU

A Prefeitura de Maringá realiza no Paço Municipal, neste sábado (23), das 8h às 13h, o Plantão do IPTU (saiba mais). Serão disponibilizados os serviços de impressão de guias e parcelamento de dívidas de tributos anteriores. O prazo para pagar o imposto à vista, com 10% de desconto, vai até 25 de fevereiro.

Motoristas

O Sinttromar, sindicato que representa os motoristas de Maringá e região, busca uma reunião com o prefeito Ulisses Maia (PSD) para tratar do transporte coletivo urbano e metropolitano. Há o receio de que, sob o argumento da crise econômica causada pela pandemia, as empresas TCCC e Cidade Verde façam novas demissões.

Tocos

Ainda há muitos tocos (estacas) demarcando pontos de ônibus em Maringá. A substituição por abrigos, que dão mais dignidade para os usuários do transporte coletivo, foi uma promessa do governo no primeiro mandato. Escrevi algumas matérias a respeito para O Diário, e vamos voltar a abordar o assunto aqui no Café. Já foi bem pior, mas dá para melhorar. 



Leia também

 Agência do Trabalhador de Maringá tem 367 vagas de emprego
 Mário Hossokawa: 'Não entendi a escolha de dois secretários municipais'


Esta coluna é assinada pelo jornalista Luiz Fernando Cardoso, editor do Café com Jornalista. Clique aqui ou na imagem acima para ler mais publicações da coluna Cafeinado. Leia ainda publicações com algumas das tags mais populares do blog: Bolsonaro, Dilma, Doria, Ulisses Maia, Câmara, Eleições 2020, covid-19, vacina.

>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 


Agência do Trabalhador de Maringá tem 367 vagas de emprego para a semana que vem

22/01/2021_

Café com Jornalista – A Agência do Trabalhador de Maringá divulgou, na tarde desta sexta (22), as ofertas de emprego para a semana que vem. São ao todo 367 vagas (74 a menos que na semana anterior), sendo 351 regulares e 16 para pessoas com deficiência (PCD). 

A agência fica na Avenida João Paulino Vieira Filho, 917
A maior procura continua sendo por vendedor pracista. O número de vagas para PCD subiu de 13 para 16. Confira no relatório.


Vagas regulares

  • Vendedor pracista 34
  • Técnico em instalação de sistemas ópticos 30
  • Analista de desenvolvimento de sistemas 26
  • Vendedor interno 17
  • Costureira em geral 17
  • Ajudante de carga e descarga de mercadoria 15
  • Soldador 12
  • Pintor de alvenaria 10
  • Analista de crédito (instituições financeiras) 10
  • Técnico eletrônico em geral 6
  • Pedreiro 6
  • Servente de obras 6
  • Motorista entregador 5
  • Auxiliar de linha de produção 5
  • Vendedor de serviços 4
  • Torneiro cnc 4
  • Operador de acabamento (indústria gráfica) 4
  • Motorista de caminhão 5
  • Marceneiro 4
  • Instaladores e reparadores de equipamentos e linhas telefônicas 4
  • Eletricista de instalações de veículos automotores 4
  • Servente (construção civil) 3
  • Pedreiro de acabamento 3
  • Operador de empilhadeira 3
  • Montador soldador 3
  • Mecânico de automóvel 3
  • Expedidor de mercadorias 3
  • Enxugador de veículos 3
  • Encanador 3
  • Auxiliar de sushiman 3
  • Auxiliar de marceneiro 3
  • Auxiliar de manutenção predial 3
  • Zelador 2
  • Técnico em manutenção de máquinas 2
  • Professor de jardim da infância 2
  • Pedreiro de edificações 2
  • Operador de vendas (lojas) 2
  • Operador de tesoura volante e guilhotina 2
  • Montador de móveis de madeira 2
  • Mecânico de manutenção de máquinas industriais 2
  • Lavador de veículos 2
  • Jardineiro 2
  • Garçom 2
  • Editor de imagens 2
  • Cozinheiro geral 2
  • Conferente de carga e descarga 2
  • Churrasqueiro 2
  • Auxiliar técnico eletrônico 2
  • Auxiliar de costura 2
  • Açougueiro 2
  • Acabador de mármore e granito 2
  • Vendedor - no comércio de mercadorias 1
  • Torneiro mecânico 1
  • Telefonista 1
  • Técnico em saúde bucal 1
  • Técnico de refrigeração (instalação) 1
  • Supervisor de vendas comercial 1
  • Safrista 1
  • Retificador, em geral 1
  • Promotor de vendas 1
  • Pintor de automóveis 1
  • Panificador 1
  • Padeiro 1
  • Operador eletromecânico 1
  • Operador de torno com comando numérico 1
  • Operador de tesoura mecânica e máquina de corte 1
  • Operador de rolo compactador 1
  • Operador de máquinas fixas, em geral 1
  • Operador de grua 1
  • Operador de elevador 1
  • Oficial de manutenção 1
  • Nutricionista 1
  • Motorista de caminhão leve 1
  • Motorista carreteiro 1
  • Montador de pneus 1
  • Monitor interno de alarmes 1
  • Mecânico de manutenção de empilhadeiras 1
  • Mecânico de instalação de freios 1
  • Mecânico 1
  • Gerente comercial 1
  • Fresador (fresadora universal) 1
  • Ferramenteiro 1
  • Encarregado de almoxarifado 1
  • Desenhista projetista de produtos (mecânica) 1
  • Desenhista de páginas da internet (web designer) 1
  • Cozinheiro industrial 1
  • Consultor de vendas 1
  • Conferente mercadoria (exceto carga e descarga) 1
  • Caseiro 1
  • Carpinteiro de obras 1
  • Borracheiro 1
  • Auxiliar geral de conservação de vias permanentes 1
  • Auxiliar de torneiro mecânico 1
  • Auxiliar de seguros 1
  • Auxiliar de pessoal 1
  • Auxiliar de encanador 1
  • Auxiliar de almoxarifado 1
  • Assistente de vendas 1
  • Assistente de compras 1
  • Almoxarife 1
  • Ajudante de serralheiro 1
  • Ajudante de açougueiro (comércio) 1
  • Agente vistor 1
Total:    351 vagas


Vagas para PCD

  • Auxiliar de armazenamento 3
  • Auxiliar de limpeza 2
  • Auxiliar de estoque 2
  • Auxiliar administrativo 2
  • Empacotador 1
  • Assistente de vendas 1
  • Atendente central de telemarketing 1
  • Auxiliar de lavanderia 1
  • Auxiliar de linha de produção 1
  • Recepcionista atendente 1
  • Repositor 1
Total: 16 vagas

A Agência do Trabalhador de Maringá fica na Avenida João Paulino Vieira Filho, 917. O número da Central de Vagas é o (44) 3309-5000. As vagas também podem ser consultadas, a qualquer momento, no site Emprega Brasil.

>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 


Jornal do Sinttromar publica retrospectiva

22/01/2021_

Café com Jornalista – Está circulando, desde quarta (20), a edição de janeiro do Jornal do Sinttromar. Publicado pelo Sindicato dos Motoristas Rodoviários de Maringá (Sinttromar), o periódico é distribuido gratuitamente aos trabalhadores dos setor.

Mural publicado na capa do Jornal do Sinttromar
Mural publicado na capa do Jornal do Sinttromar – Reprodução
A edição de janeiro traz como destaque a retrospectiva de 2020, um ano difícil para a classe trabalhadora e para toda a humanidade, por conta da pandemia do novo coronavírus (covid-19). A edição também relembra ações sindicais em defesa da categoria e a greve dos funcionários das empresas TCCC (transporte urbano) e Cidade Verde (metropolitano).

Leia aqui a edição de janeiro do Jornal do Sinttromar.


 Projeto de lei quer proibir fogos com estampido em eventos particulares


>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição. 


Conheça os livros publicados pelo editor do Café com Jornalista

22/01/2021_

Café com Jornalista – Com 20 de experiência no jornalismo, o editor deste Café seguiu os passos de outros tantos jornalistas, que se aventuraram também por caminhos literários. Com crônicas publicadas em blog desde 2008, Luiz Fernando Cardoso tem entre suas principais referências literárias o jornalista e escritor Fernando Sabino (1923 – 2004), seu cronista favorito.

Os três e-books de crônicas do jornalista Luiz Fernando Cardoso
Os três e-books de crônicas do jornalista Luiz Fernando Cardoso
Em 2018, Cardoso decidiu publicar seu primeiro livro, com a compilação das suas melhores crônicas. Pós-graduado em Jornalismo Digital, o jornalista apostou no meio eletrônico, passando a estudar as ferramentas de publicação na Amazon para editar seus próprios e-books.

Dessa iniciativa, a compilação de crônicas rendeu três e-books: "Orfeu & Violeta", "Quero Café!" e "Nas Curvas de Maringá" – todos em formato Kindle (saiba mais como ler), publicados exclusivamente na Amazon. 

Dos três e-books, o primeiro foi o que fez mais sucesso na Amazon. Vendido inicialmente a R$ 8,90 (e hoje a R$ 5,99), "Orfeu & Violeta" atingiu – quatro dias após seu lançamento – o primeiro lugar no ranking dos e-books mais vendidos da Amazon categoria "Crônicas, Humor e Entretenimento"

As crônicas seguem sendo um hobby do jornalista, uma paixão daquelas comparada a um bom cafezinho preto passado na hora (puro, sem açúcar e sem adoçante). Aliás, as crônicas mais recentes têm sido publicadas também aqui no Café

Cardoso também é autor de um livro impresso sobre a história de uma entidade sindical de Maringá. Leia mais sobre os quatro livros a seguir.


Orfeu & Violeta: E outras histórias lá de Pato Branco. Autor: Luiz Fernando Cardoso
Orfeu & Violeta: E outras histórias lá de Pato Branco – clique para ler! 
Pato Branco, uma charmosa cidade no interior do Paraná, com cerca de 80 mil habitantes e elevada qualidade de vida, é muito mais que o "daí" popularizado pela personagem Bozena, da série televisiva "Toma Lá, Dá Cá". Centro de serviços e polo tecnológico, a cidade que leva o nome de um rio é também a terra do exclusivo X-Polenta, do reforçado café da manhã do Sabiá (ovos com bacon é para os fracos), do aromático expresso da Letra Café (a Boca Maldita local) e de belas "Camilas, Vanessas e Grazielas".

"Maior do que Beltrão", como costumam afirmar os pato-branquenses, a cidade foi fonte de inspiração para uma série de crônicas do jornalista paranaense Luiz Fernando Cardoso, que em seu primeiro livro nos brinda com histórias de humor e paixão (algumas com final feliz, outras nem tanto) em suas idas e vindas da Capital do Sudoeste. As aventuras e os romances de personagens surgidos do imaginário do autor ou de momento vivencial fazem as narrativas bem interessantes, apimentam a leitura e proporcionam o deleite para quem curte crônicas bem-humoradas.

Em "Orfeu & Violeta" (Independente, 90 páginas, 1ª edição/2018), as histórias desses dois personagens, na crônica principal, e também de Gabriel T, Cobain (o galanteador), Fundi (o felino), Sólido (o fusca), Iracema, Angela e outros mais são a garantia de uma cativante leitura, para qualquer momento, na companhia ou não de um bom gole de café.

Na mídia

O lançamento do e-book virou notícia em vários sites (veja aqui) e jornais, incluindo o Diário do Sudoeste, de Pato Branco, onde Cardoso iniciou a carreira como jornalista. "Orfeu & Violeta" também foi divulgado no site Top Leituras e ganhou resenha na ilustríssima Acrópole Revisitada, do escritor Luigi Ricciardi, autor do romance "Os Passos Vermelhos de John"



Quero Café! Crônicas de uma saudosa redação de jornal. Autor: Luiz Fernando Cardoso
Quero Café! Crônicas de uma saudosa redação de jornal – Clique para ler!
Num tempo não muito distante, antes de o principal jornal de Maringá perder excelentes profissionais devido a salários atrasados, a redação desse periódico diário era vibrante, repleta de repórteres de todo naipe: tagarelas, rabugentos, espirituosos, sensíveis, compenetrados; sempre insatisfeitos com as fontes, com as pautas, com os editores, com a ligação telefônica que nunca completava, com a quantidade de toques para a matéria, com o café frio (ou com excesso de açúcar), com o frio do ar-condicionado...

Havia sempre algum motivo de reclamação, e o campeão da lista era o incômodo dead line (prazo limite para o repórter entregar sua matéria ao editor). "Quero Café! Crônicas de uma saudosa redação de jornal" conta, claro, alguns desses dissabores no jornalismo, mas vai muito além ao proporcionar aos leitores inúmeras alegrias de quem ama escrever, e tem a sorte de viver do que escreve.

Jornalista com mais de 15 anos de experiência em jornal impresso, Luiz Fernando Cardoso extrapola as quatro paredes daquela saudosa redação. O autor relata os bastidores de coberturas “na rua”, como na ida a um badalado show sertanejo, na aventura por trás da primeira manchete ou em algumas votações polêmicas na Câmara Municipal de Maringá.

As crônicas de "Quero Café!" (Independente, 90 páginas, 1ª edição/2018) também levarão os leitores a conhecer o universo desses jornalistas fora da redação, sem o estresse causado pelo dead line. Sim, jornalista também tem vida social, e no caso do autor e de seus colegas de redação parte das crônicas se passa em suas casas, no parque de diversões e em cafeterias da cidade, com um bom expresso para celebrar a amizade.



Nas Curvas de Maringá: Amizades e paquenas na mais bela cidade do Paraná – leia aqui
A sétima maior cidade do Sul do Brasil, com 423 mil habitantes, é palco do terceiro livro do jornalista Luiz Fernando Cardoso. Com aquele toque de humor e crítica inerente às boas crônicas, "Nas Curvas de Maringá" (Independente, 88 páginas, 1ª edição/2019) traz reflexões sobre sonhos, relações amorosas, ditados populares, frustrações da vida, crises econômicas, vícios, sexualidade e política.

Há também espaço para a eterna luta contra o peso (para alguns, beber água engorda), as teorias conspiratórias como a existência do Acre e, claro, a tietagem das musas do autor – Ana Paula Arósio, em especial. A analogia entre as curvas da cidade e as curvas femininas aparece, de forma indireta, em inúmeras partes do livro.

São 27 crônicas convidativas, sendo "Eu e Maringá" a única inédita. As demais foram publicadas, entre 2009 e 2013, no blog do jornalista. Consta da seleção a crônica "Arroz com Fungos", selecionada no 3º Concurso Literário Conto Brasil – Minicontos e publicada pela Editora Trevo, em agosto de 2019, na antologia "Conto Brasil" (Vol. 3).



Sismmar 30 anos de Luta! – Autor: Luiz Fernando Cardoso
Clique aqui para ler (gratuito)
Organizados por meio da Associação dos Professores Municipais de Maringá, em 1987, quando a sindicalização ainda não era permitida, os servidores municipais já se articulavam para criação de um sindicato que lutaria pelos interesses de toda a categoria. Aquele desejo inicial pôde se tornar realidade após a promulgação da Constituição Cidadã, em 5 de outubro de 1988.

Os servidores não perderam tempo. Menos de dois meses depois, em 28 de novembro de 1988, o Sindicato dos Servidores Municipais de Maringá (Sismmar) estava criado. A assembleia de fundação foi realizada no auditório Joubert de Carvalho, no prédio da Biblioteca Municipal (à época situada na Avenida XV de Novembro, próxima ao Paço Municipal).

Os primeiros anos foram os mais difíceis. Os pouquíssimos recursos, o pequeno número de filiados e a inexistência de uma sede própria, no entanto, não impediram o novo sindicato de mobilizar a categoria para as lutas. Em 1989, a primeira greve, deflagrada pela reposição salarial em tempos de inflação galopante, ajudou a legitimar o Sismmar, que apenas naquela greve viu o número de filiados saltar de 150 para 1.800.

Ao longo de três décadas, cada uma das gestões dos quatro presidentes homens e das cinco presidentes mulheres deixou sua importância colaboração no belo histórico de lutas do Sismmar. Muitas greves e mobilizações foram realizadas, fortalecendo ainda mais a entidade sindical que, atualmente, conta com mais de 5.000 filiados, uma sede própria e toda a estrutura para a defesa da categoria.

"Sismmar 30 anos de Luta!" (Sinergia Casa Editorial, 98 páginas, 1ª edição) registra para a posteridade essa rica história. Com coordenação geral de Iraídes Baptistoni, então presidente do Sismmar, o livro teve redação, pesquisa e revisão do jornalista Luiz Fernando Cardoso, com projeto gráfico de Carlos Alexandre Venancio. 



Publique seu e-book na Amazon

O editor do Café trabalha também com a edição e publicação de e-books para Kindle, na Amazon. Você tem uma história bacana e quer publicá-la num e-book, mas não sabe como? Entre em contato com o jornalista pelo 44 98826-1221 ou pelo e-mail cafecomjornalista@gmail.com e faça uma cotação para a revisão, edição e publicação da sua obra.  


>>> Eleições 2020

* Matérias e opiniões publicadas no Café com Jornalista estão compreendidas pela atividade jornalística e amparadas pela liberdade de imprensa e de expressão. (Do editor)



A página do Café no Facebook superou a marca de 3.000 curtidas na Sexta-feira Santa, em 10 de abril, graças aos leitores assíduos que apoiam o blog. Para ser informado sobre novas matérias publicadas, curta você também e convide seus amigos para curtir. Clique aqui.


Para receber as últimas notícias do Café com Jornalista no seu WhatsApp é muito fácil. Basta enviar para o número acima a mensagem "Quero Café", informando seu nome e sua cidade de origem. Seu número será, então, adicionado a uma lista de transmissão dos seguidores do blog. A qualquer momento, você poderá cancelar a inscrição.